Roteiro Aldeias de Xisto: guia para visitar as Aldeias de Xisto mais bonitas de Portugal

Roteiro Aldeias do Xisto: guia para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal

Está a planear uma visita às apaixonantes Aldeias de Xisto do Centro de Portugal, mas não sabe bem por onde começar? Então veio parar ao sítio certo. Neste artigo vai encontrar um guia e roteiro para visitar as Aldeias de Xisto mais bonitas de Portugal. Nele indicamos não só os nossos locais, experiências e atividades favoritas em cada uma das aldeias, mas também muitas dicas práticas que lhe vão facilitar a logística.

Roteiro Aldeias do Xisto: guia para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal
Água Formosa – Roteiro para visitar as Aldeias de Xisto

São 27 as aldeias que fazem parte da rede de Aldeias do Xisto e em cada uma delas é possível trocar a rotineira azáfama citadina por dias ímpares num ambiente de puro bucolismo decorado pelas maravilhosas paisagens do Centro de Portugal.

Roteiro Aldeias do Xisto: guia para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal
Cascata da Pedra da Ferida

Atreva-se a abraçar esta ruralidade, a falar com os seus habitantes, a beber da fonte do seu saber, a partilhar da sua mesa e modo de vida. Respire o ar puro das montanhas. Encha a vista de maravilhas naturais. Escute o murmurejar das águas dos inúmeros rios e ribeiros que desabam em cascatas e lagoas idílicas.

Roteiro Aldeias do Xisto: guia para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal
Portas de Almourão – Aldeia de Xisto da Foz do Cobrão

Aventure-se por um dos muitos trilhos das Aldeias do Xisto e perca o fôlego com deslumbrantes paisagens de montanha. Descubra património cultural singular. Desligue o telemóvel e conecte-se com a natureza. Troque as noites de zapping à volta da TV por noites de conversa à volta da fogueira, na companhia de um bom vinho. Entre na alma da identidade portuguesa, numa viagem no tempo onde as memórias e o silêncio são uma imersão regeneradora.

Roteiro Aldeias do Xisto: guia para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal
Piodão – Roteiro para visitar as Aldeias de Xisto
Na preparação da sua viagem a às Aldeias do Xisto do Centro de Portugal, não deixe de ler também:

Conteúdo deste Artigo

Rede das Aldeias do Xisto do Centro de Portugal

Roteiro Aldeias do Xisto: guia para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal
Aldeia de Xisto de Fajão

Como já referimos atrás, a Rede das Aldeias do Xisto é constituída por 27 aldeias da Região do Centro de Portugal, estando as mesmas divididas em quatro grupos territoriais distintos, nomeadamente:

  • Serra da Lousã
  • Serra do Açor
  • Zêzere
  • Tejo-Ocreza

Nas secções seguintes vamos mostrar-lhe quais são as aldeias que integram cada um dos grupos territoriais. Logo abaixo colocamos um mapa interativo com a localização das 27 aldeias da rede das Aldeias do Xisto do Centro de Portugal.

Aldeias do Xisto da Serra da Lousã

Roteiro Aldeias do Xisto: guia para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal
Cerdeira – Roteiro para visitar as Aldeias de Xisto

A Serra da Lousã tem nada mais, nada menos do 12 das 27 aldeias que integram a Rede das Aldeias do Xisto do Centro de Portugal. As Aldeias do Xisto da Serra da Lousã são as seguintes:

Aigra Nova  •  Aigra Velha  •  Candal  •  Casal de São Simão  •  Casal Novo  •  Cerdeira  •  Chiqueiro  •  Comareira  •  Ferraria de São João  •  Gondramaz  •  Pena  •  Talasnal

Se seguir o nosso roteiro para visitar as Aldeias do Xisto vai ficar a conhecer sete Aldeias do Xisto da Serra da Lousã. Gostava de as conhecer todas? Não se preocupe que ao longo do roteiro vamos apresentar-lhe um par de sugestões para esticar a sua viagem e conhecer as restantes cinco Aldeias do Xisto da Serra da Lousã.

Aldeias do Xisto da Serra do Açor

Roteiro Aldeias do Xisto: guia para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal
Foz de Égua – Roteiro para visitar as Aldeias de Xisto

Cinco das Aldeias de Xisto da Serra do Açor integram a Rede das Aldeias do Xisto do Centro de Portugal, nomeadamente:

Aldeia das Dez •  Benfeita •  Fajão •  Sobral de São Miguel •  Vila Cova de Alva

Mas não pense que as aldeias de xisto da Serra do Açor se resumem a estas. Existem muitas mais que não integram a rede. Entre elas, destacamos Piódão (que pertence à rede das Aldeias Históricas de Portugal), Chãs de Égua e Foz de Égua, três verdadeiras pérolas da Serra do Açor.

Se seguir o nosso roteiro para visitar as Aldeias do Xisto, vai ter a oportunidade de conhecer todas as Aldeias do Xisto da Serra do Açor que integram a Rede das Aldeias do Xisto. Como bónus, ainda @ vamos levar a visitar a apaixonante aldeia presépio de Piódão e as vizinhas Chãs de Égua e Foz de Égua.

Aldeias do Xisto do Zêzere

Roteiro Aldeias do Xisto: guia para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal
Álvaro – Roteiro para visitar as Aldeias de Xisto

O rio Zêzere nasce na Serra da Estrela e desagua em Constância, quase 250 km depois, o que faz dele o segundo maior rio exclusivamente português (só superado pelo rio Mondego). Ao longo do seu curso pontilham várias de aldeias de xisto, sendo que seis delas integram a Rede das Aldeias do Xisto. São elas:

Álvaro •  Barroca •  Janeiro de Baixo •  Janeiro de Cima •  Mosteiro •  Pedrógão Pequeno

Destas seis aldeias apenas uma, Mosteiro, não se encontra nas margens do Zêzere, sendo precisamente essa que optamos por deixar de fora do nosso roteiro para visitar as Aldeias do Xisto do Centro de Portugal.

Aldeias do Xisto do Tejo-Ocreza

Roteiro Aldeias do Xisto: guia para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal
Água Formosa – Roteiro para visitar as Aldeias de Xisto

A região do rio Tejo e do rio Ocreza tem quatro aldeias que integram a Rede das Aldeias do Xisto. A saber:

Água Formosa •  Figueira •  Martim Branco •  Sarzedas

O nosso roteiro para visitar as Aldeias do Xisto vai levá-l@ a conhecer duas delas, Água Formosa e Figueira, e a vizinha aldeia de Foz de Cobrão que, apesar de não estar integrada na rede, consideramos de visita obrigatória.

Mapa com a localização das Aldeias do Xisto do Centro de Portugal


Clique no canto superior direito para aumentar o mapa com a localização das Aldeias do Xisto do Centro de Portugal.

Quantos dias são necessários para visitar as Aldeias do Xisto do Centro de Portugal?

Roteiro Aldeias do Xisto: guia para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal
Aldeia da Pena – Roteiro para visitar as Aldeias de Xisto

Se pretender visitar os quatro territórios da rede das Aldeias do Xisto vai precisar, no mínimo dos mínimos, de 5 dias inteiros (sem contar com os dias de viagem de e para o local da sua residência).

Roteiro Aldeias do Xisto: guia para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal
Piodão – Roteiro para visitar as Aldeias de Xisto

Caso consiga acrescentar ainda mais um par de dias, tanto melhor! Não só lhe permite conhecer de uma forma mais relaxante a maioria dos locais de interesse das Aldeias do Xisto, como ainda lhe possibilita fazer vários desdobramentos que @ vão levar a locais verdadeiramente mágicos da região do Centro de Portugal. Esteja atent@ às nossas dicas durante a descrição do roteiro de 5 dias para visitar as Aldeias do Xisto que desenhamos para si.

Roteiro Aldeias do Xisto: guia para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal
Cascata da Fraga de Água d’Alta – Roteiro para visitar as Aldeias de Xisto

Claro que não tem de visitar todas as Aldeias de Xisto numa só visita. Até porque o roteiro que partilhamos neste artigo está (muito) longe de esgotar tudo o que as Aldeias do Xisto têm para oferecer a quem as visita. Na verdade, precisa de um bom par de semanas (para não dizer mais) para as conhecer todas com tempo.

