Visitar Dublin: roteiro de 2 e 3 dias com o que ver e fazer

Visitar Dublin Roteiro

Anda à procura de recomendações do que não perder em Dublin? Neste artigo vai encontrar uma sugestão de roteiro para visitar Dublin em 2 ou 3 dias. Saiba o que visitar, o que fazer, onde dormir e onde comer, dicas e informação prática da cidade de Dublin e ainda umas propostas de passeios de 1 dia saíndo de Dublin.

Visitar Dublin RoteiroFundada pelos Vikings vindos dos países nórdicos da Escandinávia, Dublin é uma cidade moderna com um rico passado. Pequena mas vibrante, os seus mais de 1000 anos de história trespassaram-na de alguns dos episódios mais sangrentos da história europeia recente, mas também pelas glórias de tempos passados. É a cidade-berço de grandes nomes da literatura, da banda de música mais famosa das ilhas depois dos Beatles – quem não vibra a ouvir U2? – e da Guinness, a cerveja preta mais famosa do mundo.

Porquê visitar Dublin?

Visitar Dublin é como encontrar aquela ostra rugosa que esconde uma preciosa pérola. O que falta à capital da Irlanda em tamanho, compensa em reputação e fama mundial. Tem caráter e atitude, e o temperamento das suas gentes encontrou o equilíbrio entre o orgulho nacionalista e o hedonismo atual.

Visitar Dublin RoteiroDeixe que as estórias fantásticas do passado colorido da cidade operem o seu feitiço enquanto caminha de experiência em experiência numa viagem iniciática à cosmopolita e multicultural Dublin. Descubra os seus heróis. Desvende os seus segredos. Revele os seus tesouros.

Visitar Dublin RoteiroVá além do superficial e viva os seus contrastes. Cinzenta e taciturna por fora, colorida e expressiva por dentro. Antes bastião do catolicismo conservador, hoje pessoas do mesmo sexo podem legalmente casar-se. Ao lado dum secular e tradicional pub irlandês está a mais recente casa de sushi japonês.

Visitar Dublin RoteiroSão os próprios habitantes que admitem que a sua Dublin não é a mais bonita das cidades, mas para eles as coisas bonitas são tão fáceis de gostar quanto de esquecer. Dublin não entusiasma à chegada, mas dê-lhe uma oportunidade e será surpreendido. Abra a ostra em que se esconde esta pérola que o espera de braços abertos e com todo o seu craic.

Quando visitar?

A melhor altura do ano para visitar Dublin é no verão (de junho a agosto), mesmo assim, em média, as temperaturas máximas só chegam aos 20ºC.

Os meses de maio e setembro podem ser boas alternativas à temporada alta: os preços são mais moderados e veem-se mais dublinenses na rua que turistas.

Visitar Dublin RoteiroO problema é mesmo o clima incerto: o tempo em Dublin é do mais imprevisível que já vimos. No mesmo dia apanhamos chuva, vento frio, mais chuva. Não é à toa que a Irlanda é chamada de Ilha Esmeralda: todo aquele verde tem que se alimentar de água e ela normalmente cai do céu quando lhe apetece.

Dito isto, conte com chuva e vá prevenido com um impermeável de confiança (esqueça o guarda-chuva porque o vento vai virá-lo do avesso) e vista por camadas.

O inverno é bastante frio, não porque as temperaturas sejam negativas, mas a sensação da temperatura é estranhamente mais baixa do que a realidade. E não são raras as ocasiões em que cai uma neve.

Contudo, Dublin é uma cidade muito movimentada, tanto em termos culturais como sociais, portanto, há sempre algo interessante a acontecer.

A grande celebração de Dublin é a 17 de março, no St. Patrick’s Day – o padroeiro da Irlanda. As comemorações estendem-se cada vez mais no calendário (inicialmente a festa era de 3 dias, agora já vai em 10) e a cidade fica cheia. O pior é que a festa é cada vez mais popular e atrai milhares de turistas, mais do que moradores locais (inclusivamente, eles parecem desaparecer da cidade nessa altura) e os preços sobem em flecha.

