Home Made – Magret de Pato com Batatinha Assada

– Já tenho saudades dum bom pitéu de pato!
Estas palavras foram o suficiente para a descoberta duma nova receita internacional, desta feita vinda da zona da Occitânia na França: magret de canard. Depois foi só procurar uma receita com um grau de dificuldade comportável a uma cozinheira com parcos recursos. A casa é outra mas a bateria de cozinha ainda deixa muito a desejar, o frigorífico só cresceu uns centímetros quadrados e o fogão multiplicou-se em 4 bicos eléctricos.

Aqui fica a receita para aqueles que se sintam seduzidos pelas imagens.

Ingredientes
2 peitos de pato (cerca de 300g cada)
10 batatinhas
1 colher de sopa de bacon em tiras
Espinafres
1 colher de sopa de manteiga
1 colher de sopa de molho de soja
Ervas aromáticas
Pimenta preta
Flor-de-Sal
Azeite
2 colheres de sopa de redução de vinho tinto

Preparação
Lavar e secar bem as batatinhas. Colocar num tabuleiro de ir ao forno. Cobrir de sal com ervas aromáticas e deixar assar cerca de 30 a 45 minutos em formo médio. Retirar do sal limpar as batatas e reservar. Cortar as batatinhas aos cubos.
Golpear a pele dos peitos de pato em losango e salpicar de flor-de-sal. Levar à frigideira bem quente para tostar a pele, sem deixar cozinhar muito a carne do peito de pato. Este processo faz-se com a pele para baixo. Ir retirando a gordura em excesso para não queimar. Virar o peito, para que cozinhe ligeiramente a carne. Depois levá-lo ao forno para que fique ao gosto, mais ou menos passado. É importante que não fique seco e que a carne fique suculenta no interior.
Na mesma frigideira onde esteve o pato, colocar um pouco de azeite, para dourar as batatinhas. Temperar com flor-de-sal e pimenta preta e acrescentar herbes de provence para aromatizar. Antes de finalizar acrescentar o bacon às batatinhas.
Na mesma frigideira, depois de retirar as batatas, colocar a manteiga, a soja e os espinafres. Desligar o lume e deixar uns minutos os espinafres.
Retirar o magret do forno e cortar em fatias
Para montar o prato, colocar no centro as batatas, por cima os espinafres e por fim as fatias do peito de pato. Para decorar o prato use um pouco de redução de vinho tinto.

A acompanhar, Periquita Reserva 2005, adequada para pratos de caça, carne assada e queijos curados.

Se bem que a cozinheira tinha a experiência gastronómica reservada para surpreender, o crítico gourmet deixou-a de queixo caído ao apresentar-lhe uma decoração de mesa dominada pela sua rosa favorita.

Et Voilá!

Prepare a sua próxima Viagem

Reserve o seu alojamento através do Booking.com. É onde encontramos sempre as melhores promoções e permite cancelar a reserva sem custos.

Anda à procura de voos baratos? Então utilize a Momondo para encontrar as melhores tarifas aéreas do mercado.

Gostamos de jogar pelo seguro e como tal, nas nossas viagens, não dispensamos o seguro de viagem do WorldNomads.com

Esta página contem links afiliados. Se efectuar as suas reservas através desses links recebemos uma pequena comissão. Dessa forma está a ajudar o blog “VagaMundos” a manter-se vivo. E o melhor de tudo é que você não paga mais por isso. Muito Obrigado!
COMPARTILHAR
Artigo anteriorBuenos Aires – metrópole histórica
Próximo artigoVallo Slot
Anabela e Alexandre (linguista e economista), apaixonados um pelo outro e pelas viagens. Juntaram as letras e os números e criaram Vagamundos - Blog de Viagens onde partilham as suas errâncias pelo mundo e motivam todos a viajar. Autores independentes dos livros Caminho do Amor e Rostos do Oriente. Aproveitam qualquer desculpa para vaguear pelo mundo. Viveram na Alemanha, Dinamarca e EUA. Praticam trekking e lounging, alternadamente. Gostam de sujar cozinhas e conversar até altas horas. Uma vez por ano fingem que tocam djambé.

11 COMENTÁRIOS

  1. Uau…Que ambiente perfeito para um bom serão a dois!
    Qualquer dia também coloco um post do meu caril de gambas 😉
    Bjs da terra onde hoje está tanto vento.

  2. E como os olhos também comem… os meus já se deliciaram com o prato apresentado…:)
    Para além do bom aspecto do prato, gostei da decoração da mesa com o 'toque' da rosa favorita da cozinheira…:)
    Boa semana aos dois.
    Beijinhos,
    AA

  3. Este post foi uma agradável surpresa. Eu já gosto muito de pato e a forma de fazer o Magret só o torna melhor ainda… ;-), já provei com outros acompanhamentos, mas com batatinhas nunca. Boa desculpa para comer pato novamente! Excelente a apresentação, parabéns!!!

    E tanto que se viaja com a gastronomia…

  4. Olá Marta. Nós gostamos bastante de pato 🙂 E se a mesa estiver bonita… ainda nos sabe melhor 😉
    Beijinhos

    Hola Alejandra. Depois, tens que nos dizer como correu essa experiência culinária. E não te devem faltar bons vinhos argentinos para companhar 🙂
    Besos

    Olá Ana. Serões a dois, é connosco 🙂 Venha daí esse caril de camarão. Ficamos curiosos.
    Bjs

    Olá Teresa. A gastronomia é sem dúvida um traço cultural que diz muito sobre um povo. E os franceses conhecem bem a arte da sedução… gastronómica 🙂
    Bjs

    Olá Marshmallow. As saudades que nós temos dum delicioso arroz de pato! agora somos nós que ficamos com água na boca 🙂
    Bjs

    Olá Alexandrina. É verdade que o que agrada ao olho, torna-se mais apetecível 🙂 E aqui, o aspecto correspondeu ao sabor! Delicioso!
    A mesa, foi uma surpresa romântica 🙂
    Uma boa semana para ti também!
    Bjs

    Olá Pmar. Mais uma surpresa que por aqui descobres 🙂 Esta não é uma autêntica receita de magret, isso exige muita arte! Mas anda lá por perto e o sabor correspondeu às expectativas criadas. Por isso, continua a ser uma excelente desculpa para comeres pato 🙂
    E assinamos por baixo: com a gastronomia fazem-se grandes viagens.
    Abraço

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.