Visitar Índia: Guia, Roteiros e Dicas de Viagem

17
4872
india

Sempre ouvimos outros viajantes dizer que “há o Mundo e depois há a Índia” e sempre julgamos que seria um exagero. Mas não é! A Índia é, de facto, um mundo à parte e, por muito mundo que já se tenha visto, o choque é inevitável.

índia

A Índia é o caos das apinhadas ruas, é a espiritualidade presente em cada esquina; é a miséria paredes vizinhas com a opulência, é a explosão de cores, são os intensos odores, são os exóticos sabores, é o modo de estar e fazer as coisas tão sui generis das suas gentes… Primeiro estranha-se, depois entranha-se. E quando se entranha, custa a sair.

índia

Uma viagem pela Índia é um turbilhão de experiências e emoções ao qual é difícil ficar indiferente. Olhamos para trás e damo-nos conta que o mês e meio que por lá passámos foi uma das experiências de viagem mais marcantes para nós. Todos os dias foram uma surpresa… Nem sempre boa. Houve dias em que odiámos a Índia, houve dias em que amámos a Índia… O que nunca houve foi um meio-termo. E contas feitas o saldo foi positivo.

índia

E quem pensa que a Índia se resume ao Rajastão está muito enganado. A Índia tem 28 províncias, todas elas com costumes, trajes, gastronomia e dialetos distintos. A Índia tem várias faces, e para muitas delas é difícil olhar “olhos nos olhos”. Há rostos da Índia que nos comovem, outros encantam-nos, outros ainda dão-nos autênticos murros no estômago. Acreditem, que quando se diz que a Índia é um banquete para os sentidos, não se está a exagerar.

índia

Ninguém vivencia uma viagem à India da mesma maneira. Se houvesse uma lista de países onde é praticamente impossível replicar uma experiência de viagem, a Índia estaria seguramente nos lugares cimeiros. Esperar o inesperado faz parte da experiência de vida que é viajar de forma independente pelo subcontinente indiano. E essa é só mais uma das razões pelas quais adoramos a Índia.

índia

Conteúdo deste Artigo

Guia de Viagem à Índia

Os melhores locais e destinos da Índia. Sugestões de roteiros e muita informação prática para preparar a sua viagem à Índia. Inspire-se para a sua viagem visitando a nossa Galeria de Fotos da Índia no final deste artigo.

