Chile, Bolívia e o ex-contrabandista

O dia começou bem cedo e reservou-nos grandes surpresas.

Fomos até ao centro da vila de San Pedro apanhar o mini-autocarro que, julgávamos nós, nos ía levar até à Bolívia. O Oscar acompanhou-nos. Durante o caminho explicou-nos o que iria suceder. Até à fronteira chilena tínhamos que ir naquele autocarro. Depois, seria outro guia que nos levaria até à Laguna Verde porque ele não podia entrar na Bolívia. Perante a nossa pergunta, “porquê?”, limitou-se a responder com um sorriso.

Saímos do autocarro e, juntamente com os backpackers que enchiam o mini-bus, esperámos na fila até chegar a nossa vez de cumprir todos os pró formes da alfândega: revista dos sacos, perguntas inquisidoras e carimbo no passaporte.

Somos discretamente afastados do grupo de backpackers pelo Oscar que, entretanto, estava acompanhado de um jovem. O nosso guia boliviano, pensámos nós.

Seguimo-lo até uma carrinha. No seu interior, um homem mal-encarado, lança-nos um frio olhar e um seco “Hola”. Intrigados e desconfiados, assumimos o papel de turistas descontraídos mas com um olho no burro e outro na albarda.

Colados aos vidros, vemos o deserto passar-nos à frente dos olhos como se de um filme se tratasse, enquanto subimos aos 4000 metros de altitude para conhecermos o altiplano andino boliviano.

O imponente vulcão Licancabur e o seu irmão Juriques, exibem cumes cobertos de branco, resultado da neve que caíra durante a noite fria.

A partir dum certo ponto deixamos o asfalto para seguirmos numa estrada (se assim lhe podermos chamar) de terra batida entre pequenas colinas e vales até um casinhoto, completamente isolado.

Apercebemo-nos depois que era a alfândega boliviana.

O nosso condutor impacienta-se cada vez que nos demoramos a tirar fotografias. O Oscar revelou-nos mais tarde que o nosso condutor de parcas palavras conhecia muito bem toda aquela área pois fora em tempos um contrabandista. Como o negócio do contrabando entrou em crise, dedicava-se agora a um negócio mais… legítimo: guia turístico.

Nada como pôr os talentos a render!

Prepare a sua próxima Viagem

Reserve o seu alojamento através do Booking.com. É onde encontramos sempre as melhores promoções e permite cancelar a reserva sem custos.

No Viator encontra sempre as melhores tours locais e pode ainda saltar as filas comprando antecipadamente as entradas para os principais monumentos.

Gostamos de jogar pelo seguro e como tal, nas nossas viagens, não dispensamos o seguro de viagem da Iati. Têm excelentes preços, atendimento top em português e usando o nosso link terá um desconto de 5%.

Esta página contem links afiliados. Se efectuar as suas reservas através desses links recebemos uma pequena comissão. Dessa forma está a ajudar o blog “VagaMundos” a manter-se vivo. E o melhor de tudo é que você não paga mais por isso. Muito Obrigado!

12 COMENTÁRIOS

  1. Olá!!!!

    Bem…que viagens espectaculares que voçês fazem…que aventuras…que maluqueira!!!!!

    Quero-vos agradecer por terem espreitado o meu cantinho e me terem deixado o meu 1º comentário!!! Obrigada!!!

    Já publiquei o careto!! E a tia Quinhas (a da gaita de foles)

    Um beijinho grande e continuação e boas e muitas aventuras!

    Sara

  2. Muito bom artigo, fotos excelentes como sempre e que documentam a aventura que terá sido.
    É bom viajar por aqui, mesmo quando dá para viajar de outra maneira.
    Kandando amigo e tudo de bom para vós.

  3. Olá Vitor. E foi mesmo brutal 🙂
    Abraço

    Olá Marta. Esta foi castiça 🙂
    Beijinhos

    Olá Filha do Vento. Estar no deserto e olhar para um vulcão nevado… mixed emotions!
    Bjs

    Olá Yoyo. Uma aventura pegada! Bem divertida 🙂
    Bjs

    Olá Sara. Não resistimos às viagens, é um vício! Temos o bicho pardalisco 🙂
    Há que incentivar a criatividade 🙂 Achámos que faltavam personagens fulcrais na Lã de Lume 😉 Sem a Tia Quinhas e o Careto, não estaria completo.
    Beijinhos nossos

    Olá Kimbanda. Pelo menos o percurso ficou bem retratado… obviamente que os intervenientes não apreciavam muito o foco da objectiva 🙂 Inesquecível momento viajante, sem dúvida. Ainda bem que as Crónicas te conseguem fazer viajar de formas agradavelmente diferentes.
    Abraço

    Olá Cláudia. Episódios destes também fazem parte das viagens.
    Bjs

    Olá Zoe. Era o destino que estava na agenda 🙂
    Bjs

    Olá Lacoste. Na altura, não achamos piada a estas peripécias… mas depois são estas que ficam na memória e dão que rir 🙂
    Abraço

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.