Aarhus – Dinamarca

7
50
aarhus dinamarca

aarhus domkirkePode-se dizer que já calcorreámos “tudo”, ou pelo menos os pontos de interesse de Aarhus, Dinamarca, que constam dos roteiros turísticos. O nosso passeio começa no coração da cidade milenar fundada pelo famoso povo nórdico, os Vikings.

No centro da Bispetorvet encontra-se a Domkirke, a catedral, erguida em 1201 e conhecida por ser a catedral mais comprida da Dinamarca. Os trabalhos de restauro expõem os frescos medievais que cobriam as paredes, mas que na altura da Reforma haviam sido caiados.

Destacamos dois elementos: o retábulo de painéis de 1479 pela mão dum artista alemão originário de Lübeck, e o órgão de tubos, certamente barroco, cujo som tivemos a oportunidade de ouvir, acompanhado dum trompete que até não destoava.

Metemos pela rua pedonal Søndergade até à estação dos comboios. Ao atravessarmos a ponte da Sankt Clemens Torv, surge-nos pela primeira vez o rio Å que atravessa a cidade e está na origem do seu nome (este povoado Viking foi denominado de Aros, que significa “na boca do rio”).

Vale a pena desacelerar o passo, abrir os olhos, observar a cidade, as suas ruas e as suas casas, espreitar os cafés, quiosques, lojas e afins. O moderno e o antigo misturam-se numa tentativa de incorporar os espaços históricos no minimalismo moderno.

Um exemplo do modernismo na arquitectura da cidade é a Câmara Municipal com a sua torre do relógio. Todo o edifício é revestido a mármore cinzento norueguês. Ok, não é propriamente uma beleza mas não deixem que o exterior vos demova duma visita ao interior.

Mais um pulinho e vimo-nos perante o ARoS, o museu de arte do qual a cidade mais se orgulha pois rivaliza com os melhores de Copenhaga pelo tamanho, importância das obras expostas e modernidade de conceitos. Mesmo ao lado a sala de concertos Musikhuset que desde os anos oitenta foi conquistando destaque e prestígio na cena cultural dinamarquesa.

No nosso passo lento, tomámos a direcção do mar. Escolhemos as margens do rio pois sabíamos que no seu voltear nos havia de lá levar. A cidade transformou as margens numa agradável e longa promenade por onde se espalham as convidativas esplanadas dos cafés, e com os dias repletos de sol o convite é irresitivel.

E demos por findo o nosso passeio do dia ao chegarmos ao grande porto que se estende a Este da cidade. O sol escondia-se por trás da cidade e a brisa fria que soprava obrigou-nos a procurar abrigo e calor.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorAarhus – um primeiro olhar
Próximo artigoAarhus By Night
Anabela e Alexandre (linguista e economista), apaixonados um pelo outro e pelas viagens. Juntaram as letras e os números e criaram Vagamundos - Blog de Viagens onde partilham as suas errâncias pelo mundo e motivam todos a viajar. Autores independentes dos livros Caminho do Amor e Rostos do Oriente. Aproveitam qualquer desculpa para vaguear pelo mundo. Viveram na Alemanha, Dinamarca e EUA. Praticam trekking e lounging, alternadamente. Gostam de sujar cozinhas e conversar até altas horas. Uma vez por ano fingem que tocam djambé.

7 COMENTÁRIOS

  1. Hola Patricia. Gracias. The Cathedral is without doubts one of the most impressive ones in Denmark.
    Besos

    Olá Valentim. Gostamos muito de Arhus. Tem um espirito muito artistico e tem o tamanho ideal: nem muito grande nem muito pequena. E para mais achamos os seus habitantes bem mais simpaticos e descontraidos que em Copenhaga 🙂
    Abraço

    Olá Dylan. Irresistivel e cortante… sobretudo quando sopra o vento do norte 🙂
    Abraço

    Olá Beatriz. Tentamos aproveitar ao máximo as deslocações profissionais… juntar o útil ao agradável!
    Bjs

    Olá Lacoste. A seguir a Copenhaga é sem dúvida a cidade mais interessante que já vimos no Reino da Dinamarca. Por isso tenta arranjar espaço na agenda para ela. As ligações com a capital são excelentes (um pouco caras mas com a devida antecedência consegues uns bilhetes de comboio low cost 🙂
    Abraço

    Olá Marta. Tentem lá ir que vale bem a pena. E se forem de carro ainda é melhor pois o norte da Jutlandia tem imensos atractivos relativamente proximos mas de dificil acesso de transportes publicos. Nos prometemos tentar voltar para essa exploração!
    Beijinhos

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here