Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste Alentejano

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste Alentejano

O Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina é um dos parques naturais mais sublimes de Portugal. Um destino de viagem perfeito, quer se tenha um par de dias livres ou duas mãos cheias deles. Nós somos “clientes” assíduos da Costa Vicentina e podemos afirmar, sem rodeios, que a cada visita nos surpreende ainda mais. Acreditamos vivamente que quando acabar de ler este nosso roteiro para visitar a Costa Vicentina, vai logo fazer a mala.

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste AlentejanoAs soberbas paisagens costeiras, as ondas de categoria mundial para a prática de surf e as praias da Costa Vicentina são sobejamente conhecidas e dispensam apresentações. Preservam muita da sua beleza original intocada pelo facto de estarem na zona protegida do Parque Natural.

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste AlentejanoFelizmente, aqui não há resorts na linha de praia a desfear o cenário. Há areais idílicos bordados de vegetação luxuriante, dunas em tons terra e rochas rolantes. Há falésias dramáticas, cabos pontiagudos, enseadas selvagens e desertas. Há casinhas castiças e vilas piscatórias doutros tempos transformadas em pequenos santuários de férias.

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste AlentejanoMas há mais, muito mais. Às deslumbrantes paisagens costeiras e várias mãos cheias de idílicas praias da Costa Vicentina, somam-se serras onde se escondem maravilhas naturais, povoados serranos onde o tempo passa sem pressa, planícies que se perdem no horizonte infinito e um sem número de trilhos que figuram entre os melhores de Portugal.

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste AlentejanoAdicione ainda a divinal gastronomia destas paragens, que combina com primor os sabores da serra e do mar, e a arte de bem receber das gentes do Alentejo. Já tem nas mãos quase todos os ingredientes da poção mágica da Costa Vicentina. Tomada uma vez, o regresso (repetido) a esta sedutora região do nosso Portugal é certo. Os ingredientes em falta na poção mágica só lhe serão revelados durante a sua viagem pela Costa Vicentina. E, acredite, são os mais aprazíveis!

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste AlentejanoPara o ajudar a partir à descoberta dos mil encantos do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, preparamos um roteiro de 5 dias para visitar a Costa Vicentina. Nele vai encontrar não só os principais pontos de interesse da Costa Vicentina, mas também muitas sugestões de atividades e dicas práticas para lhe facilitar a logística da viagem.

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste Alentejano

Nota importante: é importante ter em conta que este roteiro de 5 dias para visitar a Costa Vicentina não contempla dias inteiros passados na praia ou a praticar surf. Se quiser passar uns dias a apanhar algumas das melhores ondas de Portugal, ou simplesmente a dar uns mergulhos e a relaxar nas suas maravilhosas praias, recomendamos vivamente que acrescente uns dias (ou mesmo umas semanas) ao seu roteiro pela Costa Vicentina. Descubra a praia da Costa Vicentina ideal para si lendo o nosso artigo sobre as Melhores Praias da Costa Vicentina. Não temos dúvidas que vai encontrar uma que tem mesmo a sua cara!

Onde fica o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina?

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste AlentejanoO Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina tem uma extensão de aproximadamente 110 km e inclui territórios dos distritos de Beja, Faro e Setúbal. Abrange 4 municípios, Aljezur e Vila do Bispo (Faro), Sines (Setúbal) e Odemira (Beja).

Percorre o Litoral do Alentejo desde Sines a Odeceixe e entra na Costa Algarvia em Aljezur, dobrando o Cabo de Sagres e indo até Burgau, já no Barlavento Algarvio. Lisboa fica a somente 150 km de distância de Sines, o que faz da Costa Vicentina um ótimo destino de escapadinha perto de Lisboa.

Quando visitar a Costa Vicentina?

Os nossos “pulinhos” à Costa Vicentina já aconteceram um pouco ao longo de todo o ano. Com uma média de 3000 horas de sol por ano, a Costa Vicentina é um destino muito atrativo para quem busca céus azuis limpos e sol para colmatar as deficiências de Vitamina D. Por experiência própria podemos garantir que o sol tem um brilho especial na costa alentejana. Melhor ainda? As chuvas são coisa rara.

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste AlentejanoPosto isto, a escolha dos meses para visitar a Costa Vicentina depende muito dos seus interesses e do tipo de atividades que pretende fazer na sua viagem. Se for em busca das melhores ondas, para praticar surf e afins, todos os meses são potencialmente bons (exceto o pico do inverno, por razões óbvias). Se a ideia for fazer uns dias de férias, nada bate os meses do verão.

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste AlentejanoJá a primavera (colorida) e o outono (tons pastel) são ideais para percorrer a Rota Vicentina, uma Grande Rota que vai de Santiago do Cacém ao Cabo de São Vicente e que é um dos melhores trilhos e percursos pedestres de Portugal.

Onde ficar na Costa Vicentina – Sugestões de alojamento

A primeira grande decisão a tomar quando se começa a planear uma viagem à Costa Vicentina e Sudoeste Alentejano é escolher as localidades onde ficar alojado.

Se for apenas fazer uma escapadinha (tendo em conta a dimensão do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, vai ter desculpas para fazer várias escapadinhas), recomendamos que opte por dividir as noites de hospedagem por várias localidades ao invés de ficar sempre alojado no mesmo local. Sabemos bem que é chato estar a mudar de quarto todas as noites mas é ainda mais chato perder horas sem conta na estrada para trás e para a frente e depois faltar tempo (e energia) para conhecer os principais pontos de interesse da Costa Vicentina.