Roteiro Aldeias do Xisto: guia para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal
Passadiços das Fragas de São Simão – Roteiro para visitar as Aldeias de Xisto

Posto isto, pode perfeitamente dividir este roteiro em várias partes e fazer três ou quatro escapadinhas distintas. Já a pensar nisso, logo abaixo do roteiro de 5 dias para visitar as Aldeias do Xisto, vamos apresentar-lhe 4 sugestões de escapadinhas que lhe vão permitir conhecer todas as Aldeias do Xisto do Centro de Portugal.

Onde ficar a dormir quando visitar as Aldeias do Xisto? Sugestões de alojamento

Roteiro Aldeias do Xisto: guia para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de PortugalTendo em conta que as Aldeias de Xisto do Centro de Portugal estão muito dispersas geograficamente, é imperativo dividir as noites de hospedagem por várias localidades. Claro que, se dividir o nosso roteiro de 5 dias para visitar as Aldeias do Xisto em várias escapadinhas, pode montar base numa só localidade e fazer os seus passeios a partir daí.

Independentemente da sua opção, é importante referir que encontra boas soluções de Turismo Rural em todas as Aldeias do Xisto que referimos neste artigo.

Se preferir um alojamento mais convencional (ou seja, um hotel), é melhor olhar para localidades de maior dimensão, como sejam a Lousã, Miranda do Corvo, Arganil, Oliveira do Hospital, Fundão, Sertã ou Castelo Branco. Mas, em nossa opinião, não há nada que bata a experiência de ficar a dormir numa das aldeias.

Clique nos links abaixo para procurar alojamento nas respetivas localidades e opte sempre por reservar unidades hoteleiras que permitam o cancelamento, não vá ter algum imprevisto.

Alojamento nas Aldeias do Xisto da Serra da Lousã

Candal | Casal de São Simão | Cerdeira | Ferraria de São João | Gondramaz | Pena | Talasnal

Alojamento em vilas e cidades perto das Aldeias do Xisto da Serra da Lousã

Lousã | Góis | Miranda do Corvo | Penela

Alojamento nas Aldeias do Xisto da Serra do Açor

Aldeia das Dez | Benfeita | Fajão | Piódão | Sobral de São Miguel | Vila Cova de Alva

Alojamento em vilas e cidades perto das Aldeias do Xisto da Serra do Açor

Arganil | Oliveira do Hospital | Seia

Alojamento nas Aldeias do Xisto do Zêzere

Álvaro | Barroca | Janeiro de Baixo | Janeiro de Cima | Pedrógão Pequeno

Alojamento em vilas e cidades perto das Aldeias do Xisto do Zêzere

Fundão | Pampilhosa da Serra | Sertã

Alojamento nas Aldeias do Xisto do Tejo-Ocreza

Figueira (Sobreira Formosa) | Foz do Cobrão

Alojamento em vilas e cidades perto das Aldeias do Xisto do Tejo-Ocreza

Castelo Branco | Proença a Nova | Vila de Rei | Vila Velha de Rodão

Por último queremos salientar que ao longo do roteiro vamos sugerir-lhe os nossos alojamentos favoritos para cada um dos dias – testados e aprovados por nós – que apresentam a melhor relação qualidade-preço.

Encontre as melhores ofertas de alojamento nas Aldeias do Xisto

Roteiro de 5 dias para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas do Centro de Portugal – o que ver e fazer

Roteiro Aldeias do Xisto: guia para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal
Chãs de Égua – Roteiro para visitar as Aldeias de Xisto

O nosso roteiro para visitar as Aldeias do Xisto tem início no Casal de São Simão (Figueiró dos Vinhos) e termina na Foz do Cobrão (Vila Velha de Rodão). Mas claro que pode fazer o mesmo na ordem inversa sem qualquer problema, ou até mesmo começar em qualquer uma das outras Aldeias do Xisto de sua preferência e a partir daí desenhar o seu próprio roteiro.

Roteiro Aldeias do Xisto: guia para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal
Janeiro de Baixo – Roteiro para visitar as Aldeias de Xisto

Queremos também sublinhar que o número de dias que sugerimos para este roteiro pelas Aldeias do Xisto pressupõe que a viagem seja feita com viatura própria e não inclui os dias de viagem do local de origem para a região do Centro de Portugal.

Roteiro Aldeias do Xisto: guia para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal
Passadiços da Ribeira das Quelhas – Roteiro para visitar as Aldeias de Xisto

Na verdade, visitar as Aldeias do Xisto sem carro ou mota é virtualmente impossível de realizar, visto que não existe oferta regular de transportes públicos para a maioria das aldeias. Se estiver sem viatura própria, o melhor mesmo é alugar um carro.

Roteiro Aldeias do Xisto: guia para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal
Talasnal – Roteiro para visitar as Aldeias de Xisto

Se é nosso leitor assíduo, já sabe que nos nossos roteiros o número de dias é meramente indicativo. Caso já conheça algumas das aldeias ou abdique de visitar alguns dos pontos de interesse que recomendamos, pode fazer este roteiro em menos dias.

Roteiro Aldeias do Xisto: guia para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal
Ponte Filipina – Aldeia de Xisto de Pedrogão Pequeno

No sentido oposto, caso pretenda visitar mais algumas aldeias e vilas, percorrer mais trilhos ou simplesmente relaxar numa das maravilhosas praias fluviais das Aldeias do Xisto (e olhe que são muitas), recomendamos vivamente que acrescente mais uns dias ao seu roteiro para visitar as Aldeias do Xisto. Ao longo do roteiro de 5 dias vamos dar-lhe várias dicas com essa finalidade e vai ver que é super fácil transformar esta viagem às Aldeias do Xisto do Centro de Portugal numa semana (ou duas) de férias.

Roteiro Aldeias do Xisto: guia para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal
Praia Fluvial do Casal de São Simão – Roteiro para visitar as Aldeias de Xisto

Por último, queremos relembrá-lo que pode perfeitamente dividir este nosso roteiro para visitar as Aldeias do Xisto em várias escapadinhas distintas. Mais à frente vamos apresentar-lhe algumas sugestões nesse sentido.

Quer conhecer mais aldeias maravilhosas em Portugal? Então não deixe de ler também os seguintes artigos:

Roteiro para visitar as Aldeias de Xisto | Serra da Lousã: 1º Dia

Casal de São Simão – Ferraria de São João – Cascata da Pedra da Ferida – Gondramaz – Talasnal – Alto do Trevim

Os dois primeiros dias do nosso roteiro para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal vão ser dedicados a explorar o aglomerado das aldeias de xisto da Serra da Lousã, o maior de todos os grupos territoriais da rede das Aldeias do Xisto.

Casal de São Simão

Como já referimos atrás, o nosso roteiro para visitar as Aldeias do Xisto arranca no Casal de São Simão, uma aldeia idilicamente edificada numa das alas da crista quartzítica que dá origem às Fragas de São Simão, uma das maiores maravilhas naturais de Portugal.

Na aldeia em si os destaques vão para as suas casas típicas primorosamente recuperadas, para o fontanário e para a ancestral Ermida de São Simão, um dos templos mais antigos do concelho de Figueiró dos Vinhos. Mas o que faz do Casal de São Simão uma das aldeias de xisto mais bonitas de Portugal é o seu fantástico entorno natural, com destaque para as já referidas Fragas de São Simão.

Pelo meio das fragas, formando uma idílica garganta, passa a Ribeira de Alge, dando origem a uma das praias fluviais mais bonitas de Portugal, a Praia Fluvial das Fragas de São Simão.

Para conhecer todas estas maravilhas nada como percorrer o novíssimo Passadiço das Fragas de São Simão que liga a Aldeia de Xisto ao altaneiro Miradouro das Fragas de São Simão, passando pela Praia Fluvial das Fragas de São Simão. São dois quilómetros de pura magia! Clique para saber mais sobre os Passadiços das Fragas São Simão.

Ferraria de São João

A segunda paragem do nosso roteiro para visitar as Aldeias de Xisto é na Ferraria de São João, já no concelho de Penela. Esta pequena aldeia de xisto fica escondida na encosta de uma crista quártzica no extremo sul da serra da Lousã e para além da beleza do seu casario, que casa na perfeição com o meio envolvente, não lhe faltam elementos diferenciadores.

Para começar tem um dos mais bem preservados currais comunitários de Portugal. Segundo tem um maravilhoso sobreiral, que para além de dar sombra e cortiça, é uma espécie de corporação de bombeiros natural que há décadas protege a aldeia dos violentos fogos que teimam em assolar esta região.

