Visitar Gerês: Roteiro de 2 e 3 dias com o melhor do Gerês

Visitar Gerês - roteiro com o melhor do Gerês

O Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG) é um dos locais mais bonitos de Portugal e um verdadeiro paraíso para os amantes da natureza.

No momento em que cruzamos uma das cinco portas, que marcam a entrada no único parque nacional de Portugal, entramos num mundo mágico composto por montanhas imponentes, trilhos assombrosos, vales bucólicos, cascatas idílicas, lagoas de sonho, matas encantadas, pontes medievais, santuários irreais, calçadas milenares, aldeias perdidas no tempo e tradições seculares.

Para nós a palavra Gerês rima com magia e serenidade, como tal, volta não volta estamos lá batidos. Não negamos que somos fervorosos adeptos deste santuário da natureza ao qual nunca nos cansamos de regressar. Até porque a cada nova visita nos revela mais um dos seus muitos segredos… E assim, subtilmente, conquista mais um bocadinho do nosso coração.

Neste artigo vamos revelar alguns dos nossos locais favoritos do Gerês e apresentar uma proposta de roteiro de 2 e 3 dias, ideal para um fim-de-semana prolongado ou uma escapadinha no Gerês.

Escusado será dizer que num par de dias é impossível conhecer o Parque Nacional da Peneda-Gerês a fundo. Para tal é preciso, literalmente, uma vida. Por isso pense neste roteiro de 2 ou 3 dias pelo Gerês como um aperitivo deste soberbo santuário da natureza.

É que temos a certeza que, depois desta escapadinha pelo Gerês, vai querer voltar muitas vezes para saborear lentamente este cantinho mágico de Portugal.

Onde fica o Parque Nacional da Peneda-Gerês?

O Parque Nacional da Peneda-Gerês está situado no norte de Portugal, na zona raiana entre Minho, Trás-os-Montes e Galiza. Os cinco concelhos onde se insere o PNPG são o concelho de Arcos de Valdevez, Melgaço, Montalegre, Ponte da Barca e Terras de Bouro.

Existem por isso 5 portas de entrada no Gerês, cada uma delas dedicada a uma temática. Em todas elas se pode obter muitas informações valiosas para desfrutar do melhor do Gerês.

Portas do Gerês e respetivas temáticas
  • Porta de Mezio (Arcos de Valdevez): dedicada à Conservação da Natureza e da Biodiversidade
  • Porta de Lamas de Mouro (Melgaço): dedicada à História e Ocupação do Território
  • Porta de Montalegre: dedicada à Paisagem
  • Porta do Lindoso (Ponte da Barca): Geologia e Água
  • Porta de São João do Campo (Terras de Bouro): História e Civilizações

Mapa com a localização das portas do Parque Nacional da Peneda-Gerês


Clique no canto superior esquerdo para aumentar

Quando visitar o Gerês?

O Gerês é conhecido por ser a zona com maior pluviosidade de Portugal. Posto isto, não é de estranhar que a maioria das pessoas queira visitar o Gerês no verão. Contudo, se optar por visitar no verão, prepare-se para multidões e preços mais altos na hotelaria e restauração.

Garranos no Gerês

Como para nós multidões e natureza não combinam, as nossas estações favoritas para visitar este santuário da natureza são a primavera e o outono, sobretudo o fim da primeira e o início da segunda. Claro que por vezes apanhamos umas chuvadas (faz parte), mas por norma o tempo permite-nos realizar todo o tipo de atividades e desfrutar ao máximo da natureza.


Leia também o nosso Roteiro de Braga com muitas dicas práticas para preparar a sua viagem à Cidade dos Arcebispos.


O Melhor do Gerês num Roteiro de 3 dias – o que ver e fazer

O nosso roteiro do Gerês tem início em Pitões das Junias, no concelho de Montalegre, e final no Sistelo, no concelho de Arcos de Valdevez. Mas pode fazer o mesmo na ordem inversa sem qualquer problema, ou até mesmo começar em qualquer um dos pontos de interesse sugeridos e a partir daí desenhar o seu próprio roteiro.

