Visitar Jordânia – Guia, Roteiro e Dicas de Viagem

9
3605
jordania

A Jordânia é um dos países do Médio Oriente que mais nos encantou, a começar pela enorme simpatia das suas gentes. Neste artigo queremos ajudar-vos a preparar a vossa viagem a este pequeno, mas surpreendente país, onde a modernidade e a tradição andam de braço dado, e as maravilhas do homem e da natureza surgem um pouco por todo o lado.

Para a maioria das pessoas Jordânia é sinónimo de Petra, uma das 7 Novas Maravilhas do Mundo e Património da Humanidade da UNESCO. Percorrer o estreito Siq a pé ou a cavalo e obter o primeiro vislumbre do Tesouro, qual Indiana Jones na sua Última Cruzada, está no imaginário da maioria dos viajantes.

Sem dúvida que a antiga capital dos Nabateus é a joia da coroa do turismo da Jordânia, mas os encantos da Jordânia estão longe de se resumir a Petra. Muito pelo contrário…

Para nós a Jordânia é também sinónimo de boiar no Mar Morto, o ponto mais baixo à superfície da Terra, explorar o Deserto de Wadi Rum, o mágico deserto de Lawrence da Arábia, percorrer a imensa King´s Highway, visitar os castelos do deserto e as fortalezas dos cruzados, subir ao Monte Nebo, o lugar de onde o profeta Moisés avistou pela primeira vez a Terra Prometida, conhecer o Rio Jordão, o local onde Jesus foi batizado por João Batista, perscrutar as fotogénicas ruinas romanas de Jerash e deambular pela vibrante cidade de Amã.

Guia de Viagem Jordânia

Os melhores locais e pontos de interesse da Jordânia. Sugestões de roteiros e muita informação prática para preparar a sua viagem à Jordânia.

Informação Prática e Dicas de Viagem

bandeira jordania

  • Língua: Árabe
  • Olá em árabe: “Salaam Aleikum”
  • Capital: Amã
  • Moeda: Dinar (JOD)
  • Fuso Horário: GMT +2
  • Visto Jordânia: os cidadãos portugueses podem tirar visto à chegada (Visa on Arrival) nos aeroportos internacionais e na maioria das fronteiras terrestres. O visto de entrada individual é válido por dois meses e custa 40 JOD
  • Saúde e Vacinas: para entrar na Jordânia não existem vacinas obrigatórias. As condições higiénicas na Jordânia são relativamente boas. Recomenda-se evitar o consumo de água não engarrafada (grande parte da água canalizada até é potável, mas para estadias curtas há que evitar o consumo pois o corpo necessita de alguns dias de habituação e, no entretanto, não se livra de problemas de estômago) e ter especial cuidado no consumo de gelados, mariscos e carnes cruas.
  • Clima/Melhor época para visitar: sendo a Jordânia um país localizado no deserto não é de espantar que o Verão seja a época baixa. Entre Junho e Agosto os termómetros atingem os píncaros e visitar o Mar Morto e o deserto de Wadi Rum pode ser algo penoso. A vantagem de viajar no Verão são os preços, que são significativamente mais baixos. A melhor estação para visitar a Jordânia é, sem dúvida alguma, a Primavera (Março a Maio), pois as temperaturas estão agradáveis e o norte da Jordânia fica coberto de flores silvestres. O reverso da medalha são os preços, que nesta estação atingem os seus máximos. Viajar durante o Outono é também uma excelente alternativa, pois os preços são mais em conta e o clima é decente, apesar de haver alguma chuva em certas regiões. No Inverno as temperaturas descem significativamente (neva regularmente na Jordânia) o que torna a experiência de acampar no deserto bastante desagradável.
  • Custo de Vida: viajar na Jordânia é relativamente económico para padrões ocidentais. Não esperem os preços baixos do Sudeste Asiático ou da Índia, mas podem contar com preços bem inferiores aos dos países europeus e até mesmo de países da América do Sul, como Brasil ou Argentina. Existem muitas opções de alojamento e comida barata. Existem transportes públicos entre as principais atrações turísticas a preços económicos. As entradas nos monumentos é que não são baratas, sobretudo a de Petra, que custa 50 JOD para visita de um dia (bilhete de dois dias e três dias é de apenas 55 e 60 JOD respetivamente).
  • Locais a não perder: Amman, Petra, Wadi Rum, Mar Morto, Rio Jordão, Al-Karak, Madaba e Monte Nebo, Jerash, Castelos do Deserto, King´s Highway – a Rota dos Reis, Al Beidha, Castelo de Ajloun