Depois há ainda um Centro de BTT (o primeiro de Portugal) e um Caminho do Xisto delicioso (o Trilho do Rebanho), que o irá conduzir até à cumeada da Serra do Espinhal, de onde poderá desfrutar de maravilhosas vistas panorâmicas sobre a aldeia e a região envolvente. É preciso é ir com algum tempo pois, apesar do trilho ter somente 6 km de extensão, tem uma subida bem rasgadinha. Fica a dica para o caso de querer acrescentar mais um dia ao seu roteiro pelas Aldeias do Xisto do Centro de Portugal!

Cascata da Pedra da Ferida

Passar pelo concelho de Penela e não ir conhecer a Cascata da Pedra da Ferida, o seu ex-libris natural, seria um verdadeiro pecado. A cascata tem quase 25 metros de altura e forma uma deliciosa piscina natural, perfeita para refrescantes mergulhos naquelas quentes tardes de verão do Centro de Portugal. Por isso, nem pestanejamos na hora de a incluir no nosso roteiro para visitar as Aldeias do Xisto.

A Cascata da Pedra da Ferida fica localizada nas imediações da vila do Espinhal, junto ao Parque de Merendas da Ribeira da Azenha. Para a ir conhecer terá de fazer uma pequena caminhada de 2 km (ida e volta) ao longo da Ribeira da Azenha, mas acredite que vale cada gotinha de suor. Clique aqui para ler mais informações sobre o trilho que conduz à Cascata da Pedra da Ferida e descarregar o track GPS para levar no seu smartphone.

Gondramaz

Continuamos o nosso roteiro pelas Aldeias do Xisto com uma visita à aldeia de Gondramaz, primorosamente incrustada numa encosta da Serra da Lousã, a poucos quilómetros de Miranda do Corvo.

Perca-se pelas labirínticas ruelas de xisto desta aldeia de artesões que parece ter congelado no tempo. Observe a minúcia das figuras cravadas nas paredes das casas de xisto, divirta-se com os originais nomes das suas ruas (Beco do Tintol ou Largo dos Petiscos, sugestivos, não?), visite a Capela de Nª Srª da Conceição, refresque-se no fontanário, disfrute das assombrosas paisagens envolventes, faça uma caminhada por entre carvalhos, castanheiros e azevinhos e diga “olá” à raposa selvagem que de Gondramaz fez a sua casa. Com um bocadinho de sorte, ela até lhe faz uma visita guiada!

Dica VagaMundos: se for com mais tempo e gostar de caminhadas, não deixe de percorrer o PR2 MCV – Caminho do Xisto do Gondramaz. Este percurso pedestre com cerca de 5,6 km de extensão (linear) liga a aldeia de Gondramaz ao Parque de Merendas da Chapinha pelo trajeto utilizado outrora pelos moleiros para aceder aos vários moinhos de água da ribeira. Não é um percurso pedestre muito fácil, sobretudo se quiser fazer ida e volta, mas é mesmo bucólico. Clique para mais informações sobre o PR2 MCV – Caminho do Xisto do Gondramaz.

Talasnal

De Gondramaz adentre-se pela Serra da Lousã, percorrendo a cénica estrada nacional N236, rumo ao Talasnal, a Aldeia do Xisto mais conhecida da Serra da Lousã, que até serviu de cenário para a famosa série televisiva “Mata Hari”.

E a reputação tem razão de ser. O Talasnal é não só a maior Aldeia do Xisto da Serra da Lousã, mas também uma das melhor preservadas. O cenário natural envolvente é simplesmente maravilhoso e as casas de xisto têm detalhes preciosos, que refletem o esmero com que foram recuperadas. Acredite que percorrer as estreitas ruelas do Talasnal é, literalmente, viajar no tempo de olhos abertos.

Não deixe de ver as Alminhas, na rua principal da aldeia, de visitar os antigos lagares de azeite, de tagarelar com as gentes da terra, de desfrutar das fantásticas vistas sobre a Serra da Lousã e de adoçar o dente com um Talanisco, um doce tradicional onde o mel e a castanha se unem num casamento perfeito.

Dica VagaMundos: quer acrescentar mais um dia ao seu roteiro pelas Aldeias do Xisto? Então sugerimos que vá percorrer o PR2 – Rota das Aldeias do Xisto, um percurso pedestre circular que liga o Talasnal ao Castelo da Lousã e que passa na aldeia de xisto do Casal Novo. No total são cerca de 6 km que pode complementar com uma visita à aldeia do xisto do Chiqueiro percorrendo o percurso pedestre PR5 que liga Casal Novo ao Chiqueiro através de uma maravilhosa floresta (2km ida e volta). Assim fica a conhecer mais duas Aldeias do Xisto da Serra da Lousã e com sorte até vê um veado! Clique para mais informações sobre o PR2 – Rota das Aldeias do Xisto.

Alto do Trevim

Para fechar em beleza o primeiro dia do roteiro pelas Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal nada como ir assistir ao pôr-do-sol no Alto do Trevim, o ponto mais alto da Serra da Lousã, situado a 1200 metros de altitude.

É aqui a “casa” do baloiço mais famoso de Portugal e acredite que não há melhor maneira de terminar um dia em cheio a explorar as Aldeias do Xisto da Serra da Lousã do que a baloiçar com uma paisagem infinita, pintada de dourado, a seus pés. Sente-se e sinta. Sinta renascer aquele sorriso de criança que há muito já estava esquecido. E no coração fica a certeza de que por estas terras o tempo não voa, mas sente-se e aproveita-se.

Onde ficar a dormir no 1º dia

Cerdeira Home for Creativity

A Cerdeira Home for Creativity oferece nove casas de xisto totalmente renovadas e equipadas na maravilhosa aldeia da Cerdeira. Por norma o pequeno-almoço, com produtos da região, está incluído no preço. E tanto o pode ir tomar ao acolhedor Café da Videira como optar por receber na sua casa de xisto numa cestinha cheia de iguarias para desfrutar na cama ou na varanda, com vistas sobre a serra e o vale da Ribeira da Cerdeira de suster a respiração. Mais romântico do que isto, é difícil!

Talasnal Montanhas de Amor

De traços rústicos, as casas do Talasnal Montanhas de Amor aliam a intemporalidade das paredes de xisto ao conforto e comodidades modernas. Tendo em linha de conta a história e memória destas casas de aldeia modestas, foram projetadas soluções para as tornar funcionais. Aqui encontra um refúgio ideal, com muito aconchego, para uma escapadinha a 2 e soluções para famílias com crianças pequenas, com espaço para brincadeira. Descanso não vai faltar a dormir no meio da serra com uma vista incrível, um destino propício a viver a natureza, onde o tempo parece parar tal é a tranquilidade que aqui se vive.

Casa da Carvalha (Candal)

Com uma localização estupenda para uma viagem às origens das Aldeias do Xisto, a Casa da Carvalha é um espaço de aconchego e conforto calorosos. Como calorosa é a receção. O caráter rústico é mantido pelas paredes de xisto e as madeiras cuidadas à mão. É nos detalhes que sentimos ser acolhidos no seio dum lar: o cântaro, a manta de croché, a cadeira de balanço em rotim, a salamandra que faz toda a diferença nas noites frias. A aldeia do Candal é uma pérola no meio da Serra da Lousã que à noite se reveste duma magia encantadora.

Encontre as melhores ofertas de alojamento nas Aldeias do Xisto da Lousã

Mapa do 1º dia do Roteiro das Aldeias de Xisto Centro de Portugal


Clique no canto superior direito para aumentar o mapa do 1º dia do Roteiro das Aldeias do Xisto no Centro de Portugal.

Roteiro para visitar as Aldeias do Xisto | Serra da Lousã: 2º Dia

Cerdeira – Candal – Castelo da Lousã – Cabril do Ceira – Pena

Cerdeira

O segundo dia do nosso roteiro para visitar as Aldeias de Xisto mais bonitas de Portugal começa com uma visita à Cerdeira, a nossa favorita de todas as Aldeias do Xisto da Serra da Lousã.

Aninhada num vale encantado, a Cerdeira é daqueles locais que têm a faculdade de aprisionar o coração ao primeiro vislumbre. Pouco mais duma vintena de casas de xisto, primorosamente restauradas, surge na cumeada dum pequeno monte, alinhadas pelas duas únicas ruas da aldeia.