Roteiro Gerês: 1º Dia

Pitões das Júnias

A altaneira aldeia de Pitões das Júnias (localizada a 1100 metros de altitude) é uma das mais encantadoras do Gerês transmontano. À medida que caminhamos pelas suas ruelas estreitas é virtualmente impossível não nos deixarmos apaixonar pelas suas típicas casas de granito, pela saborosa gastronomia e simpatia das suas gentes.

Para além da pequena aldeia é imperativo visitar as ruínas do Mosteiro de Santa Maria das Júnias e a imponente cascata de Pitões das Júnias. Ambos ficam a somente dois quilómetros do centro do povoado. Clique para ver as melhores opções de alojamento em Pitões das Junias.

Ponte da Misarela

A ponte medieval da Misarela (aka Ponte do Diabo), sobre o rio Rabagão, é um dos locais mais emblemáticos do Gerês, e reza a lenda que é obra do Diabo (podem ler a mesma clicando aqui). A verdade é que a sua localização isolada, no fundo de um desfiladeiro escarpado e bordejada por penedos e densa vegetação, é simplesmente idílica. E como bónus ainda temos uma cascata a adornar o cenário!

Cascata de Pincães

A Cascata de Pincães é uma das mais bonitas do Gerês e a sua piscina natural é um verdadeiro deleite. Em dias de calor é quase irresistível dar um mergulho. Para lá chegar vai ter de caminhar cerca de 20 minutos, pois é impossível aceder de carro à cascata. Terá de deixar o mesmo na aldeia de Pincães e seguir a levada a pé, durante cerca de 2km, até à cascata.

Cascatas de Fecha de Barjas mais conhecida pelo nome de Cascatas do Tahiti

As Cascatas do Tahiti, formadas pelas águas do rio Arado, dispensam apresentações. Apesar de estarem situadas num local recôndito, tornaram-se, nos últimos anos, numa verdadeira estrela do Instagram. E ao vivo e a cores é ainda mais fácil perceber o porquê. É que as Cascatas de Fecha de Barjas são uma autêntica obra-prima da natureza. Descer até lá abaixo requer alguma ciência (e acima de tudo muito cuidado mesmo) mas o esforço compensa. É, sem margem para grandes argumentações, um dos locais mais assombrosos do Gerês.

Cascata do Arado

Como já deve ter percebido este primeiro dia do roteiro do Gerês é muito rico em cascatas. E outra que merece visita é a Cascata do Arado. Para lá chegar, o melhor é deixar o carro junto ao sopé do mirador das Rocas e daí seguir a pé pelo estradão. O passeio é muito agradável e evita dar cabo do carro.

Miradouro da Pedra Bela

O miradouro da Pedra Bela brinda os visitantes com uma das paisagens mais brutais do Gerês. A vista do miradouro é simplesmente deslumbrante e garantimos que vai sentir-se mesmo muito pequenino perante a imensidão da paisagem que se estende a seus pés. Para apreciar com calma enquanto estuda o ângulo para a selfie perfeita.

Aldeia do Gerês

A Aldeia do Gerês marca o ponto final do primeiro dia do nosso roteiro do Gerês. A oferta de alojamento e serviços de restauração é vasta logo não vai ter qualquer tipo de dificuldades em encontrar o local perfeito para repor energias. Se ainda tiver energia recomendamos uma visita às históricas termas da Aldeia. Clique para ver as melhores opções de alojamento no Gerês. Bom descanso!

Mapa do 1º dia do Roteiro do Gerês


Clique no canto superior esquerdo para aumentar

Roteiro Gerês: 2º Dia

Mata da Albergaria

Nada como começar o segundo dia do roteiro do Gerês por um dos mais belos bosques de Portugal. Recomendamos uma pequena caminhada pela Geira Romana (calçada romana) para apreciar com calma toda a beleza dos carvalhos seculares e sentir a serenidade deste bosque encantado.

