Como já aqui referimos, as duas primeiras semanas de estadia na Escandinávia foram passadas a saltitar de hotel em hotel. Num desses saltos, acabámos por ir parar à vizinha Suécia, mais precisamente a Malmö, mesmo aqui ao lado. É só atravessar a ponte de Øresund, e estamos lá. Entre comboio e autocarro, optámos pela solução mais económica. Como tal,...
Uma vez que estamos num país escandinavo, é incontornável não nos depararmos com a história e cultura Viking, visto que são inúmeros os traços deixados por este povo um pouco por toda a Escandinávia. Como quase toda a gente também nós já conhecíamos os Vikings, ou pelo menos pensávamos que sim. A nossa imagem era a de um povo...
Fim de semana solarengo, foi o mote para pegar nas bikes e partir à descoberta de Dragør. Afinal ficava só a 16km. Esta vila pitoresca nos arrebaldes de Copenhaga foi, até há bem pouco tempo, o centro dos ferries que ligavam a Dinamarca à Suécia fazendo a travessia do Øresund. Com a construção da ponte, as travessias viram o seu...
Uma das dificuldades com que nos deparamos diariamente é algo tão básico e essencial, para bons garfos como nós, como as refeições. Na casa onde estamos, tudo falta: bateria de cozinha, um frigorífico digno desse nome (que eu saiba um mini-fridge só dá para estadas de curta duração e para quem não almeje mais do que uma jola fresquinha), ingredientes...
Já por aqui falamos do Nyhavn (Novo Porto), aquando da celebração da Sankt Hans aften, mas na altura não lhe demos o devido destaque. E sem sombra de dúvidas que o merece, até porque é indiscutivelmente o canal mais colorido, conhecido e animado de toda a cidade (apenas o canal principal do bairro de Christianshavn), e que no Verão...
No romântico jardim de Frederiksberg “esconde-se” uma árvore muito peculiar à qual demos o nome de árvore das chuchas. Pelas fotografias é fácil de perceber o porquê do nome. Escusado será dizer que ficamos intrigados por nos depararmos com uma árvore completamente enfeitada com chuchas de bebés. Imediatamente indagamos uma senhora que por lá passava e que nos explicou...
Para terminar a Langelinie, mais alguns atractivos dignos de serem vistos. Para quem chegue ao Churchillparken, há dois monumentos que merecem a nossa atenção. A curiosa Sankt Albans Kirke (Igreja de Santo Albano) é a única igreja anglicana em Copenhaga. Chamou a nossa atenção devido ao facto de ter semelhanças com as igrejas anglicanas que vimos aquando da nossa visita...
Ontem fomos, finalmente, registar-nos na Embaixada Portuguesa aqui do burgo. E confirmamos aquilo de que já suspeitávamos: não há nada de Portugal em Copenhaga. Ou seja ao contrário do que acontece em muitas das grandes metrópoles europeias, por aqui não se apanha nada lusitano. Não há um único restaurante, café ou supermercado português em toda a Dinamarca. Nas palavras...
Situado no Kongens Have (jardim real), o mais antigo jardim de Copenhaga, está uma das maiores atracções da capital dinamarquesa, nomeadamente o Rosenborg Slot (slot significa castelo, na língua local). Este invulgar palácio, de estilo renascentista holandês, que parece retirado de um conto de fadas, foi construído em 1606 a mando de Cristiano IV com o objectivo de ser a...
Numa cidade literalmente recortada por ciclovias (cerca de 400 kms delas) e onde 36% da população de desloca diariamente de bicicleta para o trabalho, tivemos que nos render e comprar umas “meninas”. Por outras palavras rendemo-nos ao conceito de Copenhagenize. Já fizemos uns bons quilómetros com elas, entre os quais uma ida a Dragor, e podemos dizer que se estamos...