Logo à entrada, uma capelinha, um carreiro calcetado de xisto, conduz o visitante até ao idílico regato que desce encosta abaixo e cuja voz soa a cumprimento de boas vindas. Mais adiante, uma fonte de água replica o som. Um pouco mais à frente uma represa natural convida a banhos.

Os sentidos parecem despertar dum torpor a que a vida da grande cidade nos força. O olhar perde-se numa das paisagens mais puras. O ouvido capta o chilreio dos pássaros, o murmurejar da água, o sussurro da folhagem. O olfato desperta para o cheiro que emana da terra, da vegetação, das flores, e à noite, da lareira acesa. Na boca a sensação da água fresca que sacia a sede. Na pele sente-se a carícia da brisa, o afago do sol, e os dedos deambulam pela rugosidade da pedra de xisto. O éden não pode andar muito longe disto!

Candal

Rota da Levada – Aldeia de Xisto do Candal

Continue o seu roteiro pelas Aldeias do Xisto da Serra da Lousã com uma caminhada entre a aldeia da Cerdeira e a aldeia do Candal percorrendo o bem assinalado trilho PR3 – Rota da Levada, o nosso trilho favorito da Serra da Lousã.

Pelo caminho vai atravessar frondosos bosques, cruzar uma série de pequenos riachos e ser presenteado com algumas das paisagens mais bucólicas da Serra da Lousã. Ir e vir são cerca de 4 km que se fazem sem grandes dificuldades, o que faz com que seja um excelente passeio para fazer em família. Caso o tempo não esteja de feição, pode sempre ir de carro até ao Candal.

Uma vez na aldeia de Candal, não deixe de visitar o lindo chafariz da aldeia, os lagares de azeite e os 5 moinhos de água que aproveitam a água da ribeira. Ah, e não deixe de subir as empinadas ruelas até chegar ao altaneiro miradouro da aldeia. As vistas sobre o Candal e o seu vale compensam todas as gotas de suor.

Cascata do Candal

Se é fã de cascatas sugerimos ainda que vá conhecer a encantadora Cascata do Candal. Fica a somente 800 metros da aldeia e para lá chegar basta continuar pelo PR3 em direção ao Castelo da Lousã. Caso não esteja cansado pode sempre continuar pela Rota da Levada até ao Castelo da Lousã. Vale tanto, mas tanto a pena! Clique para mais informações sobre o PR3 – Rota da Levada e descarregar o track GPS para levar no seu smartphone.

Castelo da Lousã e Praia Fluvial da Senhora da Piedade

Praia Fluvial da Senhora da Piedade

Depois da caminhada nada como ir visitar o cénico Castelo da Lousã e relaxar na Praia Fluvial da Senhora da Piedade, onde pode apanhar um banho de sol ao lado de uma cascata, ou baloiçar placidamente sobre as águas transparentes da ribeira. Se for no verão, não se esqueça do fato de banho!

A cereja no topo do bolo é ir comer a bela da “rapsódia” ao Burgo, um dos nossos restaurantes favoritos na Serra da Lousã. A “rapsódia” consiste em 6 entradas, 6 pratos principais e 6 sobremesas, o que faz com que seja perfeita para recuperar as energias perdidas na Rota da Levada e para ficar com uma boa ideia da riqueza gastronómica da região. Entre os vários pratos típicos que poderá degustar, destacamos a chanfana, o coelho frito, o cabrito assado e o javali com castanhas.

Cabril do Ceira

A próxima paragem do nosso roteiro para visitar as Aldeias do Xisto do Centro de Portugal será na Garganta do Cabril do Ceira. O acesso à garganta é por estrada de terra batida mas, a não ser que tenha chovido muito, é perfeitamente possível circular na mesma com um carro ligeiro. Se for no verão, não se fique apenas pelas vistas e aproveite para dar um mergulho na sua fantástica praia fluvial, que é no fundo uma piscina natural deliciosa. Imperdível!

Aldeia da Pena

O segundo dia do nosso roteiro para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal termina na remota aldeia da Pena, a maior aldeia de xisto do concelho de Góis.

Da aldeia da Pena tem vistas estupendas para os escarpados Penedos de Góis, que com os seus mais de 1000 metros de altura fazem a delícia dos amantes de escalada.

Para além do empolgante enquadramento paisagístico, do casario primorosamente restaurado e da idílica ribeira que corre a seus pés, o que nos fez apaixonar pela Pena é o facto de ser uma das Aldeias do Xisto mais autênticas da Serra da Lousã. Para tal muito contribui a ausência de estrada alcatroada entre a Pena e as restantes aldeias do xisto do concelho, nomeadamente Comareira, Aigra Nova e Aigra Velha.

Por outras palavras, para ir conhecer a aldeia da Pena tem basicamente duas opções: ou percorre uma estrada florestal de terra batida com bastantes pedras soltas que liga Agra Velha à Pena, ou vai dar a volta larga e acede pela estrada asfaltada que passa pelos pequenos povoados de Ribeira Cimeira e Ribeira Fundeira (tenha isso em atenção na hora de pedir as direções ao seu aparelho de GPS).

Independentemente da opção escolhida não temos grandes dúvidas de que quando lhe botar o olho em cima, e vir o casario de xisto a espraiar-se encosta acima, vai logo cair de amores!

Maravilhosas vistas do Caminho do Xisto das Aldeias de Góis
Dica VagaMundos: se gosta de caminhadas e quiser ficar a conhecer as restantes Aldeias do Xisto do concelho de Góis acrescente mais um dia ao seu roteiro pelas Aldeias de Xisto mais bonitas de Portugal, e vá percorrer o PR1 GOI – Caminho do Xisto das Aldeias de Góis. Este percurso circular tem sensivelmente 9 km de extensão e passa pelas aldeias de xisto da Comareira, Aigra Nova e Aigra Velha. Ao longo do percurso será brindado com soberbas paisagens de montanha e idílicos bosques. Clique para mais informações sobre o PR1 GOI – Caminho do Xisto das Aldeias de Góis e descarregar o track GPS para levar no seu smartphone.
Quer mais dicas sobre a região da Serra da Lousã? Então não deixe de ler o nosso roteiro com o que ver e fazer na Serra da Lousã.

Onde ficar a dormir no 2º dia

Casa da Cerejinha

Como uma varanda para a vida da aldeia e repleta de tradição, a Casa da Cerejinha prende-nos pelo conforto e primor dos detalhes, patente no mobiliário tradicional e decoração, uma homenagem aos tempos idos mas com um toque de modernidade. Com aquecimento em todas as divisões, dispõe de dois quartos com cama de casal e um sofá-cama em mezzanine, sala com lareira e cozinha equipada. Na remota e isolada aldeia de xisto da Pena. Há lá melhor sedativo natural anti-stress do que um lugar longe do mundo?!

Casa Carvalhal 

Se preferir ficar na vila de Góis para ter melhor acesso a restaurantes ou outros serviços, a Casa Carvalhal é uma excelente aposta. Um dos alojamentos em regime bed & breakfast mais bem cotados e recebe ainda o nosso elogio pela modernidade, decoração e limpeza. Os quartos e suites têm casa de banho privativa, aquecimento central, são espaçosos, com camas super confortáveis e incluem um pequeno almoço delicioso magnífico. Se ainda está hesitante, a piscina exterior sazonal, de água salgada e aquecida vai convencê-l@ de certeza.

Encontre as melhores ofertas de alojamento nas Aldeias do Xisto de Góis

Mapa do 2º dia do Roteiro das Aldeias de Xisto Centro de Portugal


Clique no canto superior direito para aumentar o mapa do 2º dia do Roteiro das Aldeias do Xisto no Centro de Portugal.

Roteiro para visitar as Aldeias do Xisto | Serra do Açor: 3º Dia

Fajão – Cascata da Fraga da Pena e Mata da Margaraça – Benfeita – Vila Cova de Alva – Aldeia das Dez – Piódão

O terceiro dia do nosso roteiro pelas Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal vai ser todo ele dedicado a explorar as Aldeias do Xisto da Serra do Açor.

Fajão

A primeira paragem do dia será em Fajão, uma das Aldeias do Xisto mais apaixonantes da Serra do Açor. O enquadramento paisagístico desta aldeia dificilmente conseguiria ser melhor. De um lado profundos vales, por onde serpenteia o rio Ceira. Do outro, as sublimes escarpas quartzíticas dos Penedos de Fajão.