As localidades que sugerimos para passar a noite no nosso roteiro da Costa Vicentina são:

  • Sines | Vila Nova de Milfontes | Odemira | Aljezur | Aldeia da Pedralva | Sagres

Mas pode fazer pequenas alterações ao roteiro e optar por ficar em outras localidades vizinhas, como sejam:

  • Santiago do Cacém | Porto Covo | Zambujeira do Mar | Odeceixe | Vila do Bispo.

Clique nos links abaixo para procurar alojamento nas respetivas localidades e opte sempre por reservar unidades hoteleiras que permitam o cancelamento, não vá ter algum imprevisto.

Caso vá com mais tempo para visitar a Costa Vicentina, considere montar base numa só localidade e fazer os seus passeios a partir daí, visto que exige menos logística e torna a experiência mais relaxante (andar a fazer e desfazer malas todos os dias é sempre chato, sobretudo se viajar com crianças).

Se esta for a sua opção, as melhores localidades para montar base são o “triângulo” Odemira, Vila Nova de Milfontes e Zambujeira do Mar. Não só são as localidades mais equidistantes dos principais pontos de interesse da Costa Vicentina como contam também com bons acessos e uma vasta e variada oferta de alojamentos e serviços turísticos.

Refúgio do Monte – Na nossa recente viagem ao Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina ficamos alojados no Refúgio do Monte, a meio caminho entre a Zambujeira do Mar e Odemira. Excecional! É a resposta à sua busca por turismo rural num típico monte alentejano. Escondido entre serra e mar, é um lugar que faz jus ao nome e convida a dias sossegados de… Refúgio. Prepare-se para ser recebido com aquele sotaque da arte de bem receber das gentes alentejanas.

A maior prova está no pequeno-almoço: servido com tempero e generosidade familiar. Farto e irresistível, com tanto de variado como de delicioso. Parecem adivinhar o que mais gostamos para começar bem o dia em contacto direto com a natureza! Quartos privados do Refúgio do Monte são acolhedores, aclimatizados, luminosos e irrepreensivelmente limpos, com uma decoração de bom gosto que não descura o tradicional. No exterior, o alpendre ou o pátio convidam a uma bebida de fim de dia, a piscina a um mergulho refrescante, e não se admire se uma das aves que inspiraram os nomes dos quartos aparecer no jardim.

Casa da Eira Boutique Houses – Outra boa opção é a Casa da Eira Boutique Houses em Vila Nova de Milfontes. Localizada a escassos minutos a pé da praia da Franquia, do centro histórico e dalguns dos melhores restaurantes da Costa Vicentina, esta guesthouse é uma espécie de oásis no meio da vila: perto de tudo mas refugiado da confusão da Milfontes da época balnear. Os quartos e apartamentos (até 7 pessoas), todos com varanda, têm uma decoração leve, descontraída e contemporânea. Alguns com vista para o mar e rio.

Hostel Nature – O bem cotado Hostel Nature na Zambujeira do Mar é excelente para quem procura um alojamento mais descontraído e económico com todas as vantagens de poder ainda fazer a própria comida e cuidar da roupa mesmo ao lado da praia. Os funcionários são cinco estrelas no que a simpatia, disponibilidade e informação diz respeito. Limpo e bem cuidado, muita simpatia, mimos extra na cozinha e ótima localização, só podemos recomendar.

O Melhor da Costa Vicentina num Roteiro de 5 dias | Road Trip– o que ver e fazer no Sudoeste Alentejano

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste AlentejanoO nosso roteiro para visitar a Costa Vicentina tem início em Sines, no Alentejo, e termina em Sagres, já no Algarve. Mas pode fazê-lo na ordem inversa sem problema algum. Pode até mesmo dividi-lo em duas ou três escapadinhas, desenhando o seu roteiro focado num dos pontos de interesse e aproveitando as nossas sugestões extras.

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste AlentejanoÉ importante referir que o número de dias que sugerimos para este roteiro para visitar a Costa Vicentina e Sudoeste Alentejano pressupõe que a viagem seja feita com viatura própria e não inclui os dias de viagem do local de origem para o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina. Logo, terá sempre de acrescentar, pelo menos, mais dois dias ao seu roteiro da Costa Vicentina.

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste AlentejanoNa verdade, visitar os locais de interesse referidos neste artigo sem carro ou sem recorrer a um tour é uma tarefa (praticamente) impossível de realizar. Se estiver sem viatura própria, o melhor mesmo é alugar um carro.

Se é nosso leitor assíduo, já sabe que nos nossos roteiros o número de dias é meramente indicativo. Se abdicar de fazer algumas das caminhadas que sugerimos ou cortar alguns pontos de interesse, pode fazer este roteiro em menos dias.

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste AlentejanoPor outro lado, caso queira fazer mais algumas atividades ou simplesmente relaxar numa das maravilhosas praias da Costa Vicentina, acrescente mais uns dias ao seu roteiro da Costa Vicentina. Ao longo do roteiro vamos dar-lhe algumas sugestões nesse sentido.

