Visitar Parque Natural do Vale do Guadiana: roteiro com o que ver e fazer

Visitar Parque Natural do Vale do Guadiana: roteiro com o que ver e fazer

No extremo sudeste do Baixo Alentejo, bem coladinho ao Algarve e à província espanhola da Andaluzia, esconde-se um maravilhoso polo de biodiversidade, ao qual o lince ibérico chama de casa. Estamos a falar-lhe do Parque Natural do Vale do Guadiana, um dos destinos de natureza mais surpreendentes do sul de Portugal.

Visitar Parque Natural do Vale do Guadiana: roteiro com o que ver e fazer
Rio Guadiana – Visitar Parque Natural do Vale do Guadiana

A diversidade paisagística do Vale do Guadiana é simplesmente brutal! Neste cantinho do Alentejo aguardam por si planícies ondulantes, majestosas elevações quartzíticas, apaixonantes vales e serras, uma grandiosa cascata, matagais mediterrânicos e imponentes escarpas esculpidas, a preceito e sem pressas, pelo rio Guadiana.

Visitar Parque Natural do Vale do Guadiana: roteiro com o que ver e fazer
Pulo do Lobo – Visitar Parque Natural do Vale do Guadiana

O melhor de tudo? À inquestionável beleza paisagística do Parque Natural do Vale do Guadiana somam-se ainda uma vila-museu milenar repleta de segredos, um misterioso complexo mineiro abandonado, uma das melhores praias fluviais de Portugal, duas mãos cheias de trilhos pedestres e uma gastronomia deliciosa que, de tão boa que é, nos faz sempre regressar a casa com um par de quilos a mais.

Visitar Parque Natural do Vale do Guadiana: roteiro com o que ver e fazer
Mértola – Visitar Parque Natural do Vale do Guadiana

Para lhe dar uma ajuda na descoberta dos muitos encantos do Parque Natural do Vale do Guadiana, desenhamos um roteiro de 2 dias para visitar o Vale do Guadiana, com os nossos locais favoritos e muitas dicas práticas, ideal para um fim-de-semana prolongado ou uma retemperadora escapadinha.

Onde fica o Parque Natural do Vale do Guadiana?

Visitar Parque Natural do Vale do Guadiana: roteiro com o que ver e fazerO Parque Natural do Vale do Guadiana conta com uma área de aproximadamente 70 mil hectares, e está localizado na região do Baixo Alentejo, a cerca de 30 km da cidade de Beja. Para que fique com uma referência, de Lisboa até ao Vale do Guadiana são sensivelmente 200 km.

O seu território encontra-se distribuído pelos concelhos de Mértola e Serpa e acompanha o rio Guadiana, desde a zona da Cascata do Pulo do Lobo (a norte) até à foz da Ribeira do Vascão, a fronteira natural entre o Alentejo e o Algarve (a sul).

Quando visitar o Parque Natural do Vale do Guadiana?

O Parque Natural do Vale do Guadiana pode ser visitado durante todo o ano. A escolha da melhor estação para o fazer depende muito do tipo de atividades que pretende realizar.

Visitar Parque Natural do Vale do Guadiana: roteiro com o que ver e fazerSe o principal objetivo da sua viagem for conhecer o riquíssimo património histórico da região, como sejam a vila de Mértola ou as ruínas das Minas de São Domingos, e apreciar as arrebatadoras paisagens da região, todas as estações são boas, até porque lhe revelam as diferentes faces do Vale do Guadiana.

Já se pretender fazer caminhadas, as melhores estações são, sem dúvida, a primavera e o outono. No verão as altas temperaturas que se fazem sentir nesta região (figuram entre as mais altas de Portugal) não são de todo convidativas para a prática de atividades de trekking.

Visitar Parque Natural do Vale do Guadiana: roteiro com o que ver e fazerPor outro lado, se desejar praticar atividades náuticas, como sejam andar de caiaque pelo rio Guadiana, ou simplesmente desfrutar da soberba Praia Fluvial da Tapada Grande, nada bate os meses de verão.

Onde ficar no Parque Natural do Vale do Guadiana? Sugestões de alojamento

Visto que o Parque Natural do Vale do Guadiana tem uma extensão relativamente pequena, recomendamos que monte base numa só localidade e que faça os seus passeios a partir daí visto que exige menos logística e torna a experiência mais relaxante.