Em alternativa, um festival agradável é o Bloomsday (16 de junho), uma celebração em homenagem ao romance “Ulysses”, do escritor local James Joyce. Os festivais Dublin Fringe e Dublin Theatre (setembro-outubro) trazem eventos de música, teatro e arte contemporânea para as salas e ruas da cidade.

Como chegar

De avião: A Ryanair opera voos low cost diários diretos de Lisboa, Porto e Faro para o Aeroporto de Dublin (DUB). A Aer Lingus opera voos de Lisboa e Faro para Dublin. A TAP tem voos para Dublin com partida em Lisboa.

Duração do voo Lisboa Dublin: 2h 50m

Duração do voo Porto Dublin: 2h 25m

Duração do voo Faro Dublin: 3h

Como ir do Aeroporto de Dublin ao centro da cidade

Distância do Aeroporto ao centro de Dublin: 12 km

Bus: os autocarros /ônibus saem do lado esquerdo à saída do terminal das Chegadas e ligam ao centro de Dublin, geralmente a paragem de referência é na O’Connell Street. Há 3 serviços de autocarro / ônibus:

  • expresso público Airlink 747 (40 minutos de viagem aproximadamente, cada viagem custa 6€ ou 10€ ida e volta) Dublin: Traslado de Ônibus Airlink Express de/para Aeroporto https://www.getyourguide.com.br/dublin-l31/airlink-express-aeroporto-de-dublin-centro-e-heuston-t25604/
  • expresso privado Aircoach 700 (25 a 45 minutos de viagem dependendo do trânsito, custo da viagem 7€ ou 12€ ida e volta);
  • transporte público Dublin Bus 41 (direção Lwr Abbey St. Via Aerfort) e Dublin Bus 16 (direção Ballinteer via O’Connell Street) (30 a 60 minutos de viagem dependente do trânsito, custo da viagem 3,50€ – leve o dinheiro certo pois não dão troco).

Táxi: no lado direito da saída do terminal das Chegadas, é onde encontra facilmente um táxi que o leve à porta do seu hotel. Dependendo da distância e do tempo de viagem, uma bandeirada de taxi do aeroporto ao centro de Dublin custa entre 25€ a 30€. Nas horas de maior afluxo, conte com tempo de espera na fila.

Dica VagaMundos: os táxis são fortemente regulamentados em Dublin e apenas veículos com licença de táxi podem prestar serviços de viagens pagas. Esqueça usar apps do Uber e afins em Dublin. Esse tipo de serviço é ilegal na Irlanda.

Transfer privado: clique aqui para ver as ofertas de transfer privado e poder escolher a que melhor se adequa às suas necessidades.

Onde ficar em Dublin? Sugestões de alojamento

A capital da Irlanda não é uma cidade barata e o alojamento pode pesar no orçamento duma viagem a Dublin. Ainda assim, o nosso conselho é que fique alojado o mais central possível. Dublin não é a melhor das cidades para se locomover em transportes, mas é suficientemente pequena para explorar a pé e plana o suficiente para explorar de bicicleta. A poupança que julga ter com um alojamento mais fora do centro vai ser gasto nos transportes para o centro. Os transportes públicos são caros e pouco frequentes, os táxis são dispendiosos e os dublinenses queixam-se do trânsito caótico.

As melhores zonas para hospedagem em Dublin variam consoante o seu interesse e carteira. Escolha alojamento de preferência a sul do Rio Liffey que divide a cidade, ou imediatamente a norte perto da O’Connell Street ou da Parnell Street. O bairro de Temple Bar tem oferta muito variada, mas é sempre mais barulhento. Se dinheiro não for problema, olhe para as zonas de Grafton Street e ao pé do Parque St Stephen’s Green, muito tranquilos e seguros.

A primeira vez que ficamos alojados em Dublin, a nossa escolha recaiu no Temple Bar Inn. A relação qualidade-preço é muito boa, atendendo aos preços praticados na cidade. Muito central, é só sair da porta e estar no centro da ação para quem não perde uma “night in the town”. Transpira criatividade, é colorido, tem um ambiente descontraído mas tranquilo e o pequeno-almoço (valeu a pena incluir na tarifa do quarto) era bem completo. O quarto privado onde ficamos era bem acolhedor e limpo. O barulho à noite não nos incomodou, mas isso foi um dos benefícios do nosso quarto. Nem todos têm essa vantagem.

