Amã – o que ver e fazer na cidade velha

Como já aqui dissemos, Amã é uma cidade vibrante. Seja na parte nova de Amã, seja na parte velha, a cidade fervilha de vida. Mas ainda assim o melhor sítio para se sentir o pulsar da cidade é sem dúvida na cidade velha (“downtown”).

Por isso no nosso segundo dia de visita a Amã optamos por nos deixar “perder” pelas suas ruas e ruelas, embalados pelos pregões dos vendedores, pelo burburinho dos fregueses, pelo buzinar dos impacientes condutores e pelo incontornável chamamento para as orações.

Para além das temperaturas, que durante a tarde rondam os 40 graus em Junho, outro dos desafios que se colocam ao transeunte que visita Amã é a arte de atravessar as estradas. É que por ali o conceito de sinais e passadeiras de peões não está muito difundido, o que transforma o atravessar de uma estrada numa verdadeira aventura. O truque é atravessar ao lado de um nativo, ziguezagueando como ele por entre os carros que passam a qualquer velocidade. O pior que nos aconteceu foi mesmo apanhar uns verdadeiros sustos.

Nada que um revigorante chá de menta e água fresca, num qualquer varandim dos muitos e agradáveis “coffee shops” que proliferam pela cidade velha não resolva. E que bem soube estar serenamente sentados a observar o corrupio das ruas… a vida observada da varanda.

Depois foi deambular pelos souqs, onde não resistimos a trocar alguns dinares por algumas túnicas e lenços árabes (keffiyeh – lenço tradicional jordano), coloridos souvenirs e inesquecíveis conversas, essas completamente gratuitas. A palavra de ordem para se fazer bons negócios é regatear, um dom muito apreciado por estas paragens. Por isso não é de estranhar que o preço inicialmente pedido seja na maior parte das ocasiões 10 vezes o valor que o vendedor espera receber.

Após uma boa dose de conversa e de compras rumamos até à Mesquita Al-Husseiny, localizada bem no coração da cidade velha. Os não islâmicos podem visitar o seu interior, desde que não seja em horas de orações. Contudo não são lá muito bem-vindos. Para quem tenha curiosidade de ver uma mesquita por dentro recomendamos que apanhem um taxi e rumem até à moderna King Abdullah Mosque (construída em 1989 em memoria do Rei Hussein), onde todos os turistas não islâmicos são bem-vindos.

Mais para o final da tarde misturamo-nos por entre a multidão de vendilhões e compradores, e percorremos o principal mercado de vegetais de Amã, de onde sobressaem os famosos pistáchios iranianos e as azeitonas sírias, absorvendo os seus odores e encantando-nos com as suas cores e gentes.

Mesmo ao lado encontram-se as ruínas da Nymphaeum, fonte romana dedicada às ninfas quando Amã ainda era chamada de Philadelphia. Apesar de não estar em grande estado de conservação, vale ainda assim a visita.

Com o dia a terminar, impunha-se procurar um local para a janta. Lembramo-nos de uma dica dada por um taxista no dia anterior e assim lá rumamos nós até ao restaurante Al-Quds (também conhecido por restaurante Jerusalém) para experimentar a sua afamada mensaf (um prato típico beduíno que consiste em borrego com arroz coberto de iogurte azedo aquecido). Simplesmente delicioso!

Para sobremesa uma deliciosa kunafa fechou o jantar em beleza. O atendimento foi mais uma vez 5 estrelas e a conta ficou-se por menos de 15 euros para os dois. Recomendamos.

Já refastelados decidimos fazer um passeio nocturno pela cidade velha. Basicamente repetimos os caminhos da tarde, redescobrindo, por assim dizer, Amã, com a sua silhueta lunar. O trânsito diminui consideravelmente, mas as ruas mantêm-se apinhadas de gente e os souqs e os vendedores de ruas continuam bem activos com os seus negócios.