Nota: no Verão o acesso de carro à Mata da Albergaria é condicionado e tem de se pagar uma taxa de acesso de 1,5€

Cascata do Rio Homem mais conhecida pela Cascata da Portela do Homem

No Gerês nunca se está muito longe de uma cascata. E a Cascata da Portela do Homem é uma das mais vistosas. O acesso é muito fácil pois a cascata fica mesmo ao lado da estrada que dá acesso à fronteira com a Espanha. Se estiver calor, aproveite para dar um mergulho nas águas do rio Homem. Mas não se deixe enganar pela sua tonalidade azul caribe. A água é gelada!

Termas de Lobios

Se vir que tem tempo aproveite que a Espanha está aqui mesmo ao lado e aventure-se pelo Parque Natural Baixa Limia-Serra do Xurés. Da Portela do Homem até às Termas de Lobios são apenas 8km e o desvio vale bem a pena. Até porque pode aceder às termas gratuitamente.

Vilar de Veiga

A caminho de São Bento de Porta Aberta não deixe de parar por terras de Vilar de Veiga para apreciar a beleza bucólica da Albufeira da Caniçada.

São Bento da Porta Aberta

O Santuário de São Bento da Porta Aberta é o segundo maior santuário de Portugal (apenas superado pelo Santuário de Fátima), recebendo cerca de 2,5 milhões de peregrinos por ano. É um local com uma enorme carga de espiritualidade e a sua localização é simplesmente idílica.

Barragem de Vilarinho das Furnas

A paisagem da Barragem de Vilarinho das Furnas é simplesmente estonteante. E se o verão tiver sido bem seco e for no final da estação ou no início do outono, poderá ver as ruínas da carismática aldeia de Vilarinho das Furnas a espreitar por entre as águas do rio Homem.

Nota: para chegar ao local de onde se pode ver as ruínas da aldeia tem de deixar o carro no estacionamento da barragem de Vilarinho das Furnas e caminhar cerca de 2km por uma estrada de terra batida.

Germil

Incrustada em plena Serra Amarela, a aldeia de Germil é uma das aldeias serranas mais típicas do Gerês. Esta aldeia serrana, bordejada por socalcos e por imponentes penedos, ainda conserva o ambiente rural e vivência comunitária de outrora e é para nós uma das maiores pérolas do Parque Nacional da Peneda-Gerês. É literalmente, viajar no tempo de olhos abertos.

Por isso mesmo a elegemos para terminar o segundo dia do nosso roteiro do Gerês. Passar um serão naquela quietude a ouvir os sons da noite e a apreciar um céu de mil estrelas é nada menos do que mágico… Palavra de VagaMundos. Clique para ver as melhores opções de alojamento rural em Germil.

Mapa do 2º dia do Roteiro do Gerês

Roteiro Gerês: 3º Dia

Soajo

São poucos aqueles que ainda não se cruzaram com uma fotografia dos famosos espigueiros do Soajo. São nada mais, nada menos do que 24, os espigueiros que compõem a Eira comunitária de Soajo e podemos afiançar que vê-los ao vivo consegue superar as expectativas.

Mas o Soajo não se esgota nos seus espigueiros. Não saía desta pequena aldeia serrana sem percorrer com calma as empedradas ruelas do seu centro histórico.

Lindoso

Se os espigueiros do Soajo o impressionaram então prepara-se para a imensidão dos espigueiros do Lindoso. A eira que se espraia junto ao altaneiro castelo de Lindoso guarda uns impressionantes 60 espigueiros. Conselho de amigo: prepare bem as suas câmaras fotográficas pois este é um dos locais mais instagramáveis do Gerês!

