Dolce Vita – Lokys

A gastronomia lituana é mais conhecida pelos seus cepelinai – cujo nome foi adaptado ao mundo turístico como zeppelin devido à semelhança de forma – que consiste num puré de batata recheado de qualquer tipo de carne cozinhada. Mas para quem é apreciador de boa comida, a Lituânia tem muito mais para oferecer: um amplo leque de apetitosa gastronomia e riqueza na variedade que oferece. Esta informação levou-nos a intentar conhecer um pouco mais deste povo e da sua cultura, através dum dos prazeres da vida: comida.

Se o Forto Dvaras nos cativou, ficámos ainda mais impressionados com o restaurante Lokys. “Lokys” significa urso em lituano, e logo à porta somos recebidos pelo “anfitrião” da casa.

Aqui a Lituânia medieval ganha vida e surge-nos à mesa, com uma oferta riquíssima em pratos de caça. O difícil mesmo é escolher por entre tanta iguaria de fazer crescer água na boca. Vários preparados de veado, javali e codorniz constam do menu de caça. E quando a caça corre mal, o Lokys resolve: apelativos pratos de peixe não faltam.

A nossa escolha já tinha sido feita mesmo antes de cumprimentarmos o lokys e transpormos a porta. Descobrimos que neste pitoresco restaurante, bem localizado na Old Town de Vilnius, era servida uma iguaria que nos prendeu a atenção de imediato: castor. Assim, deliciámo-nos com um saborosíssimo guisado de castor com cogumelos. Uma experiência única!

A relação qualidade-preço merece uma classificação de cinco estrelas. O espaço é amplo e muito acolhedor, decorado com requinte e bom-gosto. Aqui fica a nossa sugestão para quem um dia visite Vilnius: não deixe de desfrutar duma bela refeição neste magnífico espaço.

Prepare a sua próxima Viagem

Reserve o seu alojamento através do Booking.com. É onde encontramos sempre as melhores promoções e permite cancelar a reserva sem custos.

Anda à procura de voos baratos? Então utilize a Momondo para encontrar as melhores tarifas aéreas do mercado.

Gostamos de jogar pelo seguro e como tal, nas nossas viagens, não dispensamos o seguro de viagem do WorldNomads.com

Esta página contem links afiliados. Se efectuar as suas reservas através desses links recebemos uma pequena comissão. Dessa forma está a ajudar o blog “VagaMundos” a manter-se vivo. E o melhor de tudo é que você não paga mais por isso. Muito Obrigado!
COMPARTILHAR
Artigo anteriorMúsica Ecológica nas ruas de Copenhaga
Próximo artigoTrakai
Anabela e Alexandre (linguista e economista), apaixonados um pelo outro e pelas viagens. Juntaram as letras e os números e criaram Vagamundos - Blog de Viagens onde partilham as suas errâncias pelo mundo e motivam todos a viajar. Autores independentes dos livros Caminho do Amor e Rostos do Oriente. Aproveitam qualquer desculpa para vaguear pelo mundo. Viveram na Alemanha, Dinamarca e EUA. Praticam trekking e lounging, alternadamente. Gostam de sujar cozinhas e conversar até altas horas. Uma vez por ano fingem que tocam djambé.

13 COMENTÁRIOS

  1. Isto de estarem sempre a fazer crescer 'água na boca' não está nada bem…! Lol
    Castor?!?! Nunca pensei que se comesse este animal que tão habilmente constrói diques…!!!
    O que se aprende por aqui… ele é lugares completamente desconhecidos por mim… e agora vêem estes pratos de iguarias igualmente desconhecidas e com um aspecto tão delicioso!
    Um bem-haja por toda esta divulgação…
    Boa semana.
    Beijos,
    AA

  2. Têm toda a razão, a gastronomia é uma parte importante da cultura de um povo. O que éramos nós sem o velho cozido à portuguesa? Mas castor… essa eu nem imaginava!
    Boas viagens!

  3. O aspecto é divinal. E porque os olhos também comem (OLá se comem), ficou-me uma grande vontade de experimentar esta iguaria. Parabéns pela escolha que me parece ter sido acertadíssima.E sempre é mais saudável que muitos dos afamados e típicos pratos da cozinha portuguesa.
    abraços

  4. Hola Eugenia. Tem estilo e era muito saboroso 🙂 Recomendamos!
    Besos

    Olá Alexandrina. Nós também desconheciamos tal iguaria. Bastante exotica quando se pensa no simpatico animal, mas na Lituania é uma tradição e não conseguimos resistir a provar. Obrigado pelas sempre amaveis palavras.
    Bjs

    Olá Teresa. Quando vimos castor na ementa também ficamos surpreendidos. Mas na volta os Lituanos também ficam se vierem uma ementa com caracois 🙂
    Bjs

    Olá João. Muito bem dito. Um sabor novo é sempre de salutar. E é como se diz, "em Roma sê romano".
    Abraço

    Olá Lucy. Podemos garantir que era muito saboroso 🙂
    Bjs

    Olá Tita. De facto é dificil abstrairmo-nos da imagem do simpatico castor. Mas se o fizermos estamos perante um delicioso prato.
    Bjs

    Olá Paula. Os coelhinhos também são muito queridos, mas na gastronomia portuguesa fazem "sempre" questão de estar presentes. Para nós comer castor é estranho mas lá é uma oferta comum no que animais de caça diz respeito.
    Bjs

    Olá Zoe. Encontra-se por lá, mas neste restaurante as especialidades eram mais para os carnivoros 🙂
    Bjs

    Olá Turbolenta. Os olhos são sempre os primeiros a comer e quando o prato atrai à vista é meio caminho andado para agradar ao paladar. Não nos arrependemos nada da escolha 🙂
    Bjs

    Olá Marshmallow. Por acado já experimentamos salame de Rena. Que nos perdoe o Rodolfo! 🙂
    Bjs

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.