Informação Prática e Dicas de Viagem
  • Línguas: hindi e inglêsbandeira india
  • Olá em hindi: Namaste
  • Moeda: Rupia (RS)
  • Fuso Horário: GMT + 5:30
  • Vistos: os cidadãos portugueses necessitam de visto para visitar a Índia. O visto de turista custa 52€ (com validade de 6 meses) e pode ser pedido na Embaixada da Índia em Lisboa. Para mais informações clicar aqui.
  • Saúde e Vacinas: para entrar na Índia a única vacina obrigatória é a da febre-amarela, e mesmo esta apenas se tiver visitado um país endémico nos 6 meses que antecedem a sua visita à Índia (como seja o Brasil). As condições higiénicas da Índia são extremamente deficitárias e como tal é imperativo consumir apenas água engarrafada e ter especial atenção com a alimentação. Existem regiões em que há sérios riscos de apanhar malária, dengue, encefalite japonesa, cólera, hepatites, disenteria, etc. Por isso mesmo convém ir a uma consulta do viajante para que possa fazer a profilaxia adequada à região da Índia que vai visitar e para que viaje informado e com a medicação adequada. Um bom repelente de insetos e um seguro de viagem são, a nosso ver, essenciais para uma viagem à Índia.
  • Segurança: um pouco de senso comum é tudo o que é preciso para se manter seguro na Índia. Evitar andar sozinho à noite nas zonas mais problemáticas, ter muito cuidado com os pertences e não ir na conversa dos scammers resolve 90% dos problemas. Como em todo o mundo, as grandes metrópoles são as zonas mais problemáticas. No caso de ser uma viajante independente convém ter um cuidado redobrado. É aconselhável vestir-se de uma forma discreta e evitar andar sozinha na rua durante a noite. Aconselhamos reservar um hostel nas zonas mais turísticas e evitar chegar a uma nova cidade depois de anoitecer. Ao contrário do que muitos pensam existem mesmo muitas mulheres a viajar sozinhas na Índia, sendo que a maioria delas não tem qualquer problema. Mas isso deve-se ao facto de se terem acautelado devidamente. A nível de segurança uma cidade indiana está longe de se equiparar a uma cidade europeia, por isso convém ir com “olho aberto e pé ligeiro”.
  • Melhor época para visitar: regra geral o melhor período para visitar a Índia é entre Outubro e Março. Naturalmente que época alta é sinónimo de preços mais altos, sobretudo entre Dezembro e Março. A maior exceção é a região de Ladakh e dos altos Himalaias, onde os melhores meses para visitar são Julho e Agosto.
  • Custo de Vida: regra geral o custo de vida na Índia é baixo e é possível para um mochileiro gastar pouco dinheiro por dia, visto que existem muitas opções de alojamento e transportes baratos. A alimentação é também muito económica. Não faltam contudo opções de luxo para visitar a Índia, por isso se o orçamento não for um problema, não vão faltar hotéis, restaurantes e transportes com padrões de qualidade semelhantes aos que se encontram nos países ocidentais.
  • Transportes: como já referimos os transportes na Índia são regra geral económicos, mas a pontualidade não é o seu forte, sobretudo no que a comboios e autocarros diz respeito. Andar de comboio na Índia é uma experiência que não deve de todo perder. Existe também uma vasta oferta de voos low cost, por isso se vai percorrer uma longa distância não deixe de espreitar os preços dos voos. No nosso caso voamos de Deli para Goa e o preço do voo custou cerca de metade do preço do comboio. E claro a duração da viagem foi quase dez vezes inferior. Os transportes urbanos são também económicos e muito frequentes e não há qualquer dificuldade em encontrar um táxi, um rickshaw ou um tuk tuk.
  • Locais a não perder: Deli, Agra (Taj Mahal), Varanasi, Pushkar, Jaipur, Udaipur, Jodhpur, Jaisalmer, Amritsar, Ladakh, Mumbai, Goa, Hampi, Kerala

Sugestão de Roteiros para visitar a Índia

Roteiro Norte da Índia

Deli – Agra – Varanasi – Khajaraho – Jaipur – Pushkar – Udaipur – Jodhpur – Jaisalmer – Bikaner – Amritsar – Deli

Principais higlights (pontos de interesse) por localidade:

Deli: Lal Qila, o Forte Vermelho de Deli; Túmulo de Humayun; Jama Masjid, a principal mesquita de Deli; Túmulo de Mohammed Shah no interior dos Jardins Lodi; Porta da Índia (Gate of India); complexo de Qutub; Jantar Mantar; deambular pelo Khari Baoli, na Old Delhi, o maior mercado de especiarias de toda a Ásia.

Agra: Taj Mahal, Forte de Agra; Itimad-ud-Daulah, conhecido pelo cognome de “Baby Taj”; serpentear pelas caóticas ruelas de Agra em busca do terraço perfeito para contemplar o Taj Mahal enquanto se saboreia um aconchegante chá ao som do chamamento proferido pelo Muezim; visitar o Túmulo de Akbar (a 10km de Agra); daytrip à cidade ancestral de Fatehpur Siri.

Varanasi: Navegar pelo rio Ganges; visitar e assistir às cerimónias que ocorrem nos Ghats; Ghats principais: Panchganga Ghat, Manikarnika Ghat, Dasaswamedh Ghat, Kedar Ghat, Harishchandra Ghat; Mesquita Alamagir; Templo Gauri Matha; Templo Sankat Mochan; deambular pelas ruelas de Varanasi e sentir a vibe desta cidade ímpar.

Khajuraho: deambular pelos fantásticos templos de Khajuraho, conhecidos pelas suas imagens eróticas

Jaipur: Chandra Mahal, o Palácio da Cidade; Jantar Mantar, o mais emblemático observatório astronómico da Índia; Hawa Mahal, que significa “palácio dos ventos”; deambular pelos vibrantes bazares de Jaipur; visitar o Amber Fort (cerca de 10km de Jaipur).