Posto isto, em nossa opinião, a melhor localidade para ficar alojado numa visita ao Parque Natural do Vale do Guadiana é a vila de Mértola. Para além de ter uma oferta muito variada de alojamentos e de oferecer todo o tipo de serviços de que o viajante precisa, conta com bons acessos e é a localidade mais equidistante dos principais pontos de interesse do Vale do Guadiana.

Os nossos alojamentos favoritos em Mértola – testados e aprovados por nós – que apresentam a melhor relação qualidade-preço são os seguintes:

Paraíso D`el Rei

Será recebido com simpatia e braços abertos no Paraíso D`el Rei, bem perto do centro histórico de Mértola. Apartamentos, suites e quartos confortáveis, todos com vista rio. Alguns até com uma varanda para desfrutar de momentos ao ar livre. WiFi gratuito e uma área de estar com lareira e sofá, o aconchego perfeito para aquele fim de dia romântico ou mais fresco. E ali perto, dispõe de uma variedade de restaurantes locais onde encontra algumas especialidades tradicionais do Alentejo, como migas e açordas.

Beira Rio

Um campeão de vendas por causa da boa relação qualidade-preço, o Beira Rio é um favorito dos hóspedes. Beneficia de quartos com varandas, com vistas encantadoras panorâmicas sobre o Rio Guadiana ou para as casas caiadas de branco da cidade de Mértola. Sabe bem tomar o pequeno-almoço enquanto usufrui da vista-rio, na sala ou no prazenteiro terraço. Passeios no Guadiana? Reserve o barco da propriedade na receção. Bicicletas e caiaques também disponíveis para aluguer.

Hotel Museu

Um hotel de 3 estrelas situado no centro histórico de Mértola, o Hotel Museu proporciona vistas pitorescas sobre o Rio Guadiana. Beneficiando do aproveitamento de vestígios arqueológicos islâmicos, o hotel dispõe duma sala de refeições, bar, terraço e piscina exterior. Os quartos privados são climatizados, com decoração moderna, muito limpos e confortáveis. Acesso WiFi e estacionamento privado gratuitos, há ainda a possibilidade de aluguer de bicicletas e caiaques ou reservar o seu passeio de barco pelo Rio Guadiana.

Quinta do Vau

A casa de campo Quinta do Vau, na outra margem do Rio Guadiana tem vistas sobre o Castelo de Mértola que o vão deixar sem palavras. Ao abrir a janela do quarto, ao tomar um delicioso pequeno-almoço, ou ao desfrutar da frescura da piscina exterior. Quartos limpos e confortáveis, e staff que recebe elogios rasgados pela simpatia e disponibilidade. Vai querer repetir.

Clique para ver mais opções de alojamento no Vale do Guadiana

O Melhor do Parque Natural do Vale do Guadiana num Roteiro de 2 dias: o que ver e fazer?

Visitar Parque Natural do Vale do Guadiana: roteiro com o que ver e fazer
Lagoa nas Minas de São Domingos – Visitar Parque Natural do Vale do Guadiana

É importante referir que o número de dias que sugerimos para este roteiro pelo Parque Natural do Vale do Guadiana pressupõe que a viagem seja feita de carro e não inclui os dias de viagem do local de origem para a região do Parque Natural do Vale do Guadiana.

Na verdade, visitar os locais de interesse referidos neste artigo sem carro ou sem recorrer a um tour é uma tarefa (praticamente) impossível de realizar. Se estiver sem viatura própria, o melhor é alugar um carro.

Visitar Parque Natural do Vale do Guadiana: roteiro com o que ver e fazer
Praia Fluvial da Tapada Grande – Visitar Parque Natural do Vale do Guadiana

Se é nosso leitor assíduo, já sabe que nos nossos roteiros o número de dias é meramente indicativo. Caso queira fazer mais algumas atividades de natureza, como sejam caminhadas ou observação de aves, visitar mais algumas vilas que ficam nas cercanias do parque, praticar desportos náuticos no rio Guadiana, ou simplesmente relaxar na fantástica Praia Fluvial da Tapada Grande, recomendamos vivamente que acrescente mais uns dias à sua visita ao Parque Natural do Vale do Guadiana.

Ao longo do roteiro vamos dar-lhe várias sugestões nesse sentido e verá que não lhe vão faltar atividades com que ocupar os dias na sua visita ao Parque Natural do Vale do Guadiana.

Roteiro visitar Parque Natural do Vale do Guadiana: 1º dia

Mértola – Pulo do Lobo – (Serpa) – Mértola

Começamos o nosso roteiro pelo Parque Natural do Vale do Guadiana com uma visita à vila muralhada de Mértola. A vila empoleirada numa penha rochosa e escarpada, nas margens do rio Guadiana, parece desafiar as leis da gravidade. As ruas calcetadas, o casario de branco intenso e o emaranhado de labirínticas ruelas, escadinhas e vielas conferem à vila aquele ambiente medieval que a tornam num lugar delicioso para vaguear.