Na preparação da sua viagem à Costa Vicentina sugerimos que leia também os seguintes artigos:

 

Roteiro visitar a Costa Vicentina: 1º Dia

Sines – São Torpes – Praia Samoqueira – Porto Covo – Ilha do Pessegueiro – Praia do Malhão – Vila Nova de Milfontes

O nosso roteiro para visitar a Costa Vicentina começa com uma visita a Sines, a maior cidade da costa alentejana. Há muito que ver e fazer em Sines por isso, se ainda não conhece a cidade, o ideal é que siga a nossa dica e viaje de véspera para Sines, aproveitando o que lhe sobejar do dia para explorar a cidade berço do navegador Vasco da Gama. Senão, foque a sua visita a dois ou três lugares de interesse de Sines neste primeiro dia do seu roteiro da Costa Vicentina.

Os principais pontos de interesse do centro histórico de Sines ficam situados em redor do Largo do Muro da Praia, do Largo Poeta Bocage e do Largo do Castelo. Como o tempo lhe pode escassear, recomendamos que foque a sua visita nesta área do centro histórico da cidade.

Vai encontrar a Igreja Matriz, a Capela da Misericórdia, o Castelo de Sines (que presentemente alberga no seu interior o Museu de Sines e a Casa de Vasco da Gama), a Estátua de Vasco da Gama e as célebres Escadinhas do Muro da Praia, o principal acesso à Praia Vasco da Gama.

Tendo mais tempo para visitar a cidade não deixe de ir também até ao Largo dos Penedos da Índia. Tem uma das melhores vistas panorâmicas para a baía. Faça um passeio ao longo da marginal de Sines até ao Forte do Revelim e de visite o Porto de Pesca de Sines.

Sines visitada, pegue no carro e rume até à Praia de São Torpes, um dos pontos de entrada no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina. São Torpes é sobejamente conhecida pelas suas ondas regulares e suaves, perfeitas para a iniciação no surf, e acima de tudo por ter as águas mais quentes de Portugal Continental. Tal não se deve a nenhum fenómeno natural mas sim à termoelétrica de Sines que expele as águas de arrefecimento das turbinas naquela zona. Se a visitar durante a época balnear, esteja à vontade para dar um mergulho!

Meia dúzia de quilómetros mais a sul, espera-@ o primeiro momento de deslumbramento do dia. Estamos a falar da Praia da Samoqueira, uma das praias mais belas da Costa Vicentina. Passeie-se pelo seu areal selvagem, que serpenteia entre recortes de falésia, e descubra as suas grutas, farilhões e piscinas naturais.

Da Praia da Samoqueira continue o seu roteiro pela Costa Vicentina rumando até à aldeia de Porto Covo. Sugerimos que comece a sua visita pelo carismático Largo Marquês de Pombal, onde encontra a Igreja dedicada à Nossa Senhora da Soledade, e que daí siga pela rua pedonal Vasco da Gama em direção ao mar.

Uma vez na orla da costa, desfrute de um cénico passeio ao longo das falésias de Porto Covo, onde se esconde a Baía de Porto Covo, com o seu pequeno porto de pesca pejado de coloridos barcos, e uma mão cheia de pequenas praias, das quais destacamos a Praia dos Buizinhos, a Praia Pequena, a Praia do Banho e a Praia do Espingardeiro. As vistas são simplesmente magníficas! Termine o passeio na Praia Grande, a melhor opção para ir a banhos em Porto Covo.

Porto Covo visitado, está na hora de ir ver de perto a Ilha mais famosa da Costa Vicentina, a Ilha do Pessegueiro. Rui Veloso deu-lhe voz, Carlos Tê a alma em palavras e a Ilha do Pessegueiro passou a estar nas bocas de Portugal inteiro. É certo que já a avistou de Porto Covo, mas não há melhor lugar para apreciar a sua beleza do que do areal da praia homónima. No verão, há barcos que fazem a travessia para visitar a rica flora e fauna e as ruínas do Forte de Santo Alberto na Ilha do Pessegueiro.

Para além da praia, há singulares arribas de areia sob uma gigante laje de pedra, que se vai partindo e despenhando na areia e no mar, e o Forte da Nossa Senhora da Queimada.

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste AlentejanoDa Praia da Ilha do Pessegueiro siga viagem até à Praia do Malhão, uma das nossas praias favoritas em todo o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina. Dois fenómenos geológicos conferem à praia do Malhão uma beleza única. Delimitada a este por um cordão dunar e a sul pelas Galés, umas formações rochosas que impõem respeito. Percorra sem pressas a sua deliciosa rede de passadiços, ao longo das arribas, e desfrute das brutais vistas panorâmicas dos seus muitos miradouros. É de deixar qualquer um pasmado!

Dica VagaMundos: a cerca de 10 km de Vila Nova de Milfontes esconde-se um dos maiores segredos da Costa Vicentina: a Cascata da Rocha de Água de Alto, vulgarmente apelidada de Cascata de Vila Nova de Milfontes. A Rocha de Água de Alto é uma imponente parede natural de rocha, com quase 30 metros de altura, que após umas valentes chuvadas se transforma numa enorme queda de água. Posto isto, escusado será dizer que é preciso alguma sorte para a ver com água.

Mesmo sem água, a Rocha de Água de Alto não deixa de impressionar. Os acessos não são dos melhores e, para lá chegar, não se livra de fazer uma pequena caminhada (cerca de 2,5 km ida e volta). Se vir que tem tempo e quiser “desenjoar” das paisagens costeiras, não hesite. No mapa que disponibilizamos no final do 1º dia do roteiro para visitar a Costa Vicentina encontra o local onde estacionamos e o percurso que fizemos para ir até à Rocha de Água de Alto.

O primeiro dia do nosso roteiro para visitar a Costa Vicentina termina em Vila Nova de Milfontes, uma verdadeira joia encastrada entre o mar e o rio Mira.