Pushkar: deambular pelas margens do enorme lago de Pushkar, o centro religioso da pequena cidade, rodeado de templos e gahts; Templo de Brahma; visitar a Feira Anual de Camelos (que ocorre nos finais de Outubro/inícios de Novembro – durante a lua cheia do mês lunar Hindu de Kartika).

Udaipur: navegar no lago Pichola; visitar a Ilha de Jagniwas; Palácio da Cidade; Templo Jagdish; Bagore-ki-haveli, um pequeno palácio à beira do Ghat Gangaur

Jodhpur: Forte de Mehrangarh; Jaswant Thada; deambular pelas labirínticas ruas da cidade azul; visitar o mercado de Sardar ao pé da emblemática Torre do Relógio; degustar a omelete mais famosa da Índia na pequena Loja das Omeletes, há 30 anos a partir mais de 1000 ovos ao dia.

Jaisalmer: deambular pelas ruelas do Forte de Jaisalmer (também conhecido por Sonar Qila – Forte Dourado), que ainda hoje é habitado – no seu interior há de tudo, desde lojas a hotéis, templos e havelis; Haveli Salim Snigh-ki; Havele Patwon-ki – o maior Haveli da cidade; Ghadsisar (lago); Safari no Deserto de Thar.

Bikaner: Junagarh Fort; Laxmi Niwas Palace; Templo Shivbari; Templo Karni Mata  em Deshnoke, a 32kms de Bikaner.

Amritsar: Harmandir Sahib (informalmente conhecido por Golden Temple); Jallianwala Bagh (jardim); Templo Mata; Jallianwala Bagh Memorial; Cerimónia de encerramento da Wagah Border – fronteira entre a Índia e o Paquistão (30kms de Amritsar).

Roteiro Sul da Índia

Mumbai – Ajanta – Hampi – Bangalore – Cochim (Kerala) – Palolem (Goa) – Panjim e Velha Goa – Mumbai

Principais higlights (atrativos) por localidade:

Mumbai: Gateway of India; Chhatrapati Shivaji Terminus (Victoria Terminus); Taj Mahal hotel; edifícios da Universidade de Mumbai; visitar Dharavi, um dos maiores bairros de lata da Ásia (retratado no filme SlumDog Millionaire; visitar Bollywood; observar os dabbawalas a entregar comida nas suas bicicletas; andar no comboio suburbano e sentir o pulsar de Bombaim; visitar Dhobi Ghat, provavelmente a maior lavandaria a céu aberto do mundo.

Ajanta: visitar as fantásticas caves de Ajanta.

Hampi: visitar as ruínas da capital do império Vijayanagar.

Bangalore: Vidhana Soudha; Templo de Shiva; Palácio do Sultão; deambular pela cidade e sentir o vibe do Silicon Valley Indiano.

Cochin (Kochi): Chinese Fishing Nets; Hill Palace Museum; Basílica de Santa Cruz; Igreja de São Francisco (construída pelos portugueses em 1503 – local onde foi originalmente enterrado o navegador português Vasco da Gama); Dutch Palace; Hill Palace em Tripunithara; Templo Sree Poornathrayesa; Jain Mandir; St.George Cathedral; Forte Kochi; navegar pelas Kochi backwaters.

Palolem: desfrutar da paradisíaca praia de Palolem, provavelmente a praia mais idílica de Goa; visitar a vizinha cidade de Margão; daytrip às cascatas de Dudhsagar; interagir com os elefantes no santuário selvagem de Cotigau; visitar as mansões senhoriais Bragança Pereira e Figueiredo.

Panjim (Panaji): deambular pelo bairro das Fontainhas, o melhor local para interagir com os luso-descendentes de Goa (as parecenças com um típico bairro lisboeta são mais que muitas); Igreja de Nossa Senhora da Conceição; Fundação Oriente; visitar Velha Goa a antiga capital da Índia Portuguesa; Forte da Aguada; daytrip ao mercado de Anjuna.

Galeria de fotografias da Índia

Prepare a sua próxima Viagem

Reserve o seu alojamento através do Booking.com. É onde encontramos sempre as melhores promoções e permite cancelar a reserva sem custos.

Anda à procura de voos baratos? Então utilize a Momondo para encontrar as melhores tarifas aéreas do mercado.