O Melhor da Jordânia – o que ver e visitar na Jordânia

Petra

jordânia

Merecida vencedora das 7 Maravilhas eleitas em 2007, a incomparável Cidade-Rosa é um manancial de mistério e maravilhamento. Ir à Jordânia e não visitar Petra é quase pecado. Mas Petra é muito mais do que o famoso e icónico El-Khazneh, o Tesouro, ou o fotogénico Al-Deir, o Mosteiro de Petra. Petra é uma viagem ao tempo glorioso do povo Nabateu que construiu um dos maiores tesouros da Humanidade: a necrópole de Petra.

Wadi Rum

Entrar no deserto de Wadi Rum é como entrar noutro mundo. Ou até mesmo, noutro planeta. Não é à toa que Wadi Rum é também chamado do Vale da Lua. Na vastidão das areias rosa erguem-se monumentais rochas verticais esculpidas pelo tempo e pelos elementos. A paisagem subjuga-nos. Com tempo e imaginação, as rochas parecem ganhar vida. Um passeio de camelo e de 4×4 é imperativo. E assistir ao pôr-do-sol no deserto também!

Amã

Amã faz parte do número das cidades mais antigas do mundo continuamente habitadas. Desde o neolítico até à modernidade, Amman já conheceu vários nomes como sejam Rabath-Ammon e Philadelphia. O melhor de Amman é deambular pelas suas ruas e ruelas, embalados pelos pregões dos vendedores, pelo burburinho dos fregueses, pelo buzinar dos impacientes condutores e pelo incontornável chamamento para as orações. Dos monumentos destacamos a Citadela, O Anfiteatro Romano e a Mesquita Al-Husseiny, localizada no coração da cidade velha.

Jerash

Imaginem uma metrópole imperial perdida entre montes e vales verdejantes do Médio Crescente, cuja localização estratégica fez dela um entreposto comercial próspero e fundamental na província romana da Arábia. Isso é Jerash! O que não falta em Jerash são edifícios e locais cheios de história para se explorar. Uma verdadeira perdição para o arqueólogo que há em nós. Dentro deles destacamos o imponente Arco de Adriano, o Templo de Artemis, o hipódromo, a praça oval (ou Fórum), o anfiteatro, o templo de Zeus.

Mar Morto

O Mar Morto, para além da beleza dramática da paisagem, bate alguns recordes: é o ponto mais baixo à superfície da Terra (400m abaixo do nível do mar), a salinidade da água é a mais elevada do mundo (33,7% de salinidade, quando a média ronda os 3,5%), é a maior fonte de sais naturais à face da Terra (35 tipos diferentes de sais minerais). É devido a estas propriedades de salinidade que permite a qualquer pessoa boiar sem o mínimo esforço.

Castelos do Deserto

Pontilhando o horizonte do deserto oriental da Jordânia, encontram-se hoje as ruínas de alguns “castelos”. Na verdade são fortalezas, palácios, hospedagens e banhos que na sua maioria datam da dinastia Umayyad e situam-se ao longo da rota que ligava a Síria ao interior da península árabe. Entre eles destacamos o Qasr Kharana, o Qusayr Amra e o Qasr Al-Azraq, famoso por ter sido o local onde Lawrence da Arábia e os seus homens estiveram durante o inverno de 1917-18 aquando da Revolta Árabe contra os turcos.

Madaba e Monte Nebo

A cidade de Madaba, lar da maior comunidade cristã da Jordania, fica localizada a apenas 30km de Amman e o seu grande highlight é sem dúvida a Igreja Ortodoxa Grega de São Jorge onde se encontra o famoso mapa da Terra Santa feito em mosaico bizantino. A apenas 10km de Madaba fica o Monte Nebo, o lugar de onde o profeta Moisés avistou pela primeira vez a Terra Prometida e onde acabou por falecer e ser enterrado.