Para além da intrínseca beleza paisagística, Fajão possui uma riquíssima história, que poderá conhecer visitando o Museu Monsenhor Nunes Pereira. Mas o melhor de tudo é calcorrear o autêntico museu vivo que são as ruas e ruelas desta castiça aldeia de xisto da Serra do Açor. Nas suas deambulações não deixe de visitar a Igreja Matriz, a antiga Casa da Câmara, a Capela de Nossa Senhora da Guia, o lavadouro público, o forno comunitário e o edifício da antiga Escola Primária. Ah! Se for no verão, não deixe de ir dar um mergulho à piscina pública da aldeia!

Mata da Margaraça e Cascata da Fraga da Pena

Mata da Margaraça

Fajão visitada, continue o seu roteiro para visitar Aldeias do Xisto do Centro de Portugal rumando até à Mata da Margaraça, um reduto de floresta autóctone de carvalhos, castanheiros, freixo, ulmeiros e orquídeas raras.

A melhor maneira de a conhecer é percorrendo o trilho interpretativo da Mata da Margaraça. Este pequeno e super acessível percurso pedestre, com somente 1,5 km de extensão, vai conduzi-lo por um bosque mágico pincelado por ribeiras, quedas de água e represas. Pode ainda visitar o forno de refugo, um moinho de água e o espaço museológico agrícola da Casa da Eira. É uma delícia de percorrer e, se for com miúdos, eles vão adorar!

Cascata da Fraga da Pena

Poucos quilómetros à frente, logo após a aldeia de Pardieiros, vai encontrar outro tesouro natural da Serra do Açor, a extraordinária Cascata da Fraga da Pena. A cascata da Fraga é formada pela água que, rompendo o xisto, se despenha da Barroca das Degrainhas. O resultado é uma majestosa queda de água com quase 20 metros de altura. Some-lhe o idílico enquadramento paisagístico, a omnipresente serenidade e as suas lagoas naturais, e não terá dificuldades em perceber porque é a recomendamos como visita imperdível num roteiro pelas Aldeias do Xisto mais bonitas do Centro de Portugal.

Dica VagaMundos: não se fique apenas pela Cascata da Fraga da Pena. Se subir a Barroca das Degrainhas, vai encontrar mais 3 belas cascatas, que apesar de serem de menor dimensão, criam também pequenas lagoas onde pode tomar banho. Para chegar lá, basta seguir as marcações do trilho do Caminho do Xisto de Benfeita.

Benfeita

Da Fraga da Pena continue a sua viagem com uma visita a Benfeita, um nome que assenta que nem uma luva a esta aldeia de xisto da Serra do Açor.

Honestamente, não lhe sabemos dizer o que gostamos mais nesta aldeia branca da rede das Aldeias do Xisto: se das suas estreitas e labirínticas ruelas e passadiços, se das suas refrescantes zonas ribeirinhas (sim, Benfeita tem duas ribeiras), se da sua Torre da Paz (que todos dos dias 7 de Maio celebra o fim da II Guerra Mundial com 1620 badaladas, precisamente o número de dias que durou o fatídico conflito), se de observar o seu alvo casario do alto da Fonte das Moscas. O certo é que Benfeita apaixona e custa-nos sempre vê-la desaparecer pelo retrovisor.

Vila Cova de Alva

A próxima paragem do nosso roteiro para visitar as Aldeias do Xisto será em Vila Cova de Alva, onde o espera um enorme património histórico para explorar, provavelmente o maior de todas as Aldeias do Xisto da Serra do Açor.

Os locais que consideramos serem de visita obrigatória em Vila Cova de Alva são a histórica Rua Quinhentista (onde irá encontrar várias casas com elementos quinhentistas, a grande maioria do século XVI), a imponente Igreja Matriz de Vila Cova de Alva, a Igreja da Misericórdia, a Fonte da Praça e a Casa da Praça (antigos Paços do Concelho), o Pelourinho, o Convento de Santo António (e a sua monumental escadaria), o Solar dos Condes da Guarda e a bela Ponte sobre o rio Alva.

Aldeia das Dez

É certo que a Aldeia das Dez pertence à rede das Aldeias do Xisto mas a primeira reação quando se entra na aldeia é “onde raios está o xisto?”, visto que a aldeia é maioritariamente composta por construções de granito.

A resposta é simples: a Aldeia das Dez está primorosamente situada na encosta norte do Monte do Colcurinho, a sensivelmente 500 metros de altura, e goza de vistas privilegiadas sobre as montanhas de xisto. No fundo, a aldeia é um gigantesco miradouro que a cada esquina brinda o visitante com soberbas vistas sobre a Serra do Açor e, sobretudo, sobre a vizinha Serra da Estrela. Em dias de boa visibilidade até é possível avistar a Serra do Montemuro e do Caramulo.

Para além das maravilhosas paisagens envolventes não falta património edificado à Aldeia das Dez. Os nossos destaques vão para as suas fontes (no total são quatro, sendo que a mais emblemática é a Fonte do Povo, junto ao Cruzeiro), para a Igreja Matriz, para a Igreja Santa Maria Madalena, para a Casa do “S” e para o Solar Pina Ferraz.

Dica VagaMundos: se gosta de um bom trilho e quiser acrescentar mais um dia ao seu roteiro para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal, não deixe de percorrer o PR1 OHP – Caminho do Xisto de Aldeia das Dez. São 20 km mágicos pelas Várzeas do Alvoco e pelos antigos caminhos que conduziam ao Santuário de Nossa Senhora das Preces e a Piódão. As vistas são de cortar a respiração!

Piodão

Da Aldeia das Dez, continue o seu roteiro pelas Aldeias Históricas do Centro de Portugal rumando em direção à Aldeia Histórica do Piódão, a grande vencedora das 7 Maravilhas de Portugal na categoria de Aldeias Remotas.

Mas não se apresse! Até porque vai percorrer a cénica Estrada Municipal M508, um verdadeiro balcão panorâmico da Serra do Açor que convida a paragens curva sim, curva sim.

Quando sair da M508 e entrar na M508-1 prepare-se para um chorrilho de curvas e contracurvas rumo ao que parece ser o infinito. É que a Aldeia Presépio do Piódão esconde-se bem no fundo de um profundo vale e chegar lá está longe de ser tarefa fácil, sobretudo se é propenso a enjoos.

Todavia, quando vislumbrar o seu casario de xisto negro e telhados de ardósia, com as típicas portas e portadas pintadas de azul, encastelada no intenso verde da encosta da serra, vai ver que valeu a pena fazer cada uma das sinuosas curvas. É simplesmente apaixonante!

Feche o terceiro dia do seu roteiro pelas Aldeias do Xisto calcorreando as empinadas ruas de Piódão, um autêntico labirinto estreito e sinuoso de ruelas e escadinhas, travessas e quelhos, que o vão deixar embevecido com cada recanto descoberto. Nas suas deambulações não deixe de visitar o Museu de Piódão, a icónica Igreja Matriz dedicada a Nossa Senhora da Conceição e a Praia Fluvial do Piódão.

Onde ficar a dormir no 3º dia

Casa da Padaria

O nosso cantinho de eleição em Piodão é a Casa da Padaria. Ser aqui recebido é como ser acolhido com a familiaridade e calor humano daquela tia que nos mima. Entra como hóspede, arrisca-se a sair como amigo. A noite é memorável em qualquer dos quartos privados no piso cimeiro, todos com a promessa de descanso absoluto e vistas refrescantes sobre os socalcos da montanha e a aldeia. De manhã, desperte para um excecional pequeno-almoço, com sabor a aldeia e serra, que vai querer repetir. Não há alma que resista a tanto mimo da Dona Gorete!

INATEL Piódão

Se não dispensa a comodidade dum hotel, espreite o INATEL Piódão. A unidade hoteleira foi construída à imagem da aldeia, procurando respeitar a traça e materiais locais. O xisto vigora no exterior, a madeira marca o interior deste hotel de 4 estrelas. Disponibiliza uma piscina interior, uma sauna e uma piscina de hidromassagem, a par dum ginásio. Os quartos são modernos, confortáveis e espaçosos e o pequeno-almoço é por norma muito bom. A relação qualidade preço é muito positiva.