A herança cultural é vasta apesar da sua pequena dimensão. Pauta-se por ser um lugar tranquilo onde a tradição e o aconchego convidam ao descanso e fruição.

Designada de Vila Museu devido a um vasto espólio arqueológico “desenterrado” das entranhas da terra do concelho, Mértola revelou que desde o Neolítico alguém a considerou um bom local para habitar.

Depois de muitos outros povos, vieram os Romanos que lhe colaram o nome de Mirtilis. Despontou uma forte vocação comercial e a atividade mercantil desenvolveu-se devido principalmente ao porto. É verdade, Mértola era uma cidade portuária, benefícios da navegabilidade do rio Guadiana que banha a vila.

A última grande influência é a Islâmica tendo sido, inclusivamente por um breve período, um reino independente, a taifa de Mértola. Com os povos invasores vindos do norte de África, Martulah recupera o seu estatuto comercial e passa a figurar no mapa como o porto mais ocidental do Mediterrâneo.

Os locais de visita obrigatória e as experiências a não perder em Mértola são as seguintes:

  • Castelo de Mértola
  • Igreja Matriz de Mértola (Antiga Mesquita)
  • Alcáçova de Mértola
  • Casa Romana
  • Museu(s) de Mértola
  • Torre do Relógio
  • Torre do Rio ou Torre Couraça
  • Casa de Mértola
  • Deambular pelas castiças ruelas da vila
  • Passeio a pé pelas margens do rio Guadiana
  • Passeio de barco ou de canoa pelo Guadiana
Quer mais dicas sobre a vila? Então não deixe de ler o nosso Roteiro para visitar Mértola.

Mértola visitada, pegue na sua viatura e vá conhecer o fantástico Pulo do Lobo, a joia da coroa do Parque Natural do Vale do Guadiana.

A Cascata do Pulo do Lobo é alimentada pelas águas do Guadiana e é a cascata mais imponente do sul de Portugal. Mas se vai à espera de um Guadiana plácido, como o que viu em Mértola, desengane-se. Aqui o Guadiana revela-se selvagem, indomesticado, como as terras de xisto que serpenteia.

E a Cascata do Pulo do Lobo, com os seus quase 20 metros de altura, é o expoente máximo dessa sua face selvagem. No local da queda de água, as margens do Guadiana são tão estreitas que, diz quem por lá mora, até um lobo as conseguiria transpor. Porém, vá por nós! Nem pense em arriscar o salto. O som da cascata chega a ser ensurdecedor, face à violência das águas que embatem nas rochas. É a força da natureza no seu melhor e vai ser, seguramente, um dos pontos mais altos do seu roteiro pelo Parque Natural do Vale do Guadiana.

Se gosta de uma boa caminhada sugerimos que feche o primeiro dia de visita ao Parque Natural do Guadiana percorrendo o fantástico trilho PR9 – Entre o Escalda e o Pulo do Lobo, o trilho-rei do Parque Natural do Vale do Guadiana. Se percorrer o trilho, para além de ser brindado com arrebatadoras paisagens, poderá ainda ficar a conhecer a Anta das Pias. Clique aqui para mais informações e para descarregar o track GPS para levar no seu smartphone.

Como chegar ao Pulo do Lobo a partir de Mértola

Tenha em atenção que, normalmente, as direções dadas pelo Google Maps não o vão conduzir à melhor margem do rio para ver o Pulo do Lobo (onde existe uma pequena plataforma para observação).

Para dar com ela, a melhor maneira é seguir pela estrada que liga Beja a Mértola e depois virar em direção a Amendoeira da Serra e posteriormente em direção à Herdade do Pulo do Lobo. Uma vez na Herdade vai deparar-se com uma cancela. É aí que deve estacionar e seguir a pé pelo estradão. Ir e vir são cerca de 2 km. Ah, não se esqueça de fechar o portão!

Se as caminhadas não são muito a sua praia, e vir que ainda tem tempo, sugerimos que opte por terminar o primeiro dia do seu roteiro pelo Parque Natural do Vale do Guadiana com uma visita a Serpa. É certo que a vila em si já não está inserida no Parque Natural do Vale do Guadiana, mas isso em nada belisca a sua beleza e interesse histórico. Ainda aproveita a viagem e degusta um delicioso queijo de Serpa!