Deambule pelas castiças ruelas do centro histórico, onde vai encontrar a Igreja de Nossa Senhora da Graça e o Forte de São Clemente. Desfrute da tranquilidade da Praia da Franquia, nas margens do rio Mira. Faça um passeio ao longo da marginal que liga o forte ao Farol de Vila Nova de Milfontes e feche o dia a assistir ao pôr-do-sol na Praia do Farol.

Clique para ver as melhores opções de alojamento em Vila Nova de Milfontes

Mapa do 1º dia do Roteiro do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina


Clique no canto superior direito para aumentar o mapa do 1º dia do roteiro para visitar o Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

Roteiro visitar a Costa Vicentina: 2º Dia

Vila Nova de Milfontes – Praia das Furnas – Praia de Almograve – Praia do Cavaleiro – Cabo Sardão – Zambujeira – Odemira

O segundo dia do roteiro pela Costa Vicentina começa com uma visita à Praia das Furnas, grande campeã das 7 Maravilhas – Praias de Portugal.

A Praia das Furnas parece que foi feita para agradar os desejos de algum deus caprichoso. E sete devem ter sido os desejos da divindade: mar transparente, rio plácido, areia fina, duna dourada, verde luxuriante, enquadramento natural selvagem e sol sem limites. Só se esqueceu de pedir águas quentinhas, mas nós perdoamos.

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste AlentejanoSe gostou da Praia das Furnas vai delirar com a beleza cénica da Praia de Almograve. Pode não ter o troféu da sua vizinha, mas em formosura não se lhe fica atrás. É aqui que o cordão dunar da Costa Vicentina é mais surpreendente. Além de ser grande em dimensão é grande em beleza, variedade de formas, fenómenos geológicos, fauna e flora. Grande é também a praia de fina areia que convence qualquer um a trabalhar para o bronze.

Caso goste de caminhadas e queira prolongar a sua estadia na Costa Vicentina, não deixe de percorrer o fantástico Trilho das Dunas de Almograve, um dos nossos percursos pedestres circulares favoritos da costa alentejana (mais informação sobre o trilho na caixa abaixo). Pode ainda aproveitar parte do dia extra para conhecer as vizinhas Praias dos Carriços e da Barca Grande e para ir conhecer o sui generis Porto de Pesca de Lapa de Pombas.

Informação prática do Trilho das Dunas de Almograve

  • Distância: 8,5km
  • Circular: Sim
  • Dificuldade Técnica: Moderada
  • Local de Partida/Chegada: Almograve

Almograve visitada, continue a sua viagem pela Costa Vicentina rumando até à Praia do Cavaleiro. Não é fácil dar com ela, mas as coisas boas são assim: difíceis de encontrar! A dificuldade começa no GPS que nos troca as voltas. Depois vem a gincana na estrada de terra batida. Finalmente o desafio de não se deixar tomar por vertigens a descer as escadas da arriba. Contudo, o esforço é recompensado com uma paisagem de louvar os céus.

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste AlentejanoLogo ao lado vai encontrar o majestoso Cabo Sardão o ponto mais ocidental da costa alentejana. Um altaneiro farol, sentinela silenciosa que guia os bravos homens do mar, dá-lhe as boas vindas, mas são as vistas esmagadoras do topo da falésia e a omnipresente paz, entrecortada pelo bater das ondas nas escarpas e pelo sussurrar do vento, que lhe vão conquistar o coração. Não será a primeira vítima do feitiço do Cabo Sardão, nem seguramente a última. Que o digam as cegonhas que do Cabo Sardão fizeram lar, tornando-o no único local da Europa onde as cegonhas nidificam em orla costeira. Pura magia!

Dica VagaMundos: o troço da Rota Vicentina que liga o Cabo Sardão à Zambujeira do Mar é um dos mais bonitos do Trilho dos Pescadores. Se quiser ficar com (um bom) gostinho da Rota Vicentina, acrescente mais um dia à sua viagem pela Costa Vicentina e percorra a pé os 10 km que separam estes dois pontos. Se se sentir com energia pode continuar até Odeceixe ao longo de mais 19km. É outro troço idílico da Rota Vicentina! Não se esqueça é que o trilho é linear. Logo, terá de arranjar transporte de volta ao Cabo Sardão, sendo o mais cómodo arranjar um táxi! Pode encontrar mais informações sobre a Rota Vicentina no final do artigo.

Este roteiro segue até à famosa Praia da Zambujeira do Mar, uma das mais fotogénicas da costa alentejana. Aqui urbano e natureza casam tão bem. Arrevessada do vento pela alta falésia que a circunda, as vistas panorâmicas lá do alto são categoricamente do melhor que temos na Costa Alentejana.

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste AlentejanoO segundo dia do nosso roteiro da Costa Vicentina encerra na formosa vila de Odemira, plantada nas margens do rio Mira. Os locais de visita obrigatória e as experiências a não perder em Odemira são as seguintes:

  • Apreciar as Igrejas de Santa Maria, do Salvador e da Misericórdia;
  • Subir ao Castelo de Odemira (do castelo pouco resta mas as vistas do seu miradouro são estupendas);
  • Deambular pelas ruelas do bairro do castelo;
  • Desfrutar do Jardim da Fonte Férrea;
  • Mirar o Edifício da Câmara Municipal;
  • Visitar o altaneiro Moinho de Vento de Odemira;
  • Fotografar a Ponte de Ferro sobre o rio Mira;
  • Fazer um passeio pela frente ribeirinha do Mira;
  • Atravessar a ponte pedonal sobre o rio Mira;
  • Visitar a Ermida da Nossa Senhora da Piedade.