Al-Karak

Al-Karak é o nome duma cidade no sul da Jordânia, mais conhecida por albergar uma pérola da engenharia dos Cruzados, a fortaleza de Karak. Qualquer inimigo que se aproximasse deste gigante defensivo, tinha que duvidar da possibilidade de conquistá-lo. A fortaleza encima a extremidade sul do planalto cujo declive rochoso é por si só uma defesa natural intransponível.

King´s Highway – a Rota dos Reis

Esta rota ancestral liga o norte ao sul da Jordânia atravessando cidades históricas, planícies desertas, vales pintalgados de lagos (fruto das barragens), montanhas agrestes que parecem tiradas de outro planeta e até mesmo reservas naturais (Dana e Wadi Mujib). Por esta rota, de cerca de 330km (e que já existe há mais de 3000 anos), já passaram judeus a caminho da Terra Santa, Nabateus a caminho de Petra, Cruzados a caminho das suas fortalezas no deserto e peregrinos islâmicos a caminho de Meca. E todos eles deixaram por esta rota, de curvas sinuosas, imensos traços da sua passagem.

Castelo de Ajloun

A cidade montanhosa de Ajloun fica localizada a cerca de 75km a noroeste de Amman, numa das zonas mais frescas e verdes de toda a Jordânia (no Inverno neva por estes lados) sendo conhecida pelas suas florestas de pinheiros, pelos milhares de oliveiras que decoram os montes e pelos muitos pomares e vinhedos que pontificam na região. Mas é o Castelo de Ajloun (Qal’at Ar-Rabad) quem mais leva os turistas a visitar esta região. Este foi mandado construir no longínquo século XII por Izz al-Din Usama, sobrinho do famoso Saladim, com o objectivo de proteger as minas de ferro da região e impedir os ataques dos Cruzados que, na altura, estavam estabelecidos mais a sul, na cidade de Karak.

Sugestão de Roteiro para visitar a Jordânia

Amã – Ajloun – Jerash – Castelos do Deserto – Madaba e Monte Nebo – Al-Karak – Petra – Wadi Rum – Mar Morto – Amã

Prepare a sua próxima Viagem

Reserve o seu alojamento através do Booking.com. É onde encontramos sempre as melhores promoções e permite cancelar a reserva sem custos.

Anda à procura de voos baratos? Então utilize a Momondo para encontrar as melhores tarifas aéreas do mercado.

Gostamos de jogar pelo seguro e como tal, nas nossas viagens, não dispensamos o seguro de viagem do WorldNomads.com

Esta página contem links afiliados. Se efectuar as suas reservas através desses links recebemos uma pequena comissão. Dessa forma está a ajudar o blog “VagaMundos” a manter-se vivo. E o melhor de tudo é que você não paga mais por isso. Muito Obrigado!

9 COMENTÁRIOS

  1. A Jordânia é um país “invadido” pelo deserto da Arábia Saudita. Isto não a incomoda. O jordaniano é um homem de paz. Na demarcação ancestral das fronteiras correram o “risco” de também acharem petróleo. Devagar eles vão como que apagando o estigma de uma vastidão erma e ignota, como já o fizeram, do outro lado do mundo, em seus desertos os americanos do norte…:)

  2. Olá,
    Vou para a Jordânia e relativamente ao visto no aeroporto é preciso levar alguma documentação para além do passaporte? Por exemplo fotografias.

  3. ola, boa noite.

    queria ir de Amma para Jerusalem pela fronteira central, porem não tenho visto terrestre. Entrarei pelo aeroporto de Amma e tirarei o visto aéreo la. Li que na fronteira “central” não emite visto; então queria um local onde eu pudesse retirar esse visto terrestre para que eu possa sair e entrar pela fronteira “central” no percurso Amma/Jerusalem. Sabe algo a respeito?

    • Olá. A fronteira central não emite vistos, logo necessita tirar um visto antecipadamente. Contudo pode optar por fazer a travessia da fronteira entre a Jordania e Israel pela Fronteira de Sheikh Hussein /Fronteira Norte, que fica a 90 km de Amã. Aqui são emitidos vistos para a maioria das nacionalidades. Recomendamos que verifique em Amã estas informações e que lhe digam qual a melhor opção presentemente, pois as regras das fronteiras com Israel mudam frequentemente. Boa viagem!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.