De Vila Nova da Rainha ao Cartaxo

A partir de Vila Nova da Rainha, o Caminho de Fátima toma a EN3. Aproximava-se a hora de almoço e tivemos que apressar o passo numa gincana por entre os camiões parados nas estreitas bermas da Vila. As rectas sucedem-se até a Azambuja, mas o que parecem rectas rápidas a quem por aqui passa de carro, significam muitos passos para quem as percorre a pé. A sinalização do Caminho torna-se menos frequente, mas não há que enganar, é seguir sempre a EN3 até à Azambuja, com direito a pausa para aconchegar o estômago e aliviar as pernas num espaço verde mesmo ao lado da estrada.

Retomámos o nosso percurso. Contudo, por uma questão de logística, era nesta cidade que abandonávamos o Caminho, delineado pelo Centro Nacional de Cultura em parceria com o Santuário de Fátima, para continuarmos na EN3 até ao Cartaxo. Sabemos que as direcções no meio da Azambuja são confusas para quem não conheça a terra, havendo setas que tanto informam o peregrino para atravessar o centro da cidade como percorrer a estrada que ladeia a EN3. O que acontece é que a continuação do Caminho faz-se pela travessia aérea da estação de comboios, e aí encontrámos o marco que dava essa indicação. Sei que vai soar a repetição, mas de facto os marcos do Caminho confundem-se no meio do mobiliário urbano.

Não vos podemos relatar mais sobre este percurso que nos leva ao encontro do Tejo e à quietude de Valada, mas do que conhecemos da zona podemos afirmar que, para além de mais seguro, é um troço bem mais aprazível e tranquilo.

Clique para ver as melhores opções de alojamento na Azambuja

À saída da cidade da Azambuja, um painel prometia ainda 12km até ao Cartaxo. Apesar do trânsito mais intenso, fomos andando, uns momentos entregues às nossas reflexões, outros perdidos na conversa, na qual não levamos muito tempo a nos embrenhar!

Chegados a Casais da Lagoa, vimos os preparativos de montagem dum dos pontos de apoio ao peregrino que a Cruz Vermelha espalha um pouco por todo o país quando se aproxima o 13 de Maio. Admirável acção que em muito auxilia e alivia quem, por fé ou vontade de um retiro, quer ir ao encontro da Mãe. Embora umas 15 bolhitas nos pés do Alexandre bradassem por um belo trato, a pausa estava definida para uma rápida bucha no parque das merendas uns 500m adiante. E quando digo rápida, não exagero.

A partir deste ponto as largas bermas desaparecem, reduzindo-se a 30cm ou até mesmo à inexistência. Foram várias as vezes que a pressa de alguns automobilistas nos obrigou a parar, a apressar passo até a um ponto mais seguro e até mesmo a saltar para dentro das valetas. Até que um desses saltos correu mal. Curva fechada, carro apressado, visibilidade nula, salto mal calculado, pé torcido. Já com o fim da etapa do dia à vista, a hipótese de não conseguir continuar no dia seguinte entristeceu-nos. Como já é sabido, tivemos que nos ficar por aqui, mas fica a certeza que iremos regressar ao Caminho de Fátima à primeira oportunidade.

Clique para ver as melhores opções de alojamento no Cartaxo

Anterior: 2ª Etapa Caminho de Fátima: Vila Franca de Xira – Cartaxo (I)
Seguinte: 3ª Etapa Caminho de Fátima: Cartaxo – Santarém (I)


Clique para ler o nosso Guia do Caminho de Fátima


Prepare a sua próxima Viagem

Reserve o seu alojamento através do Booking.com. É onde encontramos sempre as melhores promoções e permite cancelar a reserva sem custos.

No GetYourGuide encontra sempre os melhores tours locais e pode ainda saltar as filas comprando antecipadamente as entradas para os principais monumentos.

Jogue pelo seguro e faça um seguro de viagem da World Nomads. São rápidos e fáceis de fazer, são a 100% especializados em viagens e apresentam sempre os melhores rácios custo-benefício do mercado.

Anda à procura de voos baratos? Então utilize o Skyscanner para encontrar as melhores tarifas aéreas do mercado

Se precisa de alugar um carro para a sua próxima viagem recomendamos que utilize o Rentalcars. Permite comparar os preços de dezenas de empresas de rent-a-car e é possível cancelar o aluguer sem custos até 48h antes da partida.

Esta página contem links afiliados. Só recomendamos marcas que utilizamos e confiamos a 100%. Se efectuar as suas reservas através desses links recebemos uma pequena comissão. Dessa forma está a ajudar o blog “VagaMundos” a manter-se vivo. E o melhor de tudo é que você não paga mais por isso. Muito Obrigado!

4 COMENTÁRIOS

  1. Vagamundos,

    O vosso texto é para mim sinónimo e testemunho vivo de uma enorme coragem, esperança, determinação… ou resumindo FÉ!
    Nunca fui a Fátima a pé (embora já lá tenha ido) e acredito em Deus, mas muito pouco na Igreja!!
    Por tudo isto vai daqui um abraço de enorme respeito e admiração!
    Gostei de vos ver pelos meus “jardins”! Voltem sempre que eu farei o mesmo!
    Um abraço de Laura!

  2. Olá Laura,
    Infelizmente não conseguimos chegar à “meta”, mas o que fizemos foi com total entrega. E ficou a convicção de regressarmos. Obrigado pelo passeio aqui pelas Crónicas e voltaremos a passear pelos jardins.
    Abraço

  3. Of course I now know that you managed to finish your pilgrimage later but when I came to the point where you tell how you had to stop bec. of twisting your (Alexander's) ankle, I felt very sorry for you guys! All that sacrifice to have to give up before getting to the grotto.
    Hat off to your determination and your will power!

  4. It was really frustating Aledys. Anabela twisted her ankle and I was full of blisters… awfull. We promised to return as soon as possible and finally the time came 🙂 It was wonderfull to finish our pilgrimage to Fátima 🙂 Thanks for your kind words!
    Besos

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.