Clique para ver as melhores opções de alojamento em Odemira

Mapa do 2º dia do Roteiro do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina


Clique no canto superior direito para aumentar o mapa do 2º dia do roteiro para visitar o Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

Roteiro visitar a Costa Vicentina: 3º Dia

Odemira – Pego das Pias – Santa Clara a Velha – Barragem de Santa Clara – Brejão – Praia da Amália – Praia de Odeceixe – Aljezur

O terceiro dia do roteiro da Costa Vicentina vai ser passado entre a serra e o mar e vai revelar-lhe alguns dos segredos mais bem guardados do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina. Prepare-se para um dia em cheio!

E para começar em beleza, nada como conhecer uma das maiores maravilhas da natureza do concelho de Odemira, o fantástico Pego das Pias. Para chegar a este pequeno paraíso alentejano, que parece recortado de outras paragens, terá de fazer uma pequena caminhada. São cerca de 2 km, ida e volta, portanto, acessível a toda a família. No mapa do 3º dia do roteiro para visitar a Costa Vicentina pode encontrar o local recomendado para estacionar e o percurso pedestre.

À sua espera tem um quadro natural de rara beleza. Para além das impressionantes rochas do Pego das Pias, de onde os mais destemidos se atiram à água, coisa que desaconselhamos totalmente, existem vários pequenos lagos naturais, perfeitos para dar umas braçadas nas águas da Ribeira do Torgal. Há ainda um sem número de verdejantes spots perfeitos para um picnic. Um bosque encantado não pode andar muito longe disto. E fique já avisado de que se viajar com miúdos, vai ser difícil arrancá-los de lá!

Do Pego da Pias continue o seu roteiro pela Costa Vicentina rumando até à Barragem de Santa Clara, cuja albufeira é outra das pérolas desta região. Dê um mergulho na Praia Fluvial da Albufeira de Santa Clara, uma das melhores praias fluviais de Portugal, e faça um tranquilo passeio pelas margens do enorme lago. À imagem do que acontece no Alqueva, aqui também é possível alugar um barco sem precisar de ter Carta de Marinheiro.

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste AlentejanoPelo caminho, não deixe de visitar a castiça Aldeia de Santa Clara-a-Velha, uma das finalistas das 7 Maravilhas de Portugal – Aldeias Ribeirinhas, e de ir ver as ruínas da histórica Ponte Dona Maria sobre o rio Mira.

Dica VagaMundos: quer dividir o 3º dia do seu roteiro da Costa Vicentina em dois? Passe a parte da manhã a desfrutar do Pego das Pias e da parte da tarde vá percorrer o excelente Trilho de Santa Clara à Barragem (PR4 ODM), que, como o próprio nome indica, liga a aldeia de Santa Clara-a-Velha à Barragem de Santa Clara por uma das zonas mais bonitas da albufeira. Mais informação sobre o percurso pedestre na caixa abaixo.

Informação prática do PR4 ODM – De Santa Clara à Barragem

  • Distância: 10 km
  • Circular: Sim
  • Dificuldade Técnica: Moderada
  • Local de Partida/Chegada: na Barragem ou em Santa Clara-a-Velha

Chegou a hora de se despedir da serra, por hoje, e de voltar a rumar à costa para conhecer um dos locais mais secretos da Costa Vicentina: a idílica Praia da Amália. O nome colou-se-lhe por ser a praia onde Amália Rodrigues gostava de ver, sentir e desfrutar do mar. Pelo caminho não deixe de parar na pequena aldeia de Brejão e de ver os belos murais dedicados à fadista portuguesa.

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste Alentejano

Costumamos dizer que a Praia da Amália é a nossa versão alentejana de Alice nos País das Maravilhas. Para lá chegar só a pé por um estreito carreiro coberto de cerrada vegetação e caniços. Coberto não é um eufemismo, é literal. Há trechos em que temos que atravessar um túnel vegetal e ao lado corre a Ribeira das Cobras. Findo o trilho, um vale verdejante por entre fragas enormes de xisto e o cantarolar da ribeira a correr cada vez mais rápido até se despenhar diretamente na praia. É mesmo a Praia das Maravilhas!

Chegou a hora de se despedir do Alentejo e de dizer olá ao Algarve. A próxima paragem do nosso roteiro da Costa Vicentina é precisamente na fronteira entre as duas regiões. Estamos a falar da ilustre Praia de Odeceixe, outra das vencedoras das 7 Maravilhas de Portugal, desta feita na categoria de Praia de Arribas.

E assim que tenha o primeiro vislumbre da praia, vai perceber porquê. A norte ergue-se uma das arribas mais belas e imponentes de toda a Costa Vicentina. Disputada entre Alentejo e Algarve, esta praia tem belas vistas panorâmicas e alia praia de mar e rio na perfeição.

Feche o 3º dia do seu roteiro pela Costa Vicentina a visitar a antiga vila mourisca de Aljezur. Para além do obrigatório passeio por entre as casas caiadas de branco e ruas estreitas não deixe de subir até ao seu lendário castelo (um dos sete castelos que figuram na bandeira de Portugal) para desfrutar de uma magnífica vista panorâmica, sobre a várzea de Aljezur, a Serra de Monchique e o mar.