Perto do bairro de Temple Bar tem o Drury Court Hotel, confortável e com preços económicos. Muito central e luxuoso, o The Morgan Hotel, um boutique hotel de 4 estrelas, é bastante requisitado.

Para poupar uns euros, o hostel Abigail’s Hostel em Temple Bar ou o The Times Hostel – College Street ao pé da Trinity College têm camas em dormitórios económicas. O Jacobs Inn Hostel é dos mais bem cotados, fica do lado norte do rio Liffey, perto da estação de comboios Conolly.

Para quem quer fazer compras em Grafton Street, o 4 estrelas The Grafton Hotel é conforto em puro luxo. O pequeno-almoço tem opção vegetariana.

Com vistas para o St. Stephen’s Green, o Stauntons on the Green Hotel ocupa uma bela casa georgiana, é perfeito para se alojar em grande estilo por um preço ajustado. O terraço é muito agradável e o pequeno-almoço é elogiado.

Por um pouco mais de dinheiro, tem o The Shelbourne, Autograph Collection, um hotel histórico que é uma referência de longa data em Dublin. Restaurante, bar, piscina interior, Spa, ginásio moderno e até um estúdio de dança, tudo em requintado ambiente georgiano.

A norte do rio Liffey e perto da Parnell Square o Holiday Inn Express Dublin City Centre é sempre uma aposta segura: instalações modernas, bom pequeno almoço e preços competitivos.

Clique para ver mais opções de alojamento em Dublin

Dublin: o que visitar em 2 e 3 dias

Visitar Dublin RoteiroSe é a primeira vez que vai visitar Dublin, este é o roteiro ideal para ter noção dos lugares imperdíveis para preencher 3 dias de visita a Dublin. A ordem e tempo dedicado a cada uma das atrações turísticas de Dublin aqui propostas, depende do seu interesse e do orçamento que alocar nesta sua viagem à Irlanda. Pode perfeitamente adaptar este roteiro de 3 dias em Dublin para um roteiro de 2 dias, ideal para passar um fim-de-semana em Dublin.

Roteiro Dublin: 1º dia

Comece com um bom pequeno-almoço. Não precisa de ser um Full Irish, dito o típico pequeno-almoço irlandês (desconfiamos que é mais a fama do que o proveito), pois pode ser demasiado pesado. Contudo, prevenimos que vai precisar de energia neste primeiro dia do seu roteiro de Dublin, que o vai levar a visitar os monumentos históricos mais emblemáticos da capital irlandesa.

Castelo de Dublin

A nossa sugestão é começar por visitar o Castelo de Dublin. Símbolo da Dublin medieval, o castelo remonta ao século XIII embora a maioria dos edifícios do complexo fortificado sejam de datas posteriores, maioritariamente do século XVIII. A maior parte dos acontecimentos históricos mais importantes da Irlanda tiveram aqui lugar.

Uma visita ao interior leva entre 30 minutos a 1 hora dependendo do seu interesse. Destacam-se as escavações Vikings, os salões e aposentos vice-reais e a Royal Chapel, uma sumptuosa joia do estilo gótico revivalista. A visita ao interior do Castelo de Dublin é paga, mas vale muito a pena passar algum tempo a apreciar o conjunto de edifícios e jardins do recinto (e não paga nada por isso).

Dubh Linn Garden

Atrás do Castelo de Dublin, o Dubh Linn Garden é um exemplo de paisagismo com um toque de nacionalismo celta e esculturas à guisa de memoriais. A norte vê o Castelo de Dublin, a torre medieval Record Tower (a única sobrevivente da fortificação medieval), e a Royal Chapel.

Chester Beatty Library

A este fica a Chester Beatty Library, uma das atrações de Dublin mais emblemáticas pela coleção de livros raros que alberga entre outros objetos de elevado valor histórico e artístico (a entrada é livre mas recomenda-se uma doação). A sul verá a Coach House (1833), a cavalariça dos vice-reis.

