Lima – de Miraflores a Barranco

parque-do-amor-lima-peru

Após uma noite semi-bem dormida, visto que Lima não dorme e logo torna-se complicado para quem o quer fazer, e já algo recompostos do jet lag, avançamos à descoberta de Lima, agora à luz do dia. Apesar de estarmos localizados no já mencionado enclave turístico de Miraflores, a primeira imagem é de caos.

lima-peruCarros e pessoas ocupam as ruas de uma forma que nada deve à organização. As buzinadelas passam a ser a banda sonora do nosso primeiro passeio, até porque para além do trânsito caótico que sempre desperta a vontade de buzinar, os taxistas têm por hábito fazer o mesmo a todos os transeuntes, na busca de um cliente.

lima-peruNa nossa demanda por tranquilidade caminhamos rumo ao Oceano Pacífico onde descobrimos o nosso primeiro tesouro de Lima – O Parque do Amor, local perfeito para nós. Como o próprio nome indica é um jardim dedicado aos enamorados, e que para além da fantástica vista sobre o dito oceano é todo decorado por mosaicos numa clara imitação do famoso parque Güell de Barcelona (uma das mais emblemáticas obras de Gaudi).

parque-do-amor-lima-peruOutro dos atractivos do parque é a escultura de Victor Delfim, “El Beso”, escultura esta que foi construída para celebrar os amantes que escolhiam este local para mirar o pôr-do-sol sobre as águas do Pacifico. Sem dúvida alguma que os enamorados de Lima são providos de muito bom gosto…

oceano -pacifico-vista-parque-do-amor-lima-peruEm busca de algo mais tradicional avançamos rumo ao Bairro de Barranco, antiga zona balnear e boémia de Lima e que fica localizada um pouco a sul de Miraflores. Apesar de ainda conservar traços da arquitectura espanhola e de ser um bairro “decorado” por casas multi-coloridas, Barranco já não conserva o esplendor de outros tempos e muito menos a segurança.

barrancos-Lima-peruApesar de ainda ser um dos locais favoritos para a vida nocturna dos peruanos é melhor, para nós turistas, ser visitado sobre a luz do dia. E vale bem a pena a visita. Para além da já mencionada arquitectura é imperdível a visita à velha igreja de Barranco, que é o local escolhido por todos os abutres da cidade para morar, o que é algo no mínimo intrigante, mesmo para a população local.

igreja-abutres-barranco-lima

Ao lado da mesma um pequeno passadiço leva-nos até a mais um miradouro sobre o Oceano Pacifico, que de pacifico só tem mesmo o nome. E assim termina o nosso primeiro passeio por Lima, capital do Peru.

bairro-barranco-lima-peru

 

Crónica anterior: Dolce Vita – Ceviche
Crónica seguinte: Lima, Downtown
Veja o nosso Guia de Viagem à América do Sul


Clique para ler o nosso Guia de Viagem do Peru


Prepare a sua próxima Viagem

Reserve o seu alojamento através do Booking.com. É onde encontramos sempre as melhores promoções e permite cancelar a reserva sem custos.

Anda à procura de voos baratos? Então utilize a Momondo para encontrar as melhores tarifas aéreas do mercado.

Quando o aluguer de carro se justifica recorremos sempre ao Rentalcars.com

Gostamos de jogar pelo seguro e como tal, nas nossas viagens, não dispensamos o seguro de viagem do WorldNomads.com

Esta página contem links afiliados. Se efectuar as suas reservas através desses links recebemos uma pequena comissão. Dessa forma está a ajudar o blog "VagaMundos" a manter-se vivo. E o melhor de tudo é que você não paga mais por isso. Muito Obrigado!
COMPARTILHAR
Artigo anteriorDolce Vita – Ceviche
Próximo artigoLima II – Downtown
Anabela e Alexandre (linguista e economista), apaixonados um pelo outro e pelas viagens. Juntaram as letras e os números e criaram Vagamundos - Blog de Viagens onde partilham as suas errâncias pelo mundo e motivam todos a viajar. Autores independentes dos livros Caminho do Amor e Rostos do Oriente. Aproveitam qualquer desculpa para vaguear pelo mundo. Viveram na Alemanha, Dinamarca e EUA. Praticam trekking e lounging, alternadamente. Gostam de sujar cozinhas e conversar até altas horas. Uma vez por ano fingem que tocam djambé.

9 COMENTÁRIOS

  1. Olá Valentim. Sim, estivemos nos Andes. Novidades para breve.
    Abraço

    Hola Paco. Es verdad.
    Chabuca Granda inmortaliza “del puente a la alameda” en su popular canción “La flor de la canela”. Y los limeños immortalizan Chabuca en una estatua situada en esse lugar.
    Saludos

  2. Olá Paulo, apesar de já ter bastante turismo não se vêem as hordes de outras capitais. Vale bem a pena a visita. Quanto Às visitas guiadas, seguem dentro de momentos 🙂
    Abraço

    Olá Laura, ainda bem que abre o apetite de viajar. Esse é um dos objectivos. já foi uma viagem do ano passado.
    Bjs

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here