Na praça da, já mencionada, Mesquita Al-Husseiny fomos interpelados por vários taxistas oferecendo transporte para daytours um pouco por toda a Jordânia. Estivemos uma boa meia hora à conversa com o simpático Mohamad Damise que acabou por se tornar o nosso motorista no dia seguinte, para a visita a Jerash e ao castelo de Qala´at ar-Rabad. Mas sobre isso falaremos na próxima crónica.


Clique para ler o nosso Guia da Jordânia


Prepare a sua próxima Viagem

Reserve o seu alojamento através do Booking.com. É onde encontramos sempre as melhores promoções e permite cancelar a reserva sem custos.

Faça um seguro de viagem na World Nomads ou na Iati. São ambas agências 100% especializadas em viagens e apresentam sempre os melhores rácios custo-benefício do mercado. Se optar pela Iati use o nosso link e terá um desconto de 5% por ser nosso leitor.

Encontre os melhores tours locais e compre antecipadamente os bilhetes para os principais monumentos no Get Your Guide ou no Viator.

Se precisa de alugar um carro para a sua próxima viagem recomendamos que utilize o Rentalcars.com. Permite comparar os preços de dezenas de empresas de rent-a-car e por norma é onde encontramos sempre os melhores preços.

Esta página contem links afiliados. Se efectuar as suas reservas através desses links recebemos uma pequena comissão. Dessa forma está a ajudar o blog “VagaMundos” a manter-se vivo. E o melhor de tudo é que você não paga mais por isso. Muito Obrigado!

14 COMENTÁRIOS

  1. Da minha curta passagem pela Jordania (1 dia) fiquei com a sensação de que não era muito em conta. Uma das desvantagens dos pacotes turisticos é perder toda essa experiência in loco.

  2. Olá Brenda. E Amman encaixa perfeitamente nessa categoria: cidade com muita vida.
    Bjs

    Olá Lacoste. Thanks, man 🙂
    Abraço

    Hello Patricia. We also like to walk a "little" on the off-the-beaten-track locations :)It's the best way to truly learn more the places we visit. We already miss Amman. Wish we had more time there.
    Saludos

    Olá Valentim. Contactos dão sempre jeito 🙂 Digamos que esta viagem já conquistou o segundo lugar na nossa lista de viagens favoritas. Foi marcante, como podes calcular.
    Abraços

    Olá Marshmallow. As viagens de pacote turistico garantem outra segurança, mas condicionam os nossos passos. E os preços em Amman são para todas as carteiras, até mesmo as menos recheadas 🙂
    Bjs

    Olá Marta. As fatiotas já estão prontas para a passerelle! Temos passadeira vermelha e tudo 😉
    Bjs

    Hola Eugenia. Gracias por tus palabras.
    Besos

  3. Grande negócio que o Damise já arranjou! Vou anotar, nunca se sabe…
    Epá, essa do borrego com iogurte azedo, vai lá vai!
    Gostei da crónica e fotos, mas nos próximos tempos não me apanham por essa zona. Impoe-se uma pausa para ganhar fôlego para os regateamentos! Uff!

    Saudações do Roadrunner!

  4. Olá Marreta. O Damise merece 🙂 Força com essa recuperação de folego. Aguardamos pelo teu regresso 🙂
    Abraço

    Olá Guida. Muito Obrigado! Já tinhamos saudades tuas.
    bjs

    Olá Beatriz. Os jordanos são muito bons comunicadores. Seguramente que ias conseguir comunicar com eles. Obrigado pelas tuas palavras.
    bjs

  5. The city sounds really vibrant and lively. I think I wouldn't mind visiting one day! Do I see a Brazilian and an Argentinean flag in that picture of the market stalls? 😀
    How did you survive the heat, used as you are now to milder temperatures?
    The photos of the streets of Amman are amazing! Buzzing with activity!
    Very interesting post, VagaMundos!!

  6. Hi there Aledys. Amman is a really vibrant city. The reason for having so many foreign countries flags were the World Cup. They are crazy about soccer and since Jordania did not manage to qualify they usually suport some of the major teams 🙂
    Regarding the heat… well we still have a lot of portuguese blood running around 🙂 It was ok!
    Cheers

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.