Curiosidade: Dudh Linn significa ‘dark pool – lago negro’. Foi este lago que deu o nome à cidade de Dublin. Crê-se que foi por aqui que os Vikings atracaram os seus barcos pela primeira vez e estabeleceram uma base de trocas comerciais na ilha.

Dublin City Hall

Prosseguimos este roteiro para uma visita rapidinha à Dublin City Hall (Câmara Municipal), um exemplo notável da arquitetura do século XVIII na cidade com uma interessante exposição que conta a história da cidade desde a fundação pelos Vikings. À saída, siga para oeste pela Lord Edward Street.

Christ Church Cathedral

Qualquer roteiro de Dublin deve incluir uma visita às suas catedrais medievais mais emblemáticas. A mais antiga é a Christ Church Cathedral. A sua origem supera os 1000 anos de história. O primeiro templo remonta a 1028, mas um profundo restauro da época vitoriana contribuiu para o seu aspeto atual. No subsolo da catedral fica a maior cripta da Irlanda e do Reino Unido. Pode comprar o bilhete de ingresso aqui.

Dica VagaMundos: em redor da Christ Church existem mosaicos no pavimento que reproduzem artefactos Vikings e, na Winetavern Street, o pavimento tem a reprodução dos contornos de estruturas da Dublin Viking, encontradas em escavações arqueológicas da área. É designada de Viking Area.

The Brazen Head

Por esta altura do seu roteiro de Dublin, a fome já deve apertar. Propomos como primeira experiência num pub irlandês uma visita ao velhinho The Brazen Head, nascido em 1198, ou seja, o pub mais antigo da Irlanda. Sente-se a história dentro destas paredes desgastadas pelo tempo. E histórias, já que pode contar com um dos hobbies favoritos dos irlandeses: contar histórias (ou dois, se apanhar um show de música ao vivo). Pelo caminho ainda aproveita para ver a fachada da St. Audoen’s Church.

Dublinia

Visitar Dublin RoteiroA oeste da catedral há uma ponte de pedra integrada que leva à Saint Michael’s, uma igreja dependente da Christ Church, demolida aquando da reconstrução da catedral. O edifício atual (antiga sala do sínodo) incorpora a torre de São Miguel (vistas panorâmicas deslumbrantes sobre a cidade). Hoje em dia é o lar da exposição Dublinia que o leva a viajar até aos primórdios de Dublin: um espaço de exposição estimulante para envolver miúdos e graúdos.

St. Patrick’s Cathedral

Visitar Dublin RoteiroQualquer roteiro de Dublin deve ter como ponto de interesse imperdível a Saint Patrick’s Cathedral. Para além de ser a catedral medieval mais impressionante, tanto arquitetonicamente como esteticamente, é afinal de contas dedicada ao santo padroeiro da Irlanda, São Patrício. A sua torre de 43 metros de altura faz de Saint Patrick’s a igreja mais alta da Irlanda. O interior é deslumbrante e, se esta for a única catedral que decidir visitar, vale a pena comprar o bilhete de ingresso antecipadamente. Compre este bilhete de Visita Auto Guiada à Catedral de São Patrício para ver ao seu ritmo.

George’s Street Arcade

A nossa proposta para o seguinte highlight neste roteiro de 3 dias em Dublin é mais material que celestial. Vamos ao George’s Street Arcade, um dos mercados de cidade mais antigos da Europa. O que mais nos apela é o edifício vitoriano de 1881 que alberga dezenas de lojas com ideias refrescantes e com identidade. Um centro comercial antigo num ambiente novo, onde encontra de tudo. Possivelmente, o melhor spot para encontrar aquele souvenir diferente e único para recordar a sua visita a Dublin. Inclusivamente, vai encontrar algo para saciar a fome e a sede numa das bancas de comida.

Molly Malone

Visitar Dublin RoteiroAgora vamos cumprimentar Molly Malone (na verdade, a sua estátua), uma personagem-símbolo da capital irlandesa. Conhecida pela canção do mesmo nome (um verdadeiro hino de Dublin), Molly Malone foi uma famosa vendedora de peixe que morreu durante um surto de cólera que assolou a cidade.