Clique para ver as melhores opções de alojamento em Aljezur

Mapa do 3º dia do Roteiro do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina


Clique no canto superior direito para aumentar o mapa do 3º dia do roteiro para visitar o Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

Roteiro visitar a Costa Vicentina: 4º Dia

Aljezur – Praia da Carreagem – Praia da Amoreira – Praia de Monte Clérigo – Praia da Arrifana – Bordeira – Praia da Bordeira – Praia do Amado – Aldeia da Pedralva

Quando terminar o quarto dia do seu roteiro pela Costa Vicentina a sua imagem das praias algarvias vai mudar radicalmente.

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste AlentejanoComece o dia rumando até à Praia da Carreagem, uma das praias mais surreais da Costa Vicentina. Quase não se vê do topo da falésia que parece querer guardar aquele pedaço de mar intocado. Cada passo da descida pelo escarpado passadiço que lhe serve de acesso é uma surpresa. Na descida acompanha-nos uma vegetação luxuriante, inacreditavelmente viva. As formações rochosas são singulares e irrepetíveis. O cenário abraça-nos com carícia. Apaixonante!

Da Carreagem continue viagem até à Praia da Amoreira. A Ribeira de Aljezur vem aqui desaguar, bem encostadinha à falésia que a protege a sul deixando o vasto areal protegida por uma duna estender-se a norte. Há espaço mais que suficiente para a família toda montar o estaminé. Se gostar de kitesurf ou windsurf, vai adorar as desafiantes ondas da Amoreira!

Logo ao lado encontra a Praia de Monte Clérigo cujo povoado piscatório de casario branco e portas debruadas de cores vivas é delicioso. Uns quilómetros mais à frente está a Praia da Arrifana um dos melhores spots da Costa Vicentina para os amantes do surf. Se há algo que não falta na Costa Vicentina, são boas ondas!

Arrifana visitada, dê uma folga às praias e rume até à Bordeira, uma das aldeias mais típicas do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina. Perca-se pelas suas ruelas estreitas enquanto aprecia o seu característico casario, visite a bonita Igreja da Nossa Senhora da Encarnação, troque dois dedos de conversa com os locais no pequeno largo da terra e suba até ao local onde outrora ficava o seu castelo e delicie-se com uma das paisagens rurais mais bonitas da Costa Vicentina.

Da Bordeira é um saltinho até à praia homónima. O areal da Praia da Bordeira é tão grande que assim que a pisamos temos a sensação de estar a percorrer o deserto do Saara… do Algarve. Para os mais radicais, no mar há ondas para exibir a destreza em manobras dignas de aplauso. E a larga Ribeira da Bordeira vem desaguar à praia, não sem antes oferecer generosamente as suas águas aos iniciantes de kitesurf.

Logo ao lado ergue-se o Pontal da Carrapateira, uma das zonas mais cénicas da Costa Vicentina. Reúne uma série de fenómenos geológicos e tem uma variedade de flora e fauna merecedores de um episódio de vida selvagem narrado pelo David Attenborough. Todos os adjetivos que nos vêm à cabeça parecem redutores para descrever esta maravilha da natureza. É deslumbramento atrás de deslumbramento e, acredite, vai dar por si a encostar o carro de 5 em 5 minutos.

Dica VagaMundos: a melhor maneira de explorar as maravilhas do Pontal da Carrapateira é percorrendo o soberbo Trilho do Pontal da Carrapateira. Se procura uma boa caminhada, apropriada para toda a família, e tem a possibilidade de acrescentar mais um dia ao seu roteiro pela Costa Vicentina, não hesite. Na caixa abaixo encontra as informações práticas do percurso pedestre.

Informação prática do Trilho do Pontal da Carrapateira

  • Distância: 11 km
  • Circular: Sim
  • Dificuldade Técnica: Fácil
  • Local de Partida/Chegada: Carrapateira

Continue o seu roteiro pela Costa Vicentina dirigindo-se até à Praia do Amado. Mesmo para quem já calcorreou as dezenas de praias da Costa Vicentina, chegar à Praia do Amado faz-nos sempre soltar aquele “wow!!!” Terra vermelha, por entre recortes de falésia e arriba, uma vegetação extraordinária, areias douradas banhadas por uma água cristalina, ora azul, ora esmeralda, formam uma meia-lua que parece recortada duma praia paradisíaca.

Dica VagaMundos: num promontório chamado Ponta do Castelo, entre a Praia do Portinho do Forno e a Praia do Amado, vai encontrar as ruínas de um antigo povoado islâmico de pescadores que era utilizado sazonalmente. Já pouco resta do povoado, mas as vistas são arrebatadoras!

Depois de um dia em cheio a explorar a Costa Vicentina, feche o dia na renascida Aldeia da Pedralva. Apesar de ficar a uns escassos sete quilómetros da costa, aqui respira-se ruralidade. É a face do outro Algarve, aquele que não costuma aparecer nos folhetos turísticos.

Devido à forte desertificação, a Aldeia da Pedralva encontrava-se praticamente em ruínas há 10 anos atrás. Mas graças à reconstrução das casas para fins de alojamento local, mantendo a arquitetura tradicional algarvia, uma nova vida foi trazida à pequena aldeia. Passear pelas suas ruelas é uma viagem a um passado que, devido à nossa azáfama citadina, nos parece cada vez mais distante. Mais do que para “visitar”, a Aldeia da Pedralva é um local para “sentir”!