Santuário da Nossa Senhora da Peneda

O Santuário da Nossa Senhora da Peneda é mais um lugar de paragem obrigatória em qualquer roteiro do Gerês. Situado num vale recôndito e de imensa beleza, este santuário dedicado à Nossa Senhora é nada menos do que extraordinário. Recomendamos vivamente percorrer a extensa escadaria que dá acesso ao Santuário e apreciar as cerca de 20 capelas com as cenas da vida de Cristo.

Castro Laboreiro

Devido à localização geográfica isolada, Castro Laboreiro conseguiu manter intactas muitas das suas tradições. Entre a Serra da Peneda e a Serra de Castro Laboreiro, a pequena vila do concelho de Melgaço fixou-se no planalto do mesmo nome e não lhe faltam pontos de interesse para visitar, dos quais destacamos o castelo de Castro Laboreiro e as pontes românicas e medievais. Mais uma das aldeias mágicas do nosso Gerês.

Sistelo

Uma visita ao Gerês não fica completa sem se passar pela aldeia do Sistelo, uma das aldeias vencedoras das 7 Maravilhas de Portugal. Apreciar os seus arrebatadores socalcos e percorrer a pé os seus passadiços é fechar com chave de ouro este roteiro pelo Parque Nacional da Peneda-Gerês. Clique para ver as melhores opções de alojamento rural na Aldeia do Sistelo.

Mapa do 3º dia do Roteiro do Gerês


Clique para conhecer os melhores trilhos e percursos pedestres de Portugal


Roteiro para visitar o Gerês em 2 dias

Se só tem 2 dias para visitar o Gerês recomendamos que faça alguns cortes no roteiro de 3 dias, que descrevemos atrás, e que passe menos tempo nos pontos de interesse propostos. Claro que pode sempre optar por condensar o roteiro de 3 dias em 2 mas vai passar demasiado tempo na estrada e pouco tempo nos locais de interesse.

Dia 1

Sugerimos que o primeiro dia do roteiro de 2 dias pelo Gerês seja igual ao que foi apresentado no roteiro de 3 dia, ou seja:

Pitões das Junias – Ponte de Misarela – Cascata de Pincães – Cascata de Tahiti – Cascata do Arado – Mirador de Pedra Bela – Aldeia do Gerês

Dia 2

No segundo dia sugerimos das Termas de Lobios siga para Lindoso, evitando assim o regresso à Vila do Gerês.

Os destinos que terá de cortar se seguir esta sugestão serão Vilar de Veiga, São Bento de Porta Aberta, Barragem de Vilarinho das Furnas e a aldeia de Germil.

Como o tempo será curto para tantos destinos também sugerimos que deixe a visita ao Santuário da Nossa Senhora do Penedo e a Castro Laboreiro para outra viagem. O roteiro ficará assim:

Aldeia do Gerês – Mata da Albergaria – Portela do Homem – Termas de Lobios – Lindoso – Soajo – Sistelo

Clique aqui para ver as melhores  opções de Alojamento no Gerês

Se gostou deste artigo partilhe com os seus amigos. Nós agradecemos e eles também. Não deixe também de acompanhar as nossas aventuras pelo mundo no Instagram e no Facebook. Obrigado!

Prepare a sua próxima Viagem

Reserve o seu alojamento através do Booking.com. É onde encontramos sempre as melhores promoções e permite cancelar a reserva sem custos.

Anda à procura de voos baratos? Então utilize a Momondo para encontrar as melhores tarifas aéreas do mercado.

No GetYourGuide encontra sempre as melhores tours locais e pode ainda saltar as filas comprando antecipadamente as entradas para os principais monumentos.

Gostamos de jogar pelo seguro e como tal, nas nossas viagens, não dispensamos o seguro de viagem do WorldNomads.com

Esta página contem links afiliados. Se efectuar as suas reservas através desses links recebemos uma pequena comissão. Dessa forma está a ajudar o blog “VagaMundos” a manter-se vivo. E o melhor de tudo é que você não paga mais por isso. Muito Obrigado!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.