Ha Penny Bridge

Visitar Dublin RoteiroImperdível: dê um pulinho ao rio Liffey e atravesse a icónica Ha Penny Bridge, a primeira ponte pedonal sobre o rio Liffey onde se cobrava “half penny” para atravessar. Dificilmente vai apanhar o céu limpo para aquela foto memorável do pôr-do-sol sobre o rio, mas com muita, mas mesmo muita sorte, será um dos poucos afortunados que viram a cidade de Dublin em tons dourados.

Onde sair à noite em Dublin?

Visitar Dublin implica uma passagem pelo bairro de Temple Bar, é inevitável. E como este primeiro dia do seu roteiro de Dublin está a chegar ao fim, pode considerar jantar e ficar por aqui para tomar um copo.

Temple Bar é, para além do famoso pub irlandês mais fotografado do mundo, um bairro onde a vida noturna se desenrola pela noite dentro. E não é de agora. Tem sido assim há muito tempo. A zona é animada dia e noite, por músicos (alguns muito bons), por estátuas-humanas, por artistas de rua, ou pelos convivas que procuram a sua pint de eleição num dos muitos bares e pubs do bairro.

Visitar Dublin RoteiroObviamente que toda a gente quer visitar The Temple Bar, o pub, para a foto “estive aqui” ou a selfie com uma pint da sua preferência na mão. Para entrar vai ter que enfrentar as multidões, furar caminho por entre muita gente (turistas na sua maioria), gritar pela sua cerveja (ao dobro do preço) e encontrar um canto para bebê-la (muito provavelmente de pé). Pode ser giro de ver, mas não para frequentar.

Visitar Dublin RoteiroPara desfrutar verdadeiramente da alma e espírito dum pub irlandês, encontra-se melhor noutras ruas do bairro de Temple Bar: O’Neill’s Pub and Kitchen, The Old Storehouse, The Quay’s, Merchant’s Arch, Porterhouse Temple Bar, Darkey Kelly’s… Só para nomear alguns dos mais conhecidos. Um pouco mais afastado de Temple Bar, na South Great George’s Street há pubs emblemáticos como o The Stags Head, The Long Hall ou o Hogans. Muito famoso no lado norte do rio Liffey encontra o Church Café & Restaurant, sempre busy.

Roteiro Dublin: 2º dia

Como a noite anterior pode ter sido mais prolongada (e regada), a nossa proposta para o segundo dia do seu roteiro de Dublin é mais tranquila, passa por alguns dos espaços verdes mais populares e mostra o rosto da Dublin georgiana.

O’Connell Street

Começamos numa das principais (e históricas) artérias de Dublin, a O’Connell Street. É aqui que fica o GPO, o Posto de Correios, palco da Páscoa Sangrenta de 1916 em que os irlandeses se opuseram ao domínio inglês. Ao lado ergue-se uma coluna de 121 metros designada The Spire, mas aconselhamos a observá-la do monumento erguido a O’Connell, já perto do rio Liffey para não ficar com dores no pescoço.

Trinity College

Continuamos na célebre, prestigiada e secular Trinity College. Obviamente que a joia da coroa da Trinity College é o Book of Kells, e o grande motivo que leva cerca de quinhentos mil visitantes anuais à Trinity College’s Old Library and Long Room. O Novo Testamento feito por monges celtas por volta do ano 800 está cuidadosamente guardado numa das bibliotecas mais bonitas do mundo.

A entrada no recinto da Trinity College é gratuita. Um walking tour guiado pelos ex-libris da universidade pode ser o que procura, mas para apreciar a fantástica arquitetura dos edifícios georgianos e o enorme campus repleto de arte e esculturas, não precisa de pagar.

Merrion Square

Visitar Dublin RoteiroQuando visitar Dublin vai-se deparar com estátuas um pouco por todo o lado. Uma das mais procuradas é a estátua dum insigne filho da capital irlandesa e vulto literário, Oscar Wilde. O extravagente e excêntrico escritor, poeta e dramaturgo espera pela sua visita no Merrion Square, na sua atitude de dandy que o caracterizou em vida. Mas há mais espalhadas pelo jardim.