No GetYourGuide encontra sempre as melhores tours locais e pode ainda saltar as filas comprando antecipadamente as entradas para os principais monumentos.

Gostamos de jogar pelo seguro e como tal, nas nossas viagens, não dispensamos o seguro de viagem do WorldNomads.com

Esta página contem links afiliados. Se efectuar as suas reservas através desses links recebemos uma pequena comissão. Dessa forma está a ajudar o blog “VagaMundos” a manter-se vivo. E o melhor de tudo é que você não paga mais por isso. Muito Obrigado!

17 COMENTÁRIOS

  1. Olá,
    Espero que estejam bem 🙂 Gostaria de vos perguntar se foi fácil deslocarem-se de umas cidades para as outras, quer dizer, contrataram lá? Ou levaram já contratado daqui?
    As entradas nos monumentos também é fácil? Ou também já levavam isso planeado?
    Estou a pensar ir à Índia em Agosto (único mês de que disponho), mas não gostaría de embarcar em excursões e por isso agradecia sugestões, please

    Beijinhos
    Sónia

    • Olá Sónia!
      Nós compramos tudo lá. De casa só levávamos um esboço de um roteiro. Até porque a nossa viagem pela Índia inseriu-se na viagem que fizemos entre Pequim e Bombaim (quase 4 meses), logo não dava para planear muito. As deslocações entre as cidades na Índia são muito fáceis. Podes recorrer ao comboio ou aos autocarros. Ambos vão estar sempre apinhados e os atrasos são o prato do dia, mas isso faz parte da aventura da Índia. O melhor é não atafulhares muito o roteiro para teres sempre alguma margem de manobra. Em relação às entradas dos monumentos também foi tudo tranquilo e nós estivemos por lá em Outubro e Novembro. Em Agosto, sendo uma época mais baixa ainda será mais tranquilo. Qualquer dúvida é só dizeres.
      Beijinhos nossos

  2. Olá,
    Estava à espera da vossa resposta no meu email e por isso só a vi hoje aqui, eheh 🙂 Obrigada pela vossa rápida resposta.
    Fico mais tranquila, pois as agências querem vender circuitos com guias e os valores das viagens são estupidamente caros para um destino que à partida não será muito caro. Muito obrigada mesmo. Vou ver o que consigo resolver…
    Beijinhos
    Sónia

    • Olá Sónia. Ainda bem que conseguimos tranquilizar-te. Vais conseguir poupar imenso dinheiro fazendo por ti e vais desfrutar ainda mais da Índia. As peripécias fazem parte 🙂 Se precisares de alguma dica específica manda-nos um mail. Beijinhos e boas viagens

  3. Ola, a india e mesmo incrivel. No proximo ano estamos a pensar visitar e gostaria de saber quantos dias necessitaria para realizar esses routeiros?
    Boas viagens

    • Olá Claudia. Depende muito do vosso ritmo de viagem mas idealmente entre 2 a 3 semanas. Dá para fazer em menos tempo mas é muito a correr e fica difícil absorver as fantásticas experiências com que a Índia nos brinda.
      Boa Viagem!

  4. Olá = ) bem isto foi genial. Ontem estive a acertar os ultimos detalhes da viagem que vou fazer com a minha namorada agora em Novembro e o reteiro é exatamente igual ao vosso roteiro Sul xD..
    Aproveito para vos fazer algumas questões. Nós vamos 2 semanas, será tempo suficiente ou será melhor cortar cortar a parte de Querala? Outra questão era a que estavamos a pensar fazer o percurso com mota alugada, mas parecem-me demasiados Km para fazer em 15 dias.
    Pelo que já li é facil encontrar transportes de um local para outro. Mas a nivel de alojamentos iam alogando à medida que chegavam a um sitio novo ou já tinham pré reservado?
    E a nivel de dinheiro, vi que é comum a clonagem de cartoes multibanco, tem alguma sugestão para contornar este problema?