Clique para reservar alojamento na Aldeia da Pedralva

Mapa do 4º dia do Roteiro do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina


Clique no canto superior direito para aumentar o mapa do 4º dia do roteiro para visitar o Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

Roteiro visitar a Costa Vicentina: 5º Dia

Aldeia da Pedralva – Praia da Cordoama – Praia do Castelejo – Vila do Bispo – Salema – Burgau – Fortaleza de Sagres – Cabo de Sagres

O último dia do roteiro pela Costa Vicentina começa com uma visita à Praia da Cordoama, onde o vento violento e mar bravo juntaram esforços e criaram uma zona costeira das mais belas e dramáticas da Costa Vicentina.

Da Cordoama siga até à vizinha Praia do Castelejo. Passe pelo Miradouro do Castelejo donde as vistas panorâmicas são mesmo de cortar a respiração! Aqui a terra muda de repente. Das cores quentes da terra vermelha para um ocre escuro, como se pisássemos terra queimada. À sua frente exibe-se um mar irado, revolto. Mas isso não demove os praticantes de surf e bodyboard de encará-lo. Quem não tem prancha, acalma mente e espírito ao som da cadência ritmada das suas ondas.

Dica VagaMundos: se estiver com vontade de fazer uma boa caminhada, não deixe de percorrer o Trilho da Cordoama, o nosso percurso pedestre favorito no concelho de Vila do Bispo. Mais informações na caixa abaixo.

Informação prática do Trilho da Cordoama

  • Distância: 15 km (existe uma versão mais curta com apenas 10 km)
  • Circular: Sim
  • Dificuldade Técnica: Moderada
  • Local de Partida/Chegada: Vila do Bispo

Continue o seu roteiro pelo Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina rumando até à costa sul de Vila do Bispo onde o espera uma mão cheia de surpreendentes locais.

Entre os muitos locais de interesse que pode visitar, destacamos as aldeias piscatórias de Salema e Burgau. Vai poder assistir aos barcos de pesca a chegar da faina e comer peixe fresquíssimo. Visite as ruínas do Forte de Vera Cruz (a paisagem do forte está entre as melhores da costa sul do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina), a paradísica Praia da Ingrina (excelente para a prática de mergulho), a surpreendente Bateria do Zavial, a bela Ermida de Guadalupe e o milenar Menir de Padrão.

A sua épica viagem pela Costa Vicentina aproxima-se do fim mas ainda há tempo para conhecer mais dois locais deslumbrantes. O primeiro deles é a mítica Fortaleza de Sagres, a fortaleza mais ocidental de Portugal e da Europa Continental. Deixe-se deslumbrar pelas imponentes paisagens e pela gigantesca Rosa dos Ventos que se encontra no seu interior.

E para fechar o seu roteiro pela Costa Vicentina em beleza, nada como ir assistir ao pôr-do-sol no vizinho Cabo de São Vicente o ponto mais ocidental do Algarve que foi outrora o Promontorium Sacrum, cujos romanos dedicaram ao culto do deus Saturno.

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste AlentejanoNão conseguimos imaginar um local melhor para fechar uma visita ao Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina. E estamos convencidos de que vai concordar connosco!

Clique para ver as melhores opções de alojamento em Sagres

Quer continuar a sua viagem pelo sul de Portugal? Então não deixe de ler o nosso Roteiro do Algarve e deixe-se surpreender pela multiplicidade de faces da região.

Mapa do 5º dia do Roteiro do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina


Clique no canto superior direito para aumentar o mapa do 5º dia do roteiro para visitar o Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

Rota Vicentina – Trilhos Pedestres e Percursos de Bicicleta

Roteiro Costa Vicentina: guia para visitar o Sudoeste AlentejanoA Rota Vicentina não é propriamente um trilho mas sim uma rede de percursos que totaliza cerca de 750 km de trilhos pedestres e 1000 km de percursos de BTT ao longo da Costa Vicentina.

Das Grandes Rota de Portugal esta é a nossa favorita e é excelente para quem se quer estrear em caminhadas mais longas.

A rede de percursos da Rota Vicentina compreende o Caminho Histórico, o Trilho dos Pescadores e vários Percursos Circulares excelentes para quem só queira fazer caminhadas de um dia.

O Caminho Histórico é o mais longo de toda a rede, com cerca de 230 km, e liga Santiago do Cacém ao Cabo de São Vicente. Já a secção mais emblemática do Trilho dos Pescadores,  liga Porto Covo a Odeceixe e conta com cerca de 80 km. Recentemente foi inaugurado um novo troço do Trilho dos Pescadores, com cerca de 50 km de extensão, ligando Sagres a Lagos. Uma boa opção para quem quiser conhecer a costa sul do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

Uma excelente combinação de ambos os trilhos é começar a caminhada em Santiago do Cacém ou Porto Covo e daí seguir pelo Trilho dos Pescadores até Odeceixe. Como o Caminho Histórico também passa em Odeceixe pode depois seguir esta rota até ao Cabo de São Vicente. Se sair de Porto Covo no total vai percorrer sensitivamente 170 apaixonantes quilómetros.

Clique para ler o nosso guia para percorrer a Rota Vicentina

Onde comer na Costa Vicentina – Restaurantes

Porque nem só de paisagens vive o Homem, uma escapadinha à Costa Vicentina é sempre sinónimo de saborosos momentos passados à mesa. Até porque o ar do mar abre (e muito) o apetite!

Se for adepto de pratos de peixe e marisco vai sentir-se no céu na Costa Vicentina. Só de pensarmos num arroz de marisco à moda vicentina, numa cataplana de peixe, numa feijoada de búzios, nas conquilhas à Bulhão Pato ou no peixinho (fresquissímo) grelhado, nasce água na boca.