Visitar Dublin RoteiroA elegante Merrion Square acolhe um parque tranquilo, escondido e perfeito para descansar um pouco. É em redor que encontra as famosas casas georgianas, de finais do século XVIII, com as suas portas coloridas, um postal típico de Dublin. Antes era um parque restrito à elite da cidade que habitava em redor. Entre os mais célebres moradores contam-se Wilde, O’Connell, W.B. Yates, entre outros.

Museus de Dublin

Se for adepto de museus (ou quiser fugir da chuva), Merrion Square pode bem ser o seu ponto de interesse mais precioso neste roteiro de Dublin. Só aqui estão dois do polos do National Museum of Ireland, o de Arqueologia e o de História Natural (um favorito dos miúdos) e, para aficionadas das artes, a National Gallery of Ireland. Escolha o que for mais ao encontro dos seus interesses, ou visite todos – a entrada é gratuita.

Dica VagaMundos: se há uma coisa boa nos museus de Dublin para além dos acervos valiosos, é que muitos são gratuitos. O National Museum of Ireland tem 3 polos na capital, os anteriormente mencionados dedicados à Arqueologia e à História Natural, e um terceiro a norte do Leaffy, o Decorative Arts & History. Nas artes, para além da National Gallery, há ainda o Irish Museum of Modern Art (IMMA). Não se esqueça que a Dublin City Hall também tem exposições gratuitas. Já aqui dissemos que Dublin é uma cidade cara e muitos dos seus atrativos mais populares pesam muito na carteira. Assim, junta o útil ao agradável e poupa dinheiro.

St. Stephen’s Green

Visitar Dublin RoteiroUm raio de sol na cinzenta Dublin tira todos de casa e fá-los acorrer aos seus espaços verdes. O parque favorito dos dublinenses é o St. Stephen’s Green, com o seu lago ornamental, cascata (sim, leu bem), as indispensáveis esculturas e um parque infantil. O jardim em estilo vitoriano é dos mais antigos da Irlanda com os seus quase quatro seculos de existência.

Permita-se a um passeio pelo enorme verde, para descansar das suas compras na buliçosa (e apinhada de gente) Grafton Street, com as suas lojas de luxo, ou para observar a vida a passar, entre as suas visitas a um museu ou outro (ou uma cerveja ou outra).

E por falar em cerveja, e porque beber é uma arte em Dublin, temos ainda duas sugestões para somar ao seu roteiro de Dublin. É pegar ou largar.

Guinness Storehouse

Este pedaço de mau caminho já viu milhões de pés acorrendo às suas fontes. Falamos obviamente da Guinness Storehouse. A principal atração turística de Dublin, serve diariamente milhares de litros da sua famosa cerveja preta com dois dedos de espuma. Percorra cada um dos 7 andares, aprenda tudo sobre a história e o fabrico da “Guinness perfeita” (Guinness dixit) e acabe a beber a sua pint no Gravity Bar com vistas 360º sobre a cidade. Pode não ser uma experiência barata, mas para verdadeiros apreciadores de Guinness, é um pecado não ir ao seu maior templo prestar-lhe o devido culto. Veja esta tour com entrada prioritária, assim não passa tempo precioso nas filas.

Jameson Destillery

Whiskies há muitos mas os irlandeses juram ter o melhor. Mais do que isso. A palavra whiskey (à boa maneira irlandesa e não whisky) provém do celta “uisce beatha”, ou seja, água da vida! Como tal, existem também tours guiados a destilarias desse ouro líquido irlandês. A casa mais famosa é a Old Jameson Destillery, onde era antigamente fabricado o Jameson, hoje museu. Na visita guiada, aprende sobre a arte do fabrico, mas também se qualifica como provador oficial.

Dica VagaMundos: Se quiser juntar o útil ao agradável e não dispensa esta imersão cultural, opte pela tour que inclui a visita à Old Jameson Distillery e à Guiness Storehouse. Visita guiada de 4 horas, com entrada prioritária e prova das duas bebidas emblemática.

Teeling Whiskey

Se estiver interessado em visitar uma destilaria de whiskey ainda ativa, experimente a Teeling Whiskey, inaugurada em 2015 e a primeira nova destilaria em Dublin nos últimos 125 anos. E conquista cada vez mais adeptos.