Encontre as melhores ofertas de alojamento na Aldeia Histórica do Piódão

Mapa do 3º dia do Roteiro das Aldeias de Xisto Centro de Portugal 


Clique no canto superior direito para aumentar o mapa do 2º dia do Roteiro das Aldeias do Xisto no Centro de Portugal.

Roteiro para visitar as Aldeias do Xisto |Serra do Açor e Zêzere: 4º Dia

Chãs de Égua – Foz de Égua – Cascata do Poço da Broca – Sobral de São Miguel – Barroca – Janeiro de Cima – Janeiro de Baixo

No quarto dia do nosso roteiro pelas Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal vai poder conhecer as restantes aldeias do xisto da Serra do Açor e as primeiras aldeias do xisto do aglomerado do Zêzere.

Chãs d’Égua

Comece o dia com uma visita à aldeia de xisto de Chãs de Égua. São as dezenas de gravuras rupestres encontradas na povoação de Chãs d’Égua que atestam que a região teve ocupação humana desde tempos remotos, provavelmente há mais de três mil anos.

Para o descobrir, nada melhor do que uma visita ao Centro Interpretativo De Arte Rupestre De Chãs d’Égua. Á semelhança do Piódão, a aldeia serrana de Chãs d’Égua, implantada na encosta, faz-se de ruelas estreitas e sinuosas, entre casas de xisto e rebocadas.

Foz d’Égua

De Chãs d’Égua continue o seu roteiro pelas Aldeias do Xisto rumando até à vizinha aldeia de Foz d’Égua, uma das aldeias mais pitorescas da Serra do Açor. Foz d’Égua parece uma aldeia de fantasia. O seu traço mais identificativo são as duas pontes de xisto, como irmãs gémeas, sobre as Ribeiras do Piódão e de Chãs d’Égua que aqui se unem e alimentam a deliciosa e fotogénica praia fluvial de Foz d’Égua.

Há ainda uma ponte suspensa de madeira e um presépio no topo da aldeia feito pela população. Já lhe chamaram a aldeia Hobbit pela sugestão de cenário encantado. Este é um daqueles tesouros escondidos a que ninguém consegue resistir.

Dica VagaMundos: se tiver mais uns dias disponíveis para alocar à sua viagem pelas Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal, aproveite e parta à descoberta dos (muitos) encantos da vizinha Serra da Estrela. Clique para ler o nosso guia e roteiro com o melhor da Serra da Estrela.

Sobral de São Miguel

Continue a sua visita às Aldeias do Xisto rumando até Sobral de São Miguel, a última das aldeias deste roteiro que integra a Rede das Aldeias do Xisto da Serra do Açor.

Os principais pontos de interesse turístico da aldeia são a altaneira Igreja Matriz, a Fonte e Ponte do Caratão e a Zona Balnear de Sobral de São Miguel, onde, para além da aprazível praia fluvial da Ribeira do Porsim, é possível visitar uma eira comunitária, um tronco de ferrar, um antigo lagar de azeite e um moinho de água.

Quer mais dicas sobre a região da Serra do Açor? Então não deixe de ler o nosso roteiro com o que ver e fazer na Serra do Açor.

Barroca

Barroca é a primeira aldeia do grupo territorial do Zêzere deste nosso roteiro para visitar as Aldeias do Xisto mais bonitas do Centro de Portugal.

Entre os vários pontos de interesse da aldeia destacamos a majestosa Casa Grande, um antigo solar do século XVIII que presentemente alberga a sede da rede das Aldeias de Xisto, a Igreja de São Sebastião, a Capela de São Romão e a Praia Fluvial da Barroca, situada na margem do Zêzere, rio que pode atravessar utilizando uma ponte pedonal, que outrora servia para atravessar os vagões de minério da Mina da Panasqueira.

Janeiro de Cima

Continue o seu roteiro pelas Aldeias do Xisto do Zêzere com uma visita a Janeiro de Cima. Aqui a arquitetura das casas tem a particularidade de misturar o xisto com pedras roladas provenientes do leito do Zêzere.

Para além de deambular pelas suas ruas e quelhas, enquanto passa debaixo de arcos que são no fundo os passadiços que uniam casas opostas, não deixe de visitar a Igreja Velha, a Roda de Janeiro, a Casa das Tecedeiras, o Tear Gigante e a praia fluvial de Janeiro de Cima.

Dica VagaMundos: “Ó da barca!” – se visitar Janeiro de Cima nos meses de verão não deixe de atravessar o rio Zêzere numa barca tradicional, outrora o único veículo que permitia a travessia de uma margem para a outra.

Janeiro de Baixo

A última paragem do quarto dia do nosso roteiro para visitar as Aldeias do Xisto será na vizinha aldeia de Janeiro de Baixo, um autêntico pedacinho do céu situado na margem direita do rio Zêzere.

A praia fluvial desta Aldeia do Xisto em formato de península não só é um verdadeiro encanto, como está apetrechada com tudo e mais alguma coisa (até tem parque de campismo). Se a praia fluvial não lhe tomar todas as atenções, recomendamos que visite também a Igreja Matriz, a Fonte de Mergulho, a antiga Escola Primária e o moinho escavado na rocha.

Garganta do Zêzere

Logo ao lado de Janeiro de Baixo vai encontrar a Garganta do Zêzere, uma maravilha da natureza que o vai deixar boquiaberto. Este geomonumento que integra o Geopark Naturtejo resulta do choque entre continentes durante mais de 100 milhões de anos e consiste em escarpas quartzíticas que se erguem verticalmente a centenas de metros de altitude.

Passadiços do Orvalho
Dica VagaMundos: se gosta de cascatas, geomonumentos e passadiços, não hesite em acrescentar mais um dia ao seu roteiro para visitar as Aldeias do Xisto para ir percorrer os fantásticos Passadiços do Orvalho, que ficam localizados a somente 10 km de Janeiro de Baixo. Os passadiços conduzem à maravilhosa Cascata da Fraga de Água d´Alta e ao Cabeço do Mosqueiro, como ainda o vão brindar com algumas das paisagens mais apaixonantes da Beira Baixa. Clique para mais informações e para descarregar o track GPS para levar no seu smartphone.

Onde ficar a dormir no 4º dia

Casa De Janeiro

Descanso e lazer é uma combinação maravilhosa e na Casa De Janeiro é garantida. O sossego vive nos quelhos da aldeia de xisto de Janeiro de Cima, onde este alojamento de Turismo Rural está localizado. Ninguém fica indiferente ao ambiente acolhedor da casa de xisto e pedra rolada, cuja identidade rústica foi preservada em harmonia com mobiliário moderno que responde às necessidades de conforto atuais. Munida de cozinha equipada e terraço, é ideal tanto para uma escapadinha romântica como para uma família de seis pessoas. Junte o preço muito convidativo a um pequeno almoço fabuloso com produtos regionais, compotas e bolos caseiros e sinta-se irresistivelmente em casa.

Encontre as melhores ofertas de alojamento em Janeiro de Cima

Mapa do 4º dia do Roteiro das Aldeias de Xisto Centro de Portugal 


Clique no canto superior direito para aumentar o mapa do 4º dia do Roteiro das Aldeias do Xisto no Centro de Portugal.

Roteiro para visitar as Aldeias do Xisto | Zêzere e Tejo-Ocreza: 5º Dia

Álvaro – Pedrogão Pequeno – Centro Geodésico de Portugal – Cascata do Penedo Furado – Água Formosa – Figueira – Foz do Cobrão

No último dia do nosso roteiro pelas Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal vai poder conhecer as restantes aldeias do xisto do aglomerado do Zêzere e as aldeias do xisto mais bonitas do grupo territorial Tejo-Ocreza.

Álvaro

Meandro do Zêzere visto da Aldeia de Xisto de Álvaro

A primeira paragem do dia será na aldeia de xisto de Álvaro, caprichosamente plantada numa encosta sobranceira ao rio Zêzere.

Para além de ter um maravilhoso enquadramento natural, Álvaro é também uma das mais belas “aldeias brancas” da rede das Aldeias do Xisto (a maioria das fachadas das casas de xisto encontra-se rebocada e pintada de branco) tendo sido outrora uma importante povoação da Ordem de Malta, que por lá deixou um riquíssimo património religioso.