Entre os muitos locais de interesse de Serpa que pode visitar, destacamos os seguintes:

  • Castelo de Serpa (as vistas são brutais!)
  • Portas de Beja
  • Torre do Relógio
  • Aqueduto
  • Palácio dos Condes de Ficalho
  • Igreja de Santa Maria

Roteiro visitar Parque Natural do Vale do Guadiana: 2º dia

Mértola – Pomarão – Minas de São Domingos – Praia Fluvial da Tapada Grande

A maior parte do segundo dia do roteiro para visitar o Parque Natural do Vale do Guadiana será dedicado a explorar o seu riquíssimo património mineiro.

Comece o dia rumando até à pacata aldeia de Pomarão, idilicamente plantada na margem esquerda do rio Guadiana, a dois passos da vizinha Espanha. Pomarão é um povoado relativamente recente, tendo sido construído em 1859 pela companhia mineira “Mason & Barry” com o objetivo de escoar o minério proveniente da Mina de São Domingos.

Era do Porto Fluvial de Pomarão que partiam os navios carregados com o minério que vinha desde a Mina de São Domingos em vagões de carga ferroviários, rumo à foz do Guadiana em Vila Real de Santo António e, posteriormente, em direção à Inglaterra.

Com o encerramento da Mina de São Domingos, Pomarão perdeu grande parte dos seus habitantes, sendo hoje uma pacata aldeia onde o principal movimento provem dos turistas estrangeiros que diariamente chegam à aldeia de barco, navegando Guadiana acima. Escusado será dizer que o principal ponto de interesse da aldeia é a sua marginal ribeirinha, com natural destaque para o antigo cais mineiro. Mas o melhor de Pomarão é mesmo a omnipresente tranquilidade que se respira na aldeia e as apaixonantes paisagens que a rodeiam.

Dica VagaMundos: aproveite que está em Pomarão e dê um pulinho até Espanha para abastecer a sua viatura de combustível. São apenas 12 quilómetros que separam Pomarão de El Granado e a poupança bem que compensa o desvio.

Pomarão visitada, siga caminho até à aldeia da Mina de São Domingos, um dos pontos mais altos de qualquer roteiro pelo Parque Natural do Vale do Guadiana.

A área de exploração mineira de São Domingos conta com indícios de exploração de pirite desde a época romana e pré-romana, mas a sua exploração moderna só foi iniciada em 1858 por iniciativa da já referida companhia mineira “Mason & Barry”, tendo-se mantido ativa até 1966. Os principais elementos extraídos durante a exploração moderna foram o cobre, o chumbo, o enxofre e o zinco.

Visitar o antigo complexo mineiro é uma experiência ímpar em Portugal. Espera-o uma gigantesca área de exploração mineira, que se encontra repleta de edifícios abandonados, que parecem tirados de um filme do Mad Max, e coloridas lagoas e cursos de água carregados de ácido e enxofre.

Entre os muitos locais de interesse da Mina de São Domingos destacamos os seguintes:

  • Casa do Mineiro (onde encontra uma exposição permanente sobre o complexo mineiro)
  • Antigas oficinas ferroviárias da Mina de São Domingos (onde era feita a manutenção dos comboios que levavam o minério até ao Porto Fluvial de Pomarão que visitou no início do dia)
  • Central elétrica da Mina de São Domingos (foi a primeira estação elétrica de Portugal)
  • Achada do Gamo (onde ficavam as fábricas de enxofre, uma das áreas mais fotogénicas do complexo mineiro)
  • Corta da Mina (que hoje é uma enorme cratera coberta de água azulada extremamente ácida)
  • Estação da Moitinha
  • Cais do Minério
Dica VagaMundos: em nossa opinião, a melhor maneira de explorar a Mina de São Domingos é a pé. Se gosta de uma boa caminhada aceite o desafio e vá percorrer os 16 km da Rota do Minério. Para além de passar em todos os pontos de interesse da Mina de São Domingos que referimos atrás irá percorrer antigos trilhos de contrabando, visitar a pequena Aldeia de Santana de Cambas e o icónico Cemitério dos Ingleses. Clique aqui para mais informações e para descarregar o track GPS para levar no seu smartphone.

Mas o melhor de tudo é que a aldeia da Mina de São Domingos está longe de se resumir ao seu riquíssimo património mineiro. Para além das minas sugerimos que visite também o Jardim e Bairro dos Ingleses, a Latrina, o Cemitério dos Ingleses, e a singela Igreja de São Domingos.