Roteiro Dublin: 3º dia

Depois de dois dias a visitar Dublin os lugares imperdíveis da capital irlandesa, sugerimos que aproveite a viagem à Irlanda para conhecer outras paragens. Fora da cidade há oportunidades de conhecer outras facetas da Ilha Esmeralda que não vai querer perder.

Phoenix Park e Zoo de Dublin

A primeira sugestão é um dia passado no Phoenix Park, o maior parque urbano da Europa. Para além de hectares de revigorante espaço verde, é lá que está o Zoo de Dublin. Se viajar com miúdos, não deixe de visitar o Zoo de Dublin – é diversão garantida para toda a família.

Cliffs of Moher

Esta é a nossa favorita! Faça uma viagem de um dia aos penhascos ed eslumbre-se com um passeio até às maravilhosas falésias dos Cliffs of Moher, uma das maiores atrações naturais da Irlanda. Cenário de filmes como Harry Potter e o Príncipe Misterioso, as paisagens são de tirar o fôlego. Imperdível.

Wicklow Mountains National Park

A menos de uma hora do centro da cidade estão as montanhas Wicklow, as mais altas do país a que chamam de Jardim da Irlanda. Para além de inúmeras possibilidades de caminhadas nas montanhas, lagos e vistas soberbas da Baía de Dublin, desça ao mar até às vilas de pescadores para um real feel da província, comida com sabor a mar, mercados locais e gastronómicos, pubs irlandeses com atmosfera e castelos de contos de fadas.

Howth Peninsula and Malahide

A norte ficam a península de Howth e Malahide com o seu castelo, um dos destinos de lazer favorito dos dublinenses quando querem fugir do trânsito caótico da capital.

Excursões de 1 dia saindo de Dublin

Existem várias excursões de um dia que pode fazer a partir de Dublin. Clique nos links abaixo para ver as nossas favoritas, ler reviews e fazer as suas reservas:

Dica VagaMundos: na escolha dos tours, e porque os imprevistos acontecem, evite sempre reservar tours que não permitam cancelamento gratuito. Dê prioridade às excursões e actividades que tem boas reviews e permitam cancelar sem custos com (pelo menos) 48h de antecedência.

Dublin: mapa dos principais pontos de interesse


Clique no canto superior direito para aumentar o mapa do roteiro para visitar Dublin em 2 e 3 dias.

Outros Roteiros de Cidades Europeias

Amesterdão | Barcelona | Berlim | Bruxelas | Budapeste | Copenhaga | Cracóvia | Dubrovnik | Estocolmo | Florença | Genebra | Hamburgo | Londres | Madrid | Munique | Oslo | Paris | Praga | Sarajevo | Roma | Vilnius | Zagreb

Prepare a sua próxima Viagem

Reserve o seu alojamento através do Booking.com. É onde encontramos sempre as melhores promoções e permite cancelar a reserva sem custos.

No GetYourGuide e na Civitatis encontra sempre os melhores tours locais e pode ainda reservar o seu transfer do aeroporto e saltar as filas comprando antecipadamente as entradas para os principais monumentos.

Jogue pelo seguro e faça um seguro de viagem na World Nomads ou na IATI Seguros. São ambas agências 100% especializadas em viagens e apresentam sempre os melhores rácios custo-benefício do mercado. Se optar pela IATI use o nosso link e terá um desconto de 5% por ser nosso leitor.

Anda à procura de voos baratos? Então utilize o Skyscanner para encontrar as melhores tarifas aéreas do mercado

Se precisa de alugar um carro para a sua próxima viagem recomendamos que utilize o Rentalcars. Permite comparar os preços de dezenas de empresas de rent-a-car e é possível cancelar o aluguer sem custos até 48h antes da partida.

Esta página contem links afiliados. Só recomendamos marcas que utilizamos e confiamos a 100%. Se efectuar as suas reservas através desses links recebemos uma pequena comissão. Dessa forma está a ajudar o blog “VagaMundos” a manter-se vivo. E o melhor de tudo é que você não paga mais por isso. Muito Obrigado!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.