Guilin – província chinesa de Guangxi

6
81
guilin-china
Guilin, China

Situada nas margens do rio Li, bem no meio de um fantástico relevo cársico, Guilin representou para nós a entrada na região de Guangxi e veio a revelar-se uma agradável surpresa.

 Chegamos à cidade oriundos de Kunming, a capital da província de Yunnan depois de uma longa viagem de comboio de 1300km que durou quase 24 horas.
O nosso plano inicial era utilizarmos Guilin como quartel-general para visitar os famosos Terraços de Arroz de Longsheng e navegar pelo rio Li até Yangshuo.

Já tínhamos estado em mais de uma dezena de grandes cidades chinesas e a poluição fez com que não tivéssemos grande vontade de prolongar a estadia. Por isso não tínhamos grandes expectativas. Mas Guilin, apesar de ter mais de um milhão de habitantes, é uma cidade muito limpa e com baixos níveis de poluição.

Não é à toa que é um dos destinos favoritos dos chineses para passar férias. É que para além de limpa a cidade é dotada de jardins fantásticos, de passeios pedonais ao longo das margens dos rios Li e Taohua e dos lagos Shãn e Róng e de várias ruas fechadas ao trânsito, das quais destacamos a Zhengyang Lu, o local favorito dos locais para ir almoçar e jantar fora.

Pagodas Gémeas do Sol e da Lua

E não faltam locais de interesse para visitar, como sejam as Pagodas Gémeas do Sol e da Lua, a Mansão Ming de Wang Cheng, a incontornável subida ao pico da Beleza Solitária (de onde se obtém as melhores vistas da cidade), o mágico Parque das Sete Estrelas e o animado mercado noturno de rua Zhongshan Zhonglu e arredores (bom para comprar souvenirs e artesanato local).

Mas o melhor da cidade, e o que nos fez ficar mais tempo do que o antecipado, foi a simpatia das suas gentes. Foram os seus gestos, os seus sorrisos e a sua disponibilidade para nos receber e trocar uns dedos de conversa connosco que nos deram vontade de explorar a cidade sem pressas e sem roteiros pré-definidos.

Entrada no parque que dá acesso ao “Pico da Beleza Solitária” e onde presentemente se situa a Universidade de Guanxi

Aqui ficam algumas, das muitas centenas de fotografias, que resultaram das nossas deambulações pela acolhedora cidade de Guilin.

As antigas muralhas da cidade
Wang Chéng
Explorando as grutas que ficam situadas no sopé do Pico da Beleza Solitária
Pico da Beleza Solitária – a subida ao topo custa um bocado… 
… Mas as vistas compensam o suor derramado devido ao esforço e à elevada humidade, uma constante em Guilin
A sempre animada rua Zhenyang Lu
Há de tudo em Guilin… Até pastéis de nata!
Aproveitando a marginal do rio Li para apanhar um fresquinho…
…E assistir à pescaria!
Lago Shãn bem no centro da cidade
É literalmente o “Cental Park” de Guilin
Atravessar o rio a pé – um dos passatempos favoritos dos locais

 

É isso e jogar uma cartada!
Bem… Também há aqueles que preferem uma boa sesta!
Nós optamos por uma boa caminhada pelo Parque das Sete Estrelas
E a paisagem não desapontou!

 

E no regresso ao centro da cidade assistimos à pesca artesanal na qual o pescador utiliza os corvos-marinhos (Cormorão) para apanhar o peixe
E para fechar a crónica de hoje nada como uma fotografia das Pagodas iluminadas!
COMPARTILHAR
Artigo anteriorNatal em Lisboa
Próximo artigoCascatas de Ouzoud – as mais altas cascatas de Marrocos
Anabela e Alexandre (linguista e economista), apaixonados um pelo outro e pelas viagens. Juntaram as letras e os números e criaram Vagamundos - Blog de Viagens onde partilham as suas errâncias pelo mundo e motivam todos a viajar. Autores independentes dos livros Caminho do Amor e Rostos do Oriente. Aproveitam qualquer desculpa para vaguear pelo mundo. Viveram na Alemanha, Dinamarca e EUA. Praticam trekking e lounging, alternadamente. Gostam de sujar cozinhas e conversar até altas horas. Uma vez por ano fingem que tocam djambé.

6 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here