E para fechar o seu roteiro pelo Parque Natural do Vale do Guadiana em beleza nada como ir conhecer a soberba Praia Fluvial da Tapada Grande, um dos locais mais paradisíacos do Baixo Alentejo, e considerada por muitos (entre os quais nos incluímos) uma das melhores praias fluviais de Portugal.

A Tapada Grande tem um excelente areal com chapéus-de-sol, balneários, snack-bar, restaurante, parque infantil e parque de merendas com grelhador. É possível ainda alugar canoas e gaivotas para divertidos passeios pelas calmas águas da albufeira.

Tem, literalmente tudo o que precisa para um dia bem passado rodeado de natureza. E claro, se for no verão, não deixe de dar uns valentes mergulhos para assim fechar com chave de ouro a sua visita ao Parque Natural do Vale do Guadiana.

Alcoutim
Dica VagaMundos: tem um dia extra para alocar à sua viagem pelo Parque Natural do Vale do Guadiana? Então dê um saltinho até à vizinha vila de Alcoutim e vá conhecer a face natural do Algarve. Se quiser fazer mais um percurso pedestre sugerimos vivamente que percorra a etapa da Grande Rota do Guadiana que liga a Ribeira do Vascão, onde acaba o Alentejo e começa o Algarve, à vila de Alcoutim. É um dos mais belos trilhos beira-rio que conhecemos! Clique para ler mais sobre o que visitar em Alcoutim.

Trilhos e Percursos Pedestres no Parque Natural do Vale do Guadiana

Se é amante de caminhadas temos excelentes notícias para si! No Parque Natural do Vale do Guadiana encontra uma vasta oferta de trilhos para percorrer a pé. No total são dez os percursos pedestres assinalados no Parque Natural do Vale do Guadiana e podemos garantir que há oferta para todos os gostos, desde trilhos rasgadinhos a percursos fáceis de percorrer, capazes de fazer as delícias de toda a família.

Incluímos dois dos nossos trilhos favoritos no roteiro de 2 dias para visitar o Parque Natural do Vale do Guadiana, mas se tiver uns dias extra para alocar à sua viagem sugerimos vivamente que faça mais um par de caminhadas.

  • PR1 Guadiana, O grande rio do sul (10 km)
  • PR2 Os Canais do Guadiana (3,5 km)
  • PR3 As margens do Guadiana (10 km)
  • PR4 Á volta do montado (17 km)
  • PR5 Ao ritmo das águas do Vascão (4,5 km)
  • PR6 Entre a estepe e o montado (11 km)
  • PR7 Subida à Srª do Amparo (3 km)
  • PR8 Um percurso ribeirinho (5 km)
  • PR9 Entre o Escalda e o Pulo do Lobo (6 km)
  • PR 10 Rota do Minério – Minas de São Domingos (16 km)

Clique para saber mais sobre os Trilhos do Parque Natural do Vale do Guadiana

Mapa do Roteiro para visitar o Parque Natural do Vale do Guadiana


Clique no canto superior direito para aumentar o mapa do roteiro para visitar o Parque Natural do Vale do Guadiana.

Outros roteiros de carro por Portugal

Prepare a sua próxima Viagem

Reserve o seu alojamento através do Booking.com. É onde encontramos sempre as melhores promoções e permite cancelar a reserva sem custos.

No GetYourGuide e na Civitatis encontra sempre os melhores tours locais e pode ainda reservar o seu transfer do aeroporto e saltar as filas comprando antecipadamente as entradas para os principais monumentos.

Jogue pelo seguro e faça um seguro de viagem na World Nomads ou na IATI Seguros. São ambas agências 100% especializadas em viagens e apresentam sempre os melhores rácios custo-benefício do mercado. Se optar pela IATI use o nosso link e terá um desconto de 5% por ser nosso leitor.

Anda à procura de voos baratos? Então utilize o Skyscanner para encontrar as melhores tarifas aéreas do mercado

Se precisa de alugar um carro para a sua próxima viagem recomendamos que utilize o Rentalcars. Permite comparar os preços de dezenas de empresas de rent-a-car e é possível cancelar o aluguer sem custos até 48h antes da partida.

Esta página contem links afiliados. Só recomendamos marcas que utilizamos e confiamos a 100%. Se efectuar as suas reservas através desses links recebemos uma pequena comissão. Dessa forma está a ajudar o blog "VagaMundos" a manter-se vivo. E o melhor de tudo é que você não paga mais por isso. Muito Obrigado!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.