    Muito obrigado desde já = )

    • Olá Fabio.
      Se tem apenas 15 dias aconselhamos a deixarem Kerala para uma próxima viagem para poderem desfrutar com mais calma dos outros lugares. Relativamente aos transportes é super fácil viajar de autocarro e combóio, se bem que no sul na maioria das vezes o bus é mesmo a melhor solução (e mais económica). Fazerem a viagem toda de nota é algo cansativo visto não terem muitos dias, mas em Goa recomendamos alugarem para explorarem as praias ao vosso ritmo e saírem um pouco do “lonely planet train” 🙂 Goa é mesmo muito moto friendly! Em relação aos alojamentos reservamos sempre já na estrada (à excepção da primeira(s) noite(s) e da última antes do voo de regresso). Regra geral espreitamos sempre o Booking de véspera para ver se apanhamos algum deal. Caso não tenhamos sorte vamos sem nada marcado e procuramos quando chegamos (nesse caso tentamos sempre ir para uma zona que tenha muitos hostels). Mas na Índia foi sempre super pacífico arranjar onde ficar. Existem sempre muitas opções e na maioria das vezes nem sequer reservamos. Relativamente ao dinheiro não tivemos problemas com os cartões. Levantem dinheiro sempre nas caixas automáticas dos bancos e não devem ter problemas. Nunca levantem em multibancos que não estejam nas agências (aqueles dos supermercados, bombas de gasolina, etc). Levem também alguns euros/usd para qualquer eventualidade. Qualquer dúvida disponham. Boa viagem e aproveitem bem a Índia!

      • Muito obrigado pelas dicas. Acabamos por deixar os planos de ir a kerala para uma proxima. vamos fazer Mumbai-Goa-Hampi-Vijayapura Ellora Caves e Grutas de Ajanta-Mumbai.
        Acabamos por decidir fazer tudo de mota, creio já ter tudo preparado… Partimos segunda feira dia 29… A ansiedade aumenta a cada dia ahahah.
        Grande abraço e obrigado

        • Olá Fábio,

          Tomaram uma excelente decisão! Assim têm mais tempo para desfrutar dos lugares mágicos por onde vão passar e para interagir com as pessoas. Depois contem-nos como foi a aventura de mota. Andamos a sonhar com uma por essas bandas ou pelo Sudeste. Boa viagem!
          Abraços nossos

          • Chegamos, estamos vivos, cansados e de coração cheio. Fizemos 2500km numa Royal Einfild Himalayan, foi qualquer coisa de extraordinário. Mumbai-Pune-Vasco da Gama – Papolem – Hampi-Badami-Baga-Mumbai
            Muitas aventuras, todos os dias tivemos dissabores, mas a india sempre nos recompensou diariamente de uma forma que ultrepassou por completo as coisas menos boas que nos foram acontecendo.
            Um povo cheio de compaixao e que nos deixou a vontade inequivoca de voltar.
            Obrigado pela ajuda
            Grande abraço

          • Olá Fábio,

            Ficamos mesmo muito contentes por terem adorado essa vossa viagem épica. A Índia é mesmo assim, um mundo de contrastes, no plano físico e espiritual. Connosco sucedeu o mesmo. Um dia odiávamos outro dia amávamos e contas feitas foi ultra positivo. Para a próxima vamos ser nós a pedir umas dicas. Esta vossa viagem de mota abriu-nos o apetite. Se quiserem partilhar a mesma por aqui com um guest post (ou vários) estejam à vontade. Basta enviarem-nos um mail com o material que depois criamos uma box de autor para vocês.
            Grande abraço

  5. Olá VagaMundos

    Gostaria de saber como visitar (transpores indicados ) Delhi – Jaipur e Agra
    Acha o comboio viável ou melhor aviao ?
    Grande abraço

    Silvio

    • Olá Silvio,

      As distâncias entre as cidades que referiu não são muito grandes. O comboio é sem dúvida alguma a melhor opção. Boa viagem!

      Abraços

  6. Namasté VagaMundos,

    Vou no final do ano e volto no final de Janeiro, mais propriamente de 30 de dezembro a 19 janeiro. Acham viável fazer o norte e o sul neste tempo?

    • Olá Joana.

      Fazer o Norte e o Sul todo em 20 dias é um bocado apertado. O melhor será fazeres o roteiro do norte e depois rumares até Goa para aproveitares as praias e regressares a Portugal por Bombaim.

      Boa viagem

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.