Mesmo que os sabores do mar não sejam muito a sua praia, não vai ficar desapontado. Basta pensar numas migas de javali, nuns secretos de porco preto, num naco de alcatra ou na bela da açorda alentejana e percebe logo que não vai (de todo) passar fome.

Abaixo encontra os nossos restaurantes favoritos para degustar os melhores pratos da gastronomia da Costa Vicentina. Recomendamos é que, durante a sua viagem pela Costa Vicentina, deixe a dieta em águas de bacalhau!

Zé Inácio – Porto Covo

No Zé Inácio o peixe grelhado é rei e senhor. Mas os súbditos polvo à lagareiro, cataplana de peixe, chocos fritos e o arroz de tamboril não lhe ficam atrás. Nas sobremesas, as migas doces imperam. Também têm pratos de carne, mas honestamente nunca experimentamos.

Tasca do Celso – Vila Nova de Milfontes

Espaço acolhedor, comida 5 estrelas e uma carta de vinhos insuperável na Costa Vicentina, são os ingredientes que nos fazem repetir as visitas à Tasca do Celso. E só não são mais porque arranjar lugar está longe de ser fácil. O arroz de ameijoas e o camarão gigante com açorda são simplesmente divinais. Nas sobremesas, nada bate a sericaia.

O Sacas – Zambujeira do Mar

O Sacas já é um clássico da Costa Vicentina. Fica mesmo ao lado do Porto das Barcas, em pleno bairro dos pescadores, a escassos quilómetros da Zambujeira do Mar e apesar de não ser propriamente económico está sempre à pinha. Mas quando “deitar a rede” à sua feijoada de búzios, à sopa de cação ou aos filetes de peixe-aranha com migas vai entender o preço. A qualidade paga-se e n’O Sacas a qualidade é omnipresente.

Restaurante Fonte Férrea – Odemira

Quando queremos dar uma folga ao peixe e ao marisco, a Fonte Férrea é o nosso restaurante de eleição na Costa Vicentina. Sabores tipicamente alentejanos, ambiente familiar e doses generosas são razões mais do que suficientes para a escolha. O nosso prato de eleição são as migas de javali, mas as costeletas de borrego grelhadas e as bochechas de porco com migas deixam-nos sempre divididos.

Restaurante Azenha do Mar – Azenha do Mar

Vale a pena ir ao pequeno povoado da Azenha do Mar só para ver as vistas, mas se conjugar com uma visita ao restaurante homónimo vai ainda melhor servido. A oferta de peixe e marisco é colossal. O difícil mesmo é escolher. Usualmente optamos pela salada de mexilhão para entrada e pela sapateira para prato principal, mas da última vez provamos o linguado frito com açorda de ovas e ficamos logo a chorar por mais.

Pont’a Pé – Aljezur

Não se assuste que não vai ter de andar à porrada! As únicas lutas que vai ter que enfrentar no Pont’a Pé é arranjar mesa e não ceder à tentação da gula. Mas quando provar o seu polvo com batata-doce ou o ensopado de cação esquece-se logo da contrariedade. Na hora da sobremesa dê uma oportunidade ao bolo de batata-doce e amêndoa que não se vai arrepender!

Ribeira do Poço – Vila do Bispo

Ir a Vila do Bispo e não provar os seus famosos percebes é quase como ir a Roma e não ver o Papa. E não há melhor local para o fazer do que na Ribeira do Poço. Junte-lhes a moreia frita (uma espécie de torresmos do mar), os camarões com piri-piri e o (generoso) arroz de tamboril e tem pela frente um banquete difícil de igualar.

Retiro do Pescador – Sagres

Muita simpatia, simplicidade e peixe e marisco fresquíssimos fazem com que o Retiro do Pescador tenha lugar cativo na nossa lista de restaurantes da Costa Vicentina. Não espere luxos, mas conte com comida cinco estrelas. Nunca lá comemos nada que não fosse bom mas os nossos pratos favoritos são os camarões fritos á chefe e a deleitosa cataplana de marisco.

Outros roteiros de carro por Portugal

Prepare a sua próxima Viagem

Reserve o seu alojamento através do Booking.com. É onde encontramos sempre as melhores promoções e permite cancelar a reserva sem custos.

No GetYourGuide e na Civitatis encontra sempre os melhores tours locais e pode ainda reservar o seu transfer do aeroporto e saltar as filas comprando antecipadamente as entradas para os principais monumentos.

Jogue pelo seguro e faça um seguro de viagem na World Nomads ou na IATI Seguros. São ambas agências 100% especializadas em viagens e apresentam sempre os melhores rácios custo-benefício do mercado. Se optar pela IATI use o nosso link e terá um desconto de 5% por ser nosso leitor.

Anda à procura de voos baratos? Então utilize o Skyscanner para encontrar as melhores tarifas aéreas do mercado

Se precisa de alugar um carro para a sua próxima viagem recomendamos que utilize o Rentalcars. Permite comparar os preços de dezenas de empresas de rent-a-car e é possível cancelar o aluguer sem custos até 48h antes da partida.

Esta página contem links afiliados. Só recomendamos marcas que utilizamos e confiamos a 100%. Se efectuar as suas reservas através desses links recebemos uma pequena comissão. Dessa forma está a ajudar o blog “VagaMundos” a manter-se vivo. E o melhor de tudo é que você não paga mais por isso. Muito Obrigado!

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.