Igreja Matriz de São Tiago Maior

É por isso que, apesar de ser uma aldeia relativamente pequena, encontra em Álvaro duas igrejas, a Igreja Matriz de São Tiago Maior e a Igreja da Misericórdia, 7 capelas e um sem número de alminhas. Para conhecer as mais emblemáticas nada como percorrer o Circuito das Capelas, que arranca da Junta de Freguesia e passa pela Igreja Matriz, Capela de Santo António, Capela de São Sebastião, Capela de Nª Srª da Nazaré, Capela da Misericórdia e por várias alminhas.

Para além do património religioso não deixe de ir também até ao miradouro contíguo à Igreja Matriz para desfrutar de esmagadoras vistas sobre os Meandros do Zêzere e de ir dar um refrescante mergulho há sua maravilhosa praia fluvial (se for verão claro está).

Pedrogão Pequeno

Igreja Matriz de Pedrogão Pequeno

De Álvaro continuamos a descer o Zêzere rumo a Pedrogão Pequeno, uma linda Aldeia do Xisto que recebeu o epíteto de Joia da Beira.

O que distingue Pedrógão Pequeno das restantes Aldeias do Xisto é que aqui o xisto esconde-se sob rebocos brancos com cantaria de portas e janelas em granito. Para além do obrigatório passeio pelas suas estreitas ruas e ruelas não deixe de visitar a sua histórica Igreja Matriz, que pertenceu à Ordem de Malta, o seu Pelourinho e a majestosa Ponte Filipina sobre o rio Zêzere. Não deixe também de subir ao alto do Monte da Senhora da Confiança para desfrutar de deslumbrantes vistas sobre o enorme espelho de água da Albufeira da Barragem de Cabril. É de cortar a respiração!

Ponte Filipina sobre o rio Zêzere
Dica VagaMundos: se quiser adicionar mais um dia ao seu roteiro pelas Aldeias do Xisto recomendamos vivamente a que vá percorrer o excelente percurso pedestre PR2 STR – Caminho do Xisto de Pedrógão Pequeno II – Trilho do Zêzere. Este percurso circular, com aproximadamente 7 km de extensão, arranca no mercado de Pedrogão Pequeno e vai conduzi-lo por uma antiga estrada romana até às margens do rio Zêzere onde poderá admirar as suas imponentes escarpas graníticas e atravessar a histórica Ponte Filipina. Se for no verão, sugerimos que feche o dia com um passeio de barco ou caiaque e um mergulho na Praia Fluvial da vizinha localidade de Pedrogão Grande. Será um dia em cheio!

Centro Geodésico de Portugal

Pedrogão Pequeno visitado, está na hora de ir percorrer um troço da mítica Estrada Nacional 2. Serão pouco mais de 30 km é certo, mas é bem possível que lhe apanhe o gosto e comece logo a sonhar com a sua próxima roadtrip por Portugal!

O destino será o Picoto da Melriça, onde se encontra o Centro Geodésico de Portugal, que assinala, com pompa e circunstância, o Centro de Portugal. Do alto dos seus 600 metros será brindado com paisagens verdadeiramente esmagadoras. Em dias de boa visibilidade, até é possível avistar a Serra da Lousã, a Serra do Açor e a Serra da Estrela. Quem sabe não consegue identificar alguns dos picos por onde andou nos primeiros dias do roteiro pelas Aldeias do Xisto?

Cascata do Penedo Furado

A próxima aldeia de xisto do nosso roteiro é Água Formosa, mas antes ainda @ vamos desafiar a fazer mais um pequeno desvio. Avisamos de antemão que este vai ser mesmo muito difícil de resistir. É que, a uns meros 11 km do Centro Geodésico de Portugal, escondem-se dois dos tesouros naturais mais bonitos do Centro de Portugal: a Praia Fluvial e a Cascata do Penedo Furado.

Como se não bastasse, a mão do homem ainda lhe acrescentou os fantásticos Passadiços do Penedo Furado. Da praia até à cascata são apenas 700 metros (1,4 km ida e volta), logo, o percurso não demora mais do que uns 20 minutos. Vale mesmo a pena! Para mais informações leia o nosso artigo dedicado ao Penedo Furado.

Água Formosa

Água Formosa é a primeira aldeia do xisto do aglomerado do Tejo-Ocreza do nosso roteiro e dificilmente seria possível começar de melhor maneira.

A aldeia tem uma localização que roça o fantasioso, entre a Ribeira da Corga e a Ribeira da Galega, e ao chegar será recebido com o tranquilizador som da água das ribeiras e do melodioso canto dos muitos pássaros que deste cantinho fazem casa.

A água é um dos elementos chave desta aldeia do xisto, estando historicamente omnipresente na rotina diária dos que nela habitam. Para começar o próprio nome da aldeia deriva de uma uma fonte de água pura que se encontra na base de uma pequena escarpa de xisto a 200 metros do centro da aldeia.

Depois há um sem número de tradições e edifícios ligados à utilização da força da água, das quais destacamos as Azenhas e o Lagar da Ferrugenta, um centenário lagar de azeite movido com a força da água da Ribeira da Galega. Não deixe também de visitar o Forno a lenha comunitário (ainda em funcionamento) e a Eira dos Réis, onde no final do verão ainda se seca os cereais.

Albufeira de Castelo de Bode
Dica VagaMundos: quer acrescentar mais uns dias à sua viagem pelas Aldeias do Xisto? Então aproveite a sua passagem por esta região e visite também Tomar, a Albufeira de Castelo de Bode, a aldeia templária de Dornes, Ferreira do Zêzere, Constança e o lendário Castelo de Almourol. E se gosta de uma boa caminhada não deixe de ir percorrer o Trilho Vigia do Zêzere em Dornes e o surpreendente Trilho das Cascatas em Vila de Rei. Figuram ambos entre os melhores percursos pedestres do centro de Portugal!

Figueira

O nosso roteiro pelas Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal prossegue com uma visita a Figueira, uma das aldeias do xisto mais típicas da Beira Baixa.

Uma das suas grandes particularidades é que a aldeia foi construída quase como se de uma fortificação se tratasse. Nas entradas para a zona do casario foram construídas cancelas, que receberam o nome de “portas” da aldeia, e que se fechavam à noite para proteger a aldeia das investidas dos lobos. Hoje já não há muitas feras, mas as portas ainda lá estão, talvez para lembrar que a união comunitária é a grande força que move as gentes desta aldeia de xisto.

Visitar Figueira é uma verdadeira viagem no tempo, que aqui teima em não dar tréguas ao inclemente ponteiro dos relógios. Em Figueira o tempo passa devagar. As hortas ainda florescem, os animais ainda deambulam pelas estreitas ruelas, o forno a lenha comunitário ainda guarda o aroma do pão acabado de cozer e os “bons dias” ainda são dados com um sorriso.

Foz do Cobrão

Foz do Cobrão é a última aldeia deste nosso roteiro pelas Aldeias do Xisto mais bonitas do Centro de Portugal. E, acredite, vai ser um final em grande!

Foz do Cobrão tem um enquadramento natural verdadeiramente brutal, pois fica localizada no sopé da Serra das Talhadas, no preciso local em que a ribeira do Cobrão desagua no rio Ocreza.

Não deixe de passear pelas suas ruelas típicas, de conhecer a antiga Fábrica de Fiação, os moinhos de rodízio, o forno comunitário e a sua encantadora praia fluvial, que é no fundo uma idílica infinity pool natural, bordejada por um pequeno areal e um enorme rochedo, que se projeta na Cascata Poço de Mel.

Portas de Almourão

Mas há mais! Bem pertinho da aldeia de xisto de Foz do Cobrão vai encontrar uma autêntica joia geológica: as Portas de Almourão, um dos geossítios mais impressionantes do Geopark Naturtejo.

Neste ponto do vale do rio Ocreza as linhas de água abriram à força caminho por entre a muralha de rocha da Serra das Talhadas criando dois impressionantes picos quártzicos nas margens do rio Ocreza, que hoje servem de casa a grifos de abutres.

Para admirar esta maravilha da natureza foi criado um fantástico miradouro de fácil acesso, situado a menos de 1 km de Foz do Cobrão. Observar este incrível fenómeno geológico, com o magistral voo dos grifos e abutres a decorar os céus, é o cair do pano perfeito do seu roteiro pelas Aldeias Históricas do Centro de Portugal!

Miradouro do Castelo do Rei Vamba
Dica VagaMundos: ainda não quer ir para casa? Então acrescente (ainda) mais um dia ao seu roteiro pelas Aldeias do Xisto e vá conhecer a vizinha Vila Velha de Rodão, famosa pelas suas majestosas Portas de Rodão. Recomendamos que faça uma caminhada pela marginal ribeirinha e que dê um passeio de barco ou se aventure de caiaque pelas plácidas águas do Tejo. Se preferir uma caminhada, atravesse o rio Tejo e vá percorrer os fantásticos Trilhos do Conhal. O que não pode mesmo deixar de fazer é subir ao altaneiro Castelo do Rei Vamba, onde será brindad@ com vistas soberbas sobre as Portas de Rodão.

Onde ficar a dormir no 5º dia

Casas do Almourão

As Casas do Almourão estão localizadas na Aldeia de Xisto de Foz do Cobrão e dispõem de 4 casas com vistas panorâmicas deslumbrantes para a Serra das Talhadas, para o Rio Ocreza e para o Ribeiro Cobrão. Todas as casas são alusivas às atividades de outrora da região e incluem 2 quartos com 1 cama de casal, uma casa de banho e uma kitchenette totalmente equipada. A sala de estar está equipada com ar condicionado uma televisão de ecrã plano, um sofá e uma varanda. Algumas têm uma salamandra. Junto ao Monumento das Portas do Almourão, o leque de atividades é extenso: praias fluviais, caminhadas, escalada, canoagem, passeios de barco, BTT, pesca desportiva e observação de aves.

Clique para ver mais opções de alojamento em Foz do Cobrão

Mapa do 5º dia do Roteiro das Aldeias de Xisto Centro de Portugal


Clique no canto superior direito para aumentar o mapa do 5º dia do Roteiro das Aldeias do Xisto no Centro de Portugal.

Sugestão de escapadinhas para visitar as Aldeias do Xisto do Centro de Portugal

Como referimos no início do artigo, não precisa de visitar as Aldeias do Xisto do Centro de Portugal de uma assentada só. Pode perfeitamente dividir as suas visitas em várias escapadinhas de fim-de-semana pelas Aldeias do Xisto e até mesmo aproveitar para visitar outros destinos que ficam em caminho.

Abaixo encontra quatro sugestões de escapadinhas de 2 e 3 dias às Aldeias do Xisto que consideramos perfeitas para recarregar baterias. Em jeito de bónus colocamos entre parenteses algumas paragens adicionais que vão certamente enriquecer a sua visita às Aldeias do Xisto mais bonitas de Portugal.

Roteiro para escapadinha às Aldeias do Xisto da Serra da Lousã

Dia 1: Gondramaz – Talasnal – Casal Novo – Chiqueiro – Isto é Lousã (Letras e Moldura) – Castelo da Lousã – Cerdeira

Dia 2: Cerdeira – Candal – Cascata do Candal – Passadiços e Cascata da Ribeira das Quelhas – Alto do Trevim

Dia 3: Cabril do Ceira – Góis – Pena – Casal de São Simão – Passadiços das Fragas de São Simão – Cascata da Pedra da Ferida – Ferraria de São João

Encontre as melhores ofertas de alojamento na Serra da Lousã

Roteiro para escapadinha às Aldeias do Xisto da Serra do Açor

Dia 1: Coja – Barril de Alva – Vila Cova de Alva – Miradouro Avô – Avô – Ponte das Três Entradas – Aldeia das Dez – Santuário de Nossa Senhora das Preces – Monte do Colcurinho – Estrada panorâmica M508 – Piodão

Dia 2: Piódão – Chãs de Égua – Foz de Égua – Mata da Margaraça – Cascata da Fraga da Pena – Benfeita – Fajão

Encontre as melhores ofertas de alojamento na Serra do Açor

Roteiro para escapadinha às Aldeias do Xisto do Zêzere

Dia 1: Mosteiro – Pedrogão Pequeno – Álvaro – Passadiços do Orvalho

Dia 2: Janeiro de Baixo – Garganta do Zêzere – Janeiro de Cima – Janeiro de Baixo – Garganta do Zêzere – Barragem de Santa Luzia – Barroca

Clique para ver as melhores opções de alojamento na rota das Aldeias do Zêzere

Roteiro para escapadinha às Aldeias do Xisto do Tejo-Ocreza

Dia 1: Vila de Rei – Centro Geodésico de Portugal – Cascata do Penedo Furado – Água Formosa – Praia Fluvial de Cardigos – Figueira

Dia 2: Vila Velha de Rodão – Foz do Cobrão – Sarzedas – Martim Branco – Castelo Branco

Clique para ver as melhores opções de alojamento na rota das Aldeias do Tejo-Ocreza

Trilhos e Percursos Pedestres nas Aldeias do Xisto

Se é amante de caminhadas na natureza vai adorar as Aldeias do Xisto do Centro de Portugal. Como já certamente percebeu, das Aldeias do Xisto (e arredores) arrancam várias mãos cheias de percursos pedestres devidamente marcados e com vários níveis de dificuldade. Face a tamanha oferta o difícil mesmo é escolher! Ao longo do roteiro para visitar as Aldeias do Xisto mencionamos alguns deles, mas para facilitar a leitura colocamos abaixo um resumo dos nossos favoritos:

  • PR2 Lousã Trilho Rota das Aldeias do Xisto | 6 km
  • PR3 Lousã Trilho da Rota da Levada | 7 km (14 km ida e volta)
  • PR2 Moncorvo Caminho do Xisto do Gondramaz | 6 km (12 km ida e volta)
  • PR1 Góis Trilho das Aldeias do Xisto de Góis | 9 km
  • PR1 AGN Caminho do Xisto de Benfeita | 11 km
  • PR2 AGN Percurso Pedestre Os Povos das Ribeiras de Piodam | 10 km
  • PR3 AGN Percurso Pedestre Açor | 9 km
  • PR1 CVL – Caminho do Xisto de Sobral de São Miguel | 8 km
  • PR1 OHP – Caminho do Xisto de Aldeia das Dez | 20 km
  • PR3 PPS – Caminho do Xisto da Barragem de Santa Luzia | 10 km
  • Trilho Interpretativo da Mata da Margaraça | 1,5 km (perfeito para fazer com crianças pequenas)
  • PR1 FND – Caminho do Xisto da Barroca – Rota das Gravuras Rupestres | 9 km
  • PR4 PPS – Caminho do Xisto de Janeiro de Baixo | 10 km
  • PR2 STR – Caminho do Xisto de Pedrógão Pequeno II – Trilho do Zêzere | 7 km
  • PR3 VVR – Caminho do Xisto da Foz do Cobrão – Voo dos Grifos | 11,5 km
  • GeoRota e Passadiços do Orvalho | 9 km (18 km ida e volta)
  • Passadiços das Fragas de São Simão | 2 km (ida e volta)
  • Passadiços da Ribeira das Quelhas | 2,4 km (ida e volta)
  • Passadiços da Cascata do Penedo Furado | 1,5 km (ida e volta)

Outros roteiros de carro por Portugal

Prepare a sua próxima Viagem

Reserve o seu alojamento através do Booking.com. É onde encontramos sempre as melhores promoções e permite cancelar a reserva sem custos.

No GetYourGuide e na Civitatis encontra sempre os melhores tours locais e pode ainda reservar o seu transfer do aeroporto e saltar as filas comprando antecipadamente as entradas para os principais monumentos.

Jogue pelo seguro e faça um seguro de viagem na World Nomads ou na IATI Seguros. São ambas agências 100% especializadas em viagens e apresentam sempre os melhores rácios custo-benefício do mercado. Se optar pela IATI use o nosso link e terá um desconto de 5% por ser nosso leitor.

Anda à procura de voos baratos? Então utilize o Skyscanner para encontrar as melhores tarifas aéreas do mercado

Se precisa de alugar um carro para a sua próxima viagem recomendamos que utilize o Rentalcars. Permite comparar os preços de dezenas de empresas de rent-a-car e é possível cancelar o aluguer sem custos até 48h antes da partida.

Esta página contem links afiliados. Só recomendamos marcas que utilizamos e confiamos a 100%. Se efectuar as suas reservas através desses links recebemos uma pequena comissão. Dessa forma está a ajudar o blog "VagaMundos" a manter-se vivo. E o melhor de tudo é que você não paga mais por isso. Muito Obrigado!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.