Dolce Vita – Cuy

 

Na América Latina, mais propriamente no seio da “perdida” civilização Inca a que os homens e a história fizeram designar de Cusco, há possibilidade de degustar sabores de tempos imemoráveis. Falamos de um prato servido aos reis Incas que a tradição destas paragens levou à mesa dos noivos em celebrações de casamento.

Espantar-se-ão, certamente, os defensores dos animais. Não se choquem os amantes deste animal de estimação de ar fofinho. Se nos abstivermos da imagem do pet (tarefa um pouco complicada!) esta refeição torna-se numa experiência gastronómica deveras saborosa! O pitéu de seu nome CUY na língua peruana é, de facto o nosso tão conhecido porco-da Índia. Sim, é verdade, porco-da-Índia! Assado no forno ou grelhado na brasa, com um tempero não revelado a nós turistas mas de rico paladar, este é um prato a não perder, como prato principal ou num mix de carnes duma parrilla andina, onde um outro sabor se junta – deste falaremos numa próxima crónica de sabores.

A acompanhar…? Um bom vinho, obviamente, chileno de preferência já que o Peru não é propriamente conhecido pelas suas castas a resultarem em néctar dos deuses. Não quer isto dizer que não tenham vinhos bem apaladados, acompanhantes adequados deste(s) novo(s) sabor(es).

Para quem visite o Peru é uma iguaria à qual não nos devemos fazer de rogados pois é uma das grandes especialidades gastronómicas do país.

Prepare a sua próxima Viagem

Reserve o seu alojamento através do Booking.com. É onde encontramos sempre as melhores promoções e permite cancelar a reserva sem custos.

Anda à procura de voos baratos? Então utilize a Momondo para encontrar as melhores tarifas aéreas do mercado.

Gostamos de jogar pelo seguro e como tal, nas nossas viagens, não dispensamos o seguro de viagem do WorldNomads.com

Esta página contem links afiliados. Se efectuar as suas reservas através desses links recebemos uma pequena comissão. Dessa forma está a ajudar o blog “VagaMundos” a manter-se vivo. E o melhor de tudo é que você não paga mais por isso. Muito Obrigado!

10 COMENTÁRIOS

  1. Gostei da foto e da decoraçao da mesa. Mas confesso que nao gosto de ver o corpo do animal inteiro no meu prato, nao consigo comer. Uma vez vi uma leitoa assada na mesa da minha tia e perdi o apetite.
    Bom, mas isso porque sou meio chatinha para comer 😀
    Um abraço!

  2. E' sim, aqui na Italia comem carne de cavalo. Eu comecei a comer mas ainda tenho peso na consciencia… sempre gostei de cavalos, uma paixao desde criança.
    Fazer o que? E a cadeia alimentar.
    Beijos

  3. Tem um aspecto suculento e sou completamente adepto de, ao visitar um País, se aproveitar para conhecer as especialidades gastronómicas do local.

    Espero que o vinho chileno estivesse "au point":)
    Não sendo um expert em vinhos (essa tarefa deixo-a para o meu pai), já provei o nectar proveniente do Vale del Maipo, uma das melhores regiões do País sul-americano para a confecção do vinho. E fiquei agradavelmente surpreendido.

  4. Carriço, agora para o jantar também já ia mais um 🙂
    Abraço

    Juliana, cavalo ainda não provamos, mas não teriamos problemas com isso, apesar de ambos adorarmos cavalos. Mas se forem criados exclusivamente para o efeito… são só variantes gastronomicas. O caso dos Cuys no Peru é precisamente esse. Fazem criação para alimentação.
    Bjs

    Paulo, podemos garantir que é bem soculento. O vinho estava "au point", mas na origem (quando estavamos no Chile), provamos nectar ainda de melhor qualidade(verdade seja dita tinham mais variedade e outro preceito no serviço